Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

LEI 10.639/03: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO COMBATE AO RACISMO NA ESCOLA

Palavra-chaves: LEI 10.639/03, PRÁTICAS PEDAGÓGICAS, RACISMO Pôster (PO) EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 7447
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 592
    "inscrito_id" => 2224
    "titulo" => "LEI 10.639/03: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO COMBATE AO RACISMO NA ESCOLA"
    "resumo" => "LEI 10.639/03: práticas pedagógicas no combate ao racismo na escola  Vanusa Diniz Targino – UFPB- Graduanda em Licenciatura em História; vanusadiniztargino@hotmail.comSuelídia Maria Calaça - Prof.ª Doutora da UFPB-João Pessoa;Sueluc88@hotmail.comFernanda Mendes Cabral Coelho – UFPB/CE/DHP.fmcabralcoelho@gmail.com.brResumoA Lei 10.639/03 torna obrigatório o ensino de História e Cultura afro-brasileira nas escolas de todo país, deste modo se faz necessário desenvolver métodos que possam auxiliar o professor a promover e valorizar das diferenças, estimular as relações étnico-raciais e combater o racismo na escola. Deste modo se torna imprescindível incentivar o debate sobre o preconceito racial, como também, conhecer as representações dos adolescentes, com relação às questões étnico-raciais. Para tanto, aplicamos o método da pesquisa empírica qualitativa que utilizou como instrumentos, a aplicação de técnicas pedagógicas para explanação e captação das representações dos sujeitos, através das diversas atividades como, debate sobre racismo, trabalho em equipe (seminários), roda de capoeira com o mestre de cultura popular, aula sobre a história da capoeira e a realização do 1º Encontro de Cultura Afro-brasileira da escola, com apresentações de dança, teatro e música. Todas as etapas foram registradas através de imagens fotográficas. Durante os debates e seminários possibilitamos aos adolescentes, refletir e construir conhecimento sobre relações étnico-raciais, a partir dos relatos de experiências e pesquisas sobre casos de racismo apresentados na televisão e na internet. Solicitamos a colaboração do mestre de cultura popular, que organizou um debate sobre a história da Capoeira e apresentou uma roda de capoeira, trazendo elementos da cultura afro-brasileira para o espaço escolar, através dessas ações constatamos uma maior interação dos alunos com a cultura e despertamos o interesse em praticar a capoeira. Deste modo podemos constatar que, com a utilização de técnicas lúdicas podemos introduzir o debate sobre a problemática do preconceito étnico-racial nas escolas, através de práticas pedagógicas que possibilitem ao aluno construir conhecimento para realizar uma análise crítica da sociedade. Por tanto concluímos que a Herança Afro-brasileira deve ser reconhecida e respeitada por todos, para que esse objetivo seja alcançado se faz necessário ensinar as crianças, nossa história e nossas raízes. Conhecendo suas origens será possível desenvolver uma visão de mundo baseada na tolerância e no respeito às diferenças, que servirão de base para a construção de uma nova sociedade. O professor é a peça chave nesta proposta de mudança social, por essa razão, é necessário orienta-lo e incentiva-lo, pois através da mediação do professor as crianças poderão enxergar a sociedade. É fundamental conhecer para respeitar, nossas crianças precisam reconhecer que as diferenças étnico-raciais fazem parte da identidade do povo brasileiro e são fontes de enriquecimento da cultura nacional.Palavras-chave: Lei 10.639/03, Práticas Pedagógicas, Racismo."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS"
    "palavra_chave" => "LEI 10.639/03, PRÁTICAS PEDAGÓGICAS, RACISMO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_09_08_2014_20_07_55_idinscrito_2224_5f589a55c70065fdcdcd1ef723be848b.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "VANUSA DINIZ TARGINO"
    "autor_nome_curto" => "VANUSA DINIZ"
    "autor_email" => "vanusadiniztargino@hotmai"
    "autor_ies" => "UFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 7447
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 592
    "inscrito_id" => 2224
    "titulo" => "LEI 10.639/03: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO COMBATE AO RACISMO NA ESCOLA"
    "resumo" => "LEI 10.639/03: práticas pedagógicas no combate ao racismo na escola  Vanusa Diniz Targino – UFPB- Graduanda em Licenciatura em História; vanusadiniztargino@hotmail.comSuelídia Maria Calaça - Prof.ª Doutora da UFPB-João Pessoa;Sueluc88@hotmail.comFernanda Mendes Cabral Coelho – UFPB/CE/DHP.fmcabralcoelho@gmail.com.brResumoA Lei 10.639/03 torna obrigatório o ensino de História e Cultura afro-brasileira nas escolas de todo país, deste modo se faz necessário desenvolver métodos que possam auxiliar o professor a promover e valorizar das diferenças, estimular as relações étnico-raciais e combater o racismo na escola. Deste modo se torna imprescindível incentivar o debate sobre o preconceito racial, como também, conhecer as representações dos adolescentes, com relação às questões étnico-raciais. Para tanto, aplicamos o método da pesquisa empírica qualitativa que utilizou como instrumentos, a aplicação de técnicas pedagógicas para explanação e captação das representações dos sujeitos, através das diversas atividades como, debate sobre racismo, trabalho em equipe (seminários), roda de capoeira com o mestre de cultura popular, aula sobre a história da capoeira e a realização do 1º Encontro de Cultura Afro-brasileira da escola, com apresentações de dança, teatro e música. Todas as etapas foram registradas através de imagens fotográficas. Durante os debates e seminários possibilitamos aos adolescentes, refletir e construir conhecimento sobre relações étnico-raciais, a partir dos relatos de experiências e pesquisas sobre casos de racismo apresentados na televisão e na internet. Solicitamos a colaboração do mestre de cultura popular, que organizou um debate sobre a história da Capoeira e apresentou uma roda de capoeira, trazendo elementos da cultura afro-brasileira para o espaço escolar, através dessas ações constatamos uma maior interação dos alunos com a cultura e despertamos o interesse em praticar a capoeira. Deste modo podemos constatar que, com a utilização de técnicas lúdicas podemos introduzir o debate sobre a problemática do preconceito étnico-racial nas escolas, através de práticas pedagógicas que possibilitem ao aluno construir conhecimento para realizar uma análise crítica da sociedade. Por tanto concluímos que a Herança Afro-brasileira deve ser reconhecida e respeitada por todos, para que esse objetivo seja alcançado se faz necessário ensinar as crianças, nossa história e nossas raízes. Conhecendo suas origens será possível desenvolver uma visão de mundo baseada na tolerância e no respeito às diferenças, que servirão de base para a construção de uma nova sociedade. O professor é a peça chave nesta proposta de mudança social, por essa razão, é necessário orienta-lo e incentiva-lo, pois através da mediação do professor as crianças poderão enxergar a sociedade. É fundamental conhecer para respeitar, nossas crianças precisam reconhecer que as diferenças étnico-raciais fazem parte da identidade do povo brasileiro e são fontes de enriquecimento da cultura nacional.Palavras-chave: Lei 10.639/03, Práticas Pedagógicas, Racismo."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS"
    "palavra_chave" => "LEI 10.639/03, PRÁTICAS PEDAGÓGICAS, RACISMO"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_09_08_2014_20_07_55_idinscrito_2224_5f589a55c70065fdcdcd1ef723be848b.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:26"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "VANUSA DINIZ TARGINO"
    "autor_nome_curto" => "VANUSA DINIZ"
    "autor_email" => "vanusadiniztargino@hotmai"
    "autor_ies" => "UFPB"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

LEI 10.639/03: práticas pedagógicas no combate ao racismo na escola Vanusa Diniz Targino – UFPB- Graduanda em Licenciatura em História; vanusadiniztargino@hotmail.comSuelídia Maria Calaça - Prof.ª Doutora da UFPB-João Pessoa;Sueluc88@hotmail.comFernanda Mendes Cabral Coelho – UFPB/CE/DHP.fmcabralcoelho@gmail.com.brResumoA Lei 10.639/03 torna obrigatório o ensino de História e Cultura afro-brasileira nas escolas de todo país, deste modo se faz necessário desenvolver métodos que possam auxiliar o professor a promover e valorizar das diferenças, estimular as relações étnico-raciais e combater o racismo na escola. Deste modo se torna imprescindível incentivar o debate sobre o preconceito racial, como também, conhecer as representações dos adolescentes, com relação às questões étnico-raciais. Para tanto, aplicamos o método da pesquisa empírica qualitativa que utilizou como instrumentos, a aplicação de técnicas pedagógicas para explanação e captação das representações dos sujeitos, através das diversas atividades como, debate sobre racismo, trabalho em equipe (seminários), roda de capoeira com o mestre de cultura popular, aula sobre a história da capoeira e a realização do 1º Encontro de Cultura Afro-brasileira da escola, com apresentações de dança, teatro e música. Todas as etapas foram registradas através de imagens fotográficas. Durante os debates e seminários possibilitamos aos adolescentes, refletir e construir conhecimento sobre relações étnico-raciais, a partir dos relatos de experiências e pesquisas sobre casos de racismo apresentados na televisão e na internet. Solicitamos a colaboração do mestre de cultura popular, que organizou um debate sobre a história da Capoeira e apresentou uma roda de capoeira, trazendo elementos da cultura afro-brasileira para o espaço escolar, através dessas ações constatamos uma maior interação dos alunos com a cultura e despertamos o interesse em praticar a capoeira. Deste modo podemos constatar que, com a utilização de técnicas lúdicas podemos introduzir o debate sobre a problemática do preconceito étnico-racial nas escolas, através de práticas pedagógicas que possibilitem ao aluno construir conhecimento para realizar uma análise crítica da sociedade. Por tanto concluímos que a Herança Afro-brasileira deve ser reconhecida e respeitada por todos, para que esse objetivo seja alcançado se faz necessário ensinar as crianças, nossa história e nossas raízes. Conhecendo suas origens será possível desenvolver uma visão de mundo baseada na tolerância e no respeito às diferenças, que servirão de base para a construção de uma nova sociedade. O professor é a peça chave nesta proposta de mudança social, por essa razão, é necessário orienta-lo e incentiva-lo, pois através da mediação do professor as crianças poderão enxergar a sociedade. É fundamental conhecer para respeitar, nossas crianças precisam reconhecer que as diferenças étnico-raciais fazem parte da identidade do povo brasileiro e são fontes de enriquecimento da cultura nacional.Palavras-chave: Lei 10.639/03, Práticas Pedagógicas, Racismo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.