Artigo Anais do V CONAPESC

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

Visualizações: 181
ASPECTOS TERAPÊUTICOS DA LEISHMANIOSE CUTÂNEA POR MEIO DA ASSOCIAÇÃO DE TAMOXIFENO E MILTEFOSINA: UMA REVISÃO

Palavra-chaves: LEISHMANIOSE, TAMOXIFENO, MILTEFOSINA, LEISHMANIA AMAZONENSIS, Comunicação Oral (Artigo Completo) AT 05: Ciências da Saúde: abordagens na Pesquisa e no Ensino Publicado em 10 de dezembro de 2020

Resumo

OS PROTOZOÁRIOS DO GÉNERO LEISHMANIA SÃO OS AGENTES ETIOLÓGICOS DA LEISHMANIOSE, UM COMPLEXO DE DOENÇAS DISTRIBUÍDAS MUNDIALMENTE, QUE APRESENTAM UM AMPLO ESPECTRO DE MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS, DE ACORDO COM A ESPÉCIE CAUSAL E O ESTADO IMUNOLÓGICO DO HOSPEDEIRO. ATUALMENTE, SÃO CLASSIFICADAS MAIS DE 50 ESPÉCIES, SENDO MAIS DE 20 PATOGÊNICAS AOS SERES HUMANOS, QUE PODEM CAUSAR LEISHMANIOSE VISCERAL OU TEGUMENTAR, SENDO ESTA ÚLTIMA A MAIS COMUMENTE ENCONTRADA NO BRASIL. O TRATAMENTO É, PRINCIPALMENTE, MEDICAMENTOSO, UTILIZANDO FÁRMACOS COMO OS ANTIMONIAIS PENTAVALENTES, A ANFOTERICINA B, AS PENTAMIDINAS, A MILTEFOSINA E A PENTOXIFILINA, ALÉM DE OUTRAS TERAPIAS QUE SÃO UTILIZADAS COMO ADJUVANTES E QUE PODEM SER REALIZADAS COMBINAÇÃO DE DOIS OU MAIS FÁRMACOS. ENTRETANTO, OS MEDICAMENTOS APRESENTAM DIVERSAS LIMITAÇÕES, COMO OS EFEITOS COLATERAIS E A ELEVADA TOXICIDADE. ESSES FATORES SÃO DETERMINANTES PARA A BUSCA POR NOVOS AGENTES TERAPÊUTICOS NO ENFRENTAMENTO À LEISHMANIOSE.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.