Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 269
POSSIBILIDADES E LIMITES DA FORMAÇÃO CONTINUADA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUMA ESCOLA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE-PB

Palavra-chaves: CRISE AMBIENTAL, EDUCAÇÃO AMBIENTAL., FORMAÇÃO CONTINUADA Pôster (PO) EDUCAÇÃO AMBIENTAL Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

A Educação Ambiental, no contexto da crise ambiental contemporânea, é concebida como uma dimensão do processo educativo, regulamentada pela Constituição Federal de 1988, como direito de todos e dever do Estado e pela Política Nacional de Educação Ambiental como componente essencial e permanente da educação nacional, a ser desenvolvida no âmbito dos currículos das instituições de ensino, públicas e privadas de todos os níveis e modalidades, desde a Educação Infantil a Educação Superior. Entretanto, ainda se apresenta como tema relativamente recente ou ausente nos programas de formação docente, seja inicial ou continuada. Este trabalho se propõe a apresentar os limites e as possibilidades da Formação Continuada em Educação Ambiental para professoras/es da Educação Básica, a partir dos projetos de PIBIC e Extensão da Universidade Estadual da Paraíba. Vem sendo desenvolvido em uma escola municipal de Campina Grande-PB, nos moldes da pesquisa-ação, na perspectiva colaborativa, envolvendo professores/as da escola e estudantes de graduação do curso de Pedagogia, em um processo de produção de conhecimentos de forma compartilhada. Os resultados parciais indicam como limites a lacuna existente acerca dessa temática na formação de professoras/es e a forma de organização dos espaços/tempos - da escola e da Universidade - que não permite uma maior participação em atividades de formação complementar e continuada. Quanto às possibilidades, identificamos o interesse da comunidade escolar, que já desenvolve algumas ações – mesmo que pontuais - nessa área, a partir do eixo temático “Meio Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida” como parte do currículo da escola. Dessa forma, a efetivação da Educação Ambiental no contexto da educação contemporânea, por meio dos currículos dos diversos níveis e áreas do conhecimento, de forma permanente, interdisciplinar e/ou transversal, como determina a Política Nacional de Educação Ambiental, pressupõe mudanças na forma de organização dos espaços/tempos da escola, em virtude da necessidade de liberação do professor para a formação continuada. Além da inserção da Educação Ambiental na formação inicial de professoras/es de todos os níveis e áreas de conhecimento.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.