Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

AS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: AVANÇOS E RETROCESSOS OS INDÍCIOS DA LÓGICA MEDICALIZANTE

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO ESPECIAL, MEDICALIZAÇÃO, POLÍTICAS PÚBLICAS Pôster (PO) GT 10 - Educação Especial
"2017-12-20 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 35951
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 4945
    "inscrito_id" => 10339
    "titulo" => "AS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: AVANÇOS E RETROCESSOS OS INDÍCIOS DA LÓGICA MEDICALIZANTE"
    "resumo" => "O surgimento e a permanência da lógica medicalizante nas escolas é decorrente de diferentes processos, inclusive da interferência de organismo internacionais nas políticas educacionais brasileiras das últimas décadas. O fenômeno da medicalização é definido por Moysés e Collares (2010) como um redimensionamento de questões de ordem escolar, social, econômica e política para o campo médico, compreendidas a partir de um olhar individualizante, o que implica em mudanças profundas na construção de políticas públicas educacionais.  Ao analisar a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, Angelucci (2014) destaca a adoção da terminologia médica para a definição de proposta e políticas educacionais. O trabalho tem como objetivo compreender os indícios dessa lógica na política brasileira de Educação Especial, sob a ótica do Paradigma Indiciário de Ginzburg (1989), por meio da análise dos seguintes documentos: Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, do Documento Final da Conferência Nacional da Educação de 2014 e do Plano Nacional de Educação (2014-2024). Os resultados indicam dois movimentos contrapostos, o primeiro refere-se à criação de estratégias para superação do preconceito e para o fortalecimento de práticas inclusivas, voltadas para a oferta de ensino de qualidade a partir da introdução metodologias e tecnologia assitiva, além do incentivo à oferta de formação continuada às(aos) professoras(es) em temáticas que abordam a questão da diversidade.  Já o segundo, reflete a permanência da lógica medicalizante nos documentos analisados, principalmente em relação às terminologias utilizadas sem a devida reflexão sobre as implicações na trajetória dos(as) alunos(as) caracterizados(as) como público-alvo da Educação Especial."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 10 - Educação Especial"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO ESPECIAL, MEDICALIZAÇÃO, POLÍTICAS PÚBLICAS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA10_ID10339_17102017145444.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:20"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:04"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "KELLY CRISTINA DOS SANTOS SILVA"
    "autor_nome_curto" => "KELLY SANTOS"
    "autor_email" => "kesantos@usp.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 35951
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 4945
    "inscrito_id" => 10339
    "titulo" => "AS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: AVANÇOS E RETROCESSOS OS INDÍCIOS DA LÓGICA MEDICALIZANTE"
    "resumo" => "O surgimento e a permanência da lógica medicalizante nas escolas é decorrente de diferentes processos, inclusive da interferência de organismo internacionais nas políticas educacionais brasileiras das últimas décadas. O fenômeno da medicalização é definido por Moysés e Collares (2010) como um redimensionamento de questões de ordem escolar, social, econômica e política para o campo médico, compreendidas a partir de um olhar individualizante, o que implica em mudanças profundas na construção de políticas públicas educacionais.  Ao analisar a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, Angelucci (2014) destaca a adoção da terminologia médica para a definição de proposta e políticas educacionais. O trabalho tem como objetivo compreender os indícios dessa lógica na política brasileira de Educação Especial, sob a ótica do Paradigma Indiciário de Ginzburg (1989), por meio da análise dos seguintes documentos: Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, do Documento Final da Conferência Nacional da Educação de 2014 e do Plano Nacional de Educação (2014-2024). Os resultados indicam dois movimentos contrapostos, o primeiro refere-se à criação de estratégias para superação do preconceito e para o fortalecimento de práticas inclusivas, voltadas para a oferta de ensino de qualidade a partir da introdução metodologias e tecnologia assitiva, além do incentivo à oferta de formação continuada às(aos) professoras(es) em temáticas que abordam a questão da diversidade.  Já o segundo, reflete a permanência da lógica medicalizante nos documentos analisados, principalmente em relação às terminologias utilizadas sem a devida reflexão sobre as implicações na trajetória dos(as) alunos(as) caracterizados(as) como público-alvo da Educação Especial."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 10 - Educação Especial"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO ESPECIAL, MEDICALIZAÇÃO, POLÍTICAS PÚBLICAS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA10_ID10339_17102017145444.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:20"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:04"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "KELLY CRISTINA DOS SANTOS SILVA"
    "autor_nome_curto" => "KELLY SANTOS"
    "autor_email" => "kesantos@usp.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

O surgimento e a permanência da lógica medicalizante nas escolas é decorrente de diferentes processos, inclusive da interferência de organismo internacionais nas políticas educacionais brasileiras das últimas décadas. O fenômeno da medicalização é definido por Moysés e Collares (2010) como um redimensionamento de questões de ordem escolar, social, econômica e política para o campo médico, compreendidas a partir de um olhar individualizante, o que implica em mudanças profundas na construção de políticas públicas educacionais. Ao analisar a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, Angelucci (2014) destaca a adoção da terminologia médica para a definição de proposta e políticas educacionais. O trabalho tem como objetivo compreender os indícios dessa lógica na política brasileira de Educação Especial, sob a ótica do Paradigma Indiciário de Ginzburg (1989), por meio da análise dos seguintes documentos: Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, do Documento Final da Conferência Nacional da Educação de 2014 e do Plano Nacional de Educação (2014-2024). Os resultados indicam dois movimentos contrapostos, o primeiro refere-se à criação de estratégias para superação do preconceito e para o fortalecimento de práticas inclusivas, voltadas para a oferta de ensino de qualidade a partir da introdução metodologias e tecnologia assitiva, além do incentivo à oferta de formação continuada às(aos) professoras(es) em temáticas que abordam a questão da diversidade. Já o segundo, reflete a permanência da lógica medicalizante nos documentos analisados, principalmente em relação às terminologias utilizadas sem a devida reflexão sobre as implicações na trajetória dos(as) alunos(as) caracterizados(as) como público-alvo da Educação Especial.

Compartilhe:

Visualização do Artigo

Infelizmente, não conseguimos localizar o arquivo para download. Mas não se preocupe, nossa equipe já foi notificada do problema e já estamos trabalhando para a resolução! Tente novamente mais tarde!

Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.