Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 143
ESCOLA SEGUNDO PIERRE BOURDIE, MICHEL FOUCAULT E PAULO FREIRE: UMA ANÁLISE CRÍTICA

Palavra-chaves: ESCOLA, EDUCAÇÃO, ENSINO Pôster (PO) FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO

Resumo

Introdução: A idéia de juntar pessoas em um local para a captação de conhecimento e difusão de saberes vem desde a Antiguidade. O sistema de educação primária iniciou-se em diversas partes no mundo: Grécia, Roma, Índia e China cada um embebecido com sua cultura local. Mas foi na Europa, durante os séculos XIV e XV ocorreu a expansão da instituição pela necessidade de divulgar os preceitos e da escrita entre os mais nobres. Aos poucos a escola consegue se transforma num local de controle eclesiástico e político do povo. Frequentá-la é uma prova de honradez, utilidade e de crescimento profissional. Na verdade, a oferta de aprendizado é centrada na aquisição de competências precisas para o desempenho do papel do sujeito como cidadão. Objetivos: O objetivo geral deste trabalho visa retirar das produções cientificas de Pierre Bourdieu, Michel Foucault e Paulo Freire posicionamentos concordantes e discordantes. Além de revisar os documentos existentes sobre os autores, ordenar as principais idéias, a partir da revisão de literatura, com o objetivo especifico de analisar e interpretar as críticas feitas ao sistema escolar. Metodologia: Realizou-se uma seleção de várias produções cientificas, livros, periódicos e artigos cujos autores são sociólogos e filósofos educacionais, a fim de identificar suas principais ideias em relação a instituição “escola” . O estudo se voltar para duas questões básicas: análise comparativa das obras de Pierre Bourdieu, Michel Foucault e Paulo Freire e a construção de ideia conclusiva, quanto tema. A Pesquisa bibliográfica eiva-se de caráter qualitativo e descritivo. Resultados: A função da escola, ao longo do tempo assumiu diversas conotações quanto seu verdadeiro papel. E diante das analises dos discursos de Pierre Bourdieu, Michel Foucault e Paulo Freire verificou-se, claramente concepções diferentes, ora concordantes e discordantes. Conclusão: Apesar dos autores não ter desenvolvido modelos pedagógicos, suas idéias ajudaram a compreender o significado social da instituição, onde a educação deixa de ser vista de forma individualista e sim através de uma perspectiva coletiva. PALAVRAS-CHAVES: escola, educação, ensino REFERÊNCIASALMEIDA CUNHA, Maria Amália de. O conceito “capital cultural” em Pierre Bourdieu e a herança etnográfica. Perspectiva, v. 25, n. 2, p. 503-524, 2007.BORGES, Juliano Luis. Escola e disciplina: uma abordagem foucaultiana. Revista Urutágua, n, 2004.FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2003. _____________. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1977. FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não. Olho D'agua, 1997.FREIRE, Paulo; CAMPOS, Marcio D.'Olne. Da leitura da palavra à leitura de mundo. Campinas: Paz e Terra, 1982.VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a educação. Distribuidora Autentica LTDA, 2007.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.