Artigo Anais V CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 306
"PENSANDO FORA DA CAIXA": A PERMACULTURA COMO PRÁTICA DE ENSINO NO MUNICÍPIO DE SALGADINHO -PB.

Palavra-chaves: PERMACULTURA, EDUCAÇÃO AMBIENTAL, SALGADINHO - PB Pôster (PO) GT 14. Educação Ambiental

Resumo

A permacultura foi criada como uma técnica de agricultura permanente no final de 1970. Na década de 1980, a permacultura chegou ao Brasil em citações de livros principalmente voltados para agricultura sustentável, na época chamada de agricultura alternativa e se solidificou efetivamente no início dos anos 1990 . Os Institutos de Permacultura podem ser entendidos como espaços não formais de ensino. A prática da Educação Ambiental e a permacultura na escola buscam formas de proporcionar aos alunos a construção de hábitos saudáveis e sustentáveis, tornando-se conscientes da necessidade de transformação social. A presente pesquisa se deu com a realização de palestras,oficinas,limpeza de espaços públicos urbanos, coordenadas pela equipe de Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Secretaria de Assistência Social, no município de Salgadinho-PB.Tentando vencer o distanciamento existente entre um discurso transformador e a efetivação de processos contínuos, participativos e práticos, sugerindo a busca de ideias fora do conhecimento hegemônico e das práticas instituídas, propondo uma aproximação entre conhecimentos escolares, científicos e tradicionais, junto a um engajamento efetivo para a solução de problemas apostando na criação de novas alternativas. As ações envolvem 13 jovens entre 12 e 17 anos, alunos do Núcleo e começou com a mobilização e limpeza de um espaço público em desuso, cedido pela Prefeitura. . As atividades foram-são baseadas em princípios permaculturais como: observação, interação, obtenção de rendimento, uso e valorização de serviços e recursos renováveis, reaproveitamento de materiais recicláveis incentivando a criatividade dos alunos por meio da arte e valorização da diversidade.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.