Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

PERCEPÇÃO DAS GESTANTES SOBRE O USO DE PLANTAS MEDICINAIS COM PROPRIEDADES TÓXICAS NAS ESTRATÉGIAS SAÚDE DA FAMILIA (ESF), LAGOA SECA-PB

Palavra-chaves: INTOXICAÇÕES, ABORTO, LUFFA OPERCULATA L Comunicação Oral (CO) POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 7744
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1929
    "inscrito_id" => 3625
    "titulo" => "PERCEPÇÃO DAS GESTANTES SOBRE O USO DE PLANTAS MEDICINAIS COM PROPRIEDADES TÓXICAS NAS ESTRATÉGIAS SAÚDE DA FAMILIA (ESF), LAGOA SECA-PB"
    "resumo" => "As observações populares sobre o uso e a eficácia de plantas medicinais contribuem de forma relevante para a divulgação das virtudes terapêuticas dos vegetais. As intoxicações provocadas por plantas têm se constituído ao longo dos anos trazendo grave problema para a saúde da população. Existem muitas plantas que são utilizadas pela medicina popular como abortivas durante a gravidez precoce e indesejada. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa foi avaliar a percepção das gestantes sobre o uso de plantas medicinais com propriedades tóxicas nas Estratégias Saúde da Família (ESF), de Lagoa Seca-PB. O presente trabalho foi desenvolvido seguindo uma metodologia do tipo descritiva, com abordagem qualitativa e quantitativa. A coleta de dados foi realizada através de amostragem com aplicação de questionários contendo perguntas objetivas e subjetivas no período de setembro a outubro de 2013 em 40 gestantes das ESF. Das 40 gestantes entrevistadas 72% fazem uso de plantas medicinais, 33% tem o conhecimento que o uso dessas plantas pode ocasionar toxicidade ao ser humano, 22% usaram algum tipo de planta medicinal tóxica para o aborto e 33% dos abortos foi induzido. As principais plantas consideradas abortíferas, pelas gestantes, foram à cabacinha (Luffa operculata L.) com (70%), Quebra Pedra (Phyllanthus amarus P.) (47%), Boldo do Chile (Peumus boldus P.) (22%), Sene (Cassia angustifólia C.) (17%), Arnica (Arnica Montana A.) (10%), entre outras. Mesmo sem o devido conhecimento das propriedades tóxicas existentes nas plantas medicinais, as gestantes fazem uso das mesmas, uma vez que o conhecimento passado por gerações é disseminado de forma benéfica desconsiderando essas propriedades. Todavia, quando usadas de forma indiscriminada ocasiona efeitos colaterais podendo gerar sérios problemas de âmbito físico e psíquicos."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA"
    "palavra_chave" => "INTOXICAÇÕES, ABORTO, LUFFA OPERCULATA L"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_1datahora_15_08_2014_18_44_08_idinscrito_3625_3e3b547b4350e3091e6cba54467ddef7.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:27"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ROMERO SILVA DE FARIAS"
    "autor_nome_curto" => "ROMERO SILVA"
    "autor_email" => "romero.dmi@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 7744
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1929
    "inscrito_id" => 3625
    "titulo" => "PERCEPÇÃO DAS GESTANTES SOBRE O USO DE PLANTAS MEDICINAIS COM PROPRIEDADES TÓXICAS NAS ESTRATÉGIAS SAÚDE DA FAMILIA (ESF), LAGOA SECA-PB"
    "resumo" => "As observações populares sobre o uso e a eficácia de plantas medicinais contribuem de forma relevante para a divulgação das virtudes terapêuticas dos vegetais. As intoxicações provocadas por plantas têm se constituído ao longo dos anos trazendo grave problema para a saúde da população. Existem muitas plantas que são utilizadas pela medicina popular como abortivas durante a gravidez precoce e indesejada. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa foi avaliar a percepção das gestantes sobre o uso de plantas medicinais com propriedades tóxicas nas Estratégias Saúde da Família (ESF), de Lagoa Seca-PB. O presente trabalho foi desenvolvido seguindo uma metodologia do tipo descritiva, com abordagem qualitativa e quantitativa. A coleta de dados foi realizada através de amostragem com aplicação de questionários contendo perguntas objetivas e subjetivas no período de setembro a outubro de 2013 em 40 gestantes das ESF. Das 40 gestantes entrevistadas 72% fazem uso de plantas medicinais, 33% tem o conhecimento que o uso dessas plantas pode ocasionar toxicidade ao ser humano, 22% usaram algum tipo de planta medicinal tóxica para o aborto e 33% dos abortos foi induzido. As principais plantas consideradas abortíferas, pelas gestantes, foram à cabacinha (Luffa operculata L.) com (70%), Quebra Pedra (Phyllanthus amarus P.) (47%), Boldo do Chile (Peumus boldus P.) (22%), Sene (Cassia angustifólia C.) (17%), Arnica (Arnica Montana A.) (10%), entre outras. Mesmo sem o devido conhecimento das propriedades tóxicas existentes nas plantas medicinais, as gestantes fazem uso das mesmas, uma vez que o conhecimento passado por gerações é disseminado de forma benéfica desconsiderando essas propriedades. Todavia, quando usadas de forma indiscriminada ocasiona efeitos colaterais podendo gerar sérios problemas de âmbito físico e psíquicos."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIA"
    "palavra_chave" => "INTOXICAÇÕES, ABORTO, LUFFA OPERCULATA L"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_1datahora_15_08_2014_18_44_08_idinscrito_3625_3e3b547b4350e3091e6cba54467ddef7.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:27"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ROMERO SILVA DE FARIAS"
    "autor_nome_curto" => "ROMERO SILVA"
    "autor_email" => "romero.dmi@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

As observações populares sobre o uso e a eficácia de plantas medicinais contribuem de forma relevante para a divulgação das virtudes terapêuticas dos vegetais. As intoxicações provocadas por plantas têm se constituído ao longo dos anos trazendo grave problema para a saúde da população. Existem muitas plantas que são utilizadas pela medicina popular como abortivas durante a gravidez precoce e indesejada. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa foi avaliar a percepção das gestantes sobre o uso de plantas medicinais com propriedades tóxicas nas Estratégias Saúde da Família (ESF), de Lagoa Seca-PB. O presente trabalho foi desenvolvido seguindo uma metodologia do tipo descritiva, com abordagem qualitativa e quantitativa. A coleta de dados foi realizada através de amostragem com aplicação de questionários contendo perguntas objetivas e subjetivas no período de setembro a outubro de 2013 em 40 gestantes das ESF. Das 40 gestantes entrevistadas 72% fazem uso de plantas medicinais, 33% tem o conhecimento que o uso dessas plantas pode ocasionar toxicidade ao ser humano, 22% usaram algum tipo de planta medicinal tóxica para o aborto e 33% dos abortos foi induzido. As principais plantas consideradas abortíferas, pelas gestantes, foram à cabacinha (Luffa operculata L.) com (70%), Quebra Pedra (Phyllanthus amarus P.) (47%), Boldo do Chile (Peumus boldus P.) (22%), Sene (Cassia angustifólia C.) (17%), Arnica (Arnica Montana A.) (10%), entre outras. Mesmo sem o devido conhecimento das propriedades tóxicas existentes nas plantas medicinais, as gestantes fazem uso das mesmas, uma vez que o conhecimento passado por gerações é disseminado de forma benéfica desconsiderando essas propriedades. Todavia, quando usadas de forma indiscriminada ocasiona efeitos colaterais podendo gerar sérios problemas de âmbito físico e psíquicos.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.