Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

A DIFERENÇA COMO FATOR DE EXCLUSÃO: CONTRIBUIÇÕES DOS ESTUDOS CULTURAIS NAS PESQUISAS SOBRE LÍNGUA DE SINAIS

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO DE SURDOS, LINGUA MINORITÁRIA, LINGUA DE SINAIS, ESTUDOS CULTURAIS Comunicação Oral (CO) GT 10 - Educação Especial
"2017-12-20 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1638
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 35096
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 4166
    "inscrito_id" => 9758
    "titulo" => "A DIFERENÇA COMO FATOR DE EXCLUSÃO: CONTRIBUIÇÕES DOS ESTUDOS CULTURAIS NAS PESQUISAS SOBRE LÍNGUA DE SINAIS"
    "resumo" => "Esse trabalho constitui um recorte da tese desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem na UFF na linha História, Política e Contato linguístico. No Brasil a difusão da Língua de Sinais é recente e apenas após da aprovação em 2002 do Decreto 5.626 a discussão provocada sobre a educação dos sujeitos surdos ganhou visibilidade. A discussão vem sendo ampliada tanto no que se refere ao fortalecimento do movimento surdo, quanto no que se refere às reflexões dos profissionais envolvidos com a educação a respeito das práticas pedagógicas utilizadas no processo de ensino-aprendizagem desses indivíduos. Nosso objetivo é mapear o cenário de produção de pesquisa sobre a educação de surdos e a Língua de Sinais no Brasil a fim de compreender como tem se constituído os contornos desse campo de estudo. O crescente aumento de pesquisa sobre políticas públicas para minorias e diversidade, em particular as que propõe resgatar e garantir direitos à população historicamente excluída se apresenta como fruto das transformações sociais, políticas, econômicas e culturais das últimas décadas. A análise dessa produção lança luz sobre a efetividade das políticas no que se refere à alteração das dinâmicas e da representação social desses sujeitos. Os cursos de Pós-graduação se apresentam como lugar privilegiado de produção do conhecimento e desta forma a divulgação das pesquisas sobre a temática se apresenta como um instrumento importante de política linguística e capaz de dar a ver o uso e a circularidade destas questões nas diferentes áreas do conhecimento. Em relação à concepção de surdez, os Estudos Surdos contrapõem-se à interpretação da surdez definida como deficiência, que concebe a pessoa surda a partir da ótica da deficiência e procuram enfatizar a diferença, e não a “deficiência”. Para essa concepção de surdez, o que caracteriza a comunidade surda não é apenas a deficiência da audição, sendo necessário considerar outros aspectos como a questão cultural e linguística. Entre nossas principais referências destacam-se os trabalhos de Cooper (1997), Calvet(2007), Bourdieu (1987) e Guespin & Marcellesi(1986)."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 10 - Educação Especial"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO DE SURDOS, LINGUA MINORITÁRIA, LINGUA DE SINAIS, ESTUDOS CULTURAIS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD1_SA10_ID9758_16102017183101.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:20"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:00"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "STELA CABRAL DE ANDRADE"
    "autor_nome_curto" => "STELA C.ANDRADE"
    "autor_email" => "stela.andrade@ifsudestemg"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE (UFF)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 35096
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 4166
    "inscrito_id" => 9758
    "titulo" => "A DIFERENÇA COMO FATOR DE EXCLUSÃO: CONTRIBUIÇÕES DOS ESTUDOS CULTURAIS NAS PESQUISAS SOBRE LÍNGUA DE SINAIS"
    "resumo" => "Esse trabalho constitui um recorte da tese desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem na UFF na linha História, Política e Contato linguístico. No Brasil a difusão da Língua de Sinais é recente e apenas após da aprovação em 2002 do Decreto 5.626 a discussão provocada sobre a educação dos sujeitos surdos ganhou visibilidade. A discussão vem sendo ampliada tanto no que se refere ao fortalecimento do movimento surdo, quanto no que se refere às reflexões dos profissionais envolvidos com a educação a respeito das práticas pedagógicas utilizadas no processo de ensino-aprendizagem desses indivíduos. Nosso objetivo é mapear o cenário de produção de pesquisa sobre a educação de surdos e a Língua de Sinais no Brasil a fim de compreender como tem se constituído os contornos desse campo de estudo. O crescente aumento de pesquisa sobre políticas públicas para minorias e diversidade, em particular as que propõe resgatar e garantir direitos à população historicamente excluída se apresenta como fruto das transformações sociais, políticas, econômicas e culturais das últimas décadas. A análise dessa produção lança luz sobre a efetividade das políticas no que se refere à alteração das dinâmicas e da representação social desses sujeitos. Os cursos de Pós-graduação se apresentam como lugar privilegiado de produção do conhecimento e desta forma a divulgação das pesquisas sobre a temática se apresenta como um instrumento importante de política linguística e capaz de dar a ver o uso e a circularidade destas questões nas diferentes áreas do conhecimento. Em relação à concepção de surdez, os Estudos Surdos contrapõem-se à interpretação da surdez definida como deficiência, que concebe a pessoa surda a partir da ótica da deficiência e procuram enfatizar a diferença, e não a “deficiência”. Para essa concepção de surdez, o que caracteriza a comunidade surda não é apenas a deficiência da audição, sendo necessário considerar outros aspectos como a questão cultural e linguística. Entre nossas principais referências destacam-se os trabalhos de Cooper (1997), Calvet(2007), Bourdieu (1987) e Guespin & Marcellesi(1986)."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 10 - Educação Especial"
    "palavra_chave" => "EDUCAÇÃO DE SURDOS, LINGUA MINORITÁRIA, LINGUA DE SINAIS, ESTUDOS CULTURAIS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD1_SA10_ID9758_16102017183101.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:20"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:00"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "STELA CABRAL DE ANDRADE"
    "autor_nome_curto" => "STELA C.ANDRADE"
    "autor_email" => "stela.andrade@ifsudestemg"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE (UFF)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Esse trabalho constitui um recorte da tese desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem na UFF na linha História, Política e Contato linguístico. No Brasil a difusão da Língua de Sinais é recente e apenas após da aprovação em 2002 do Decreto 5.626 a discussão provocada sobre a educação dos sujeitos surdos ganhou visibilidade. A discussão vem sendo ampliada tanto no que se refere ao fortalecimento do movimento surdo, quanto no que se refere às reflexões dos profissionais envolvidos com a educação a respeito das práticas pedagógicas utilizadas no processo de ensino-aprendizagem desses indivíduos. Nosso objetivo é mapear o cenário de produção de pesquisa sobre a educação de surdos e a Língua de Sinais no Brasil a fim de compreender como tem se constituído os contornos desse campo de estudo. O crescente aumento de pesquisa sobre políticas públicas para minorias e diversidade, em particular as que propõe resgatar e garantir direitos à população historicamente excluída se apresenta como fruto das transformações sociais, políticas, econômicas e culturais das últimas décadas. A análise dessa produção lança luz sobre a efetividade das políticas no que se refere à alteração das dinâmicas e da representação social desses sujeitos. Os cursos de Pós-graduação se apresentam como lugar privilegiado de produção do conhecimento e desta forma a divulgação das pesquisas sobre a temática se apresenta como um instrumento importante de política linguística e capaz de dar a ver o uso e a circularidade destas questões nas diferentes áreas do conhecimento. Em relação à concepção de surdez, os Estudos Surdos contrapõem-se à interpretação da surdez definida como deficiência, que concebe a pessoa surda a partir da ótica da deficiência e procuram enfatizar a diferença, e não a “deficiência”. Para essa concepção de surdez, o que caracteriza a comunidade surda não é apenas a deficiência da audição, sendo necessário considerar outros aspectos como a questão cultural e linguística. Entre nossas principais referências destacam-se os trabalhos de Cooper (1997), Calvet(2007), Bourdieu (1987) e Guespin & Marcellesi(1986).

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.