Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 280
PILHA DE DANIELL: CONCEPÇÕES APRESENTADAS POR ALUNOS DO 2º ANO DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE ITUIUTABA- MG

Palavra-chaves: ELETROQUÍMICA, ENSINO DE QUÍMICA, EXPERIMENTAÇÃO Comunicação Oral (CO) GT 16 – Ensino de Ciências Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Na maioria das vezes os conteúdos químicos são ministrados pelos professores de forma fragmentada, descontextualizada e sem levar em consideração as concepções apresentadas pelos alunos, antes de iniciar a abordagem de um conteúdo. O conteúdo de Eletroquímica apresenta várias aplicações em nosso cotidiano, como por exemplo, potentes baterias portáteis, pilhas, processos de eletrodeposição relacionados à prevenção da corrosão nos metais, envelhecimento da pele, fotossíntese entre outros, entretanto um número significativo de alunos apresenta dificuldades para entender diversos conteúdos químicos, alegando que a disciplina de química é complexa. Uma das metodologias que podem ser utilizadas nas aulas a fim de facilitar o entendimento dos alunos em relação a um conteúdo é a experimentação, quando a mesma é bem planejada. O presente trabalho é um recorte de uma pesquisa realizada nas aulas de Química referente ao conteúdo de Eletroquímica. A mesma constitui na elaboração e aplicação de uma sequência didática para três turmas de 2º ano de uma escola pública do Triângulo Mineiro, a qual foi denominada de Sequência Didática Piloto (SDP). Neste contexto, o presente trabalho tem como objetivo analisar as concepções apresentadas por discentes de duas turmas do 2º ano do Ensino Médio, após a realização da atividade experimental Pilha de Daniell, bem como refletir sobre a realização da mesma. A atividade prática realizada foi uma adaptação de um experimento contido em um livro de Química. Durante a realização da atividade experimental, observou o quanto à mesma despertou a atenção dos estudantes. Após a realização da atividade, foi solicitado aos alunos que reproduzissem, por meio de um desenho, o que aconteceu na experiência e elaborassem uma explicação para o fenômeno observado. Com base nas respostas analisadas, verificou-se que dos oito alunos do 2º A que explicaram em qual dos eletrodos ocorre o processo de oxidação, dois trocaram a classificação. Já no 2º C, os discentes apresentaram um maior entendimento em relação à função da ponte salina. Todo o processo reflexivo vivenciado pela professora durante a aplicação da atividade contribuiu para sua formação docente, já que a mesma passou a entender mais sobre o próprio assunto.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.