Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

FUNDAMENTOS DO INGLÊS INSTRUMENTAL E AS VÁRIAS FACES DO PROFESSOR

Palavra-chaves: ENSINO, INGLÊS INSTRUMENTAL, PROFESSOR Comunicação Oral (CO) GT14-ESTUDOS DE LÍNGUA INGLESA E FORMAÇÃO DOCENTE
"2017-04-27 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 27365
    "edicao_id" => 57
    "trabalho_id" => 278
    "inscrito_id" => 609
    "titulo" => "FUNDAMENTOS DO INGLÊS INSTRUMENTAL E AS VÁRIAS FACES DO PROFESSOR"
    "resumo" => "O Inglês para Fins Específicos, mais conhecido no Brasil como Inglês Instrumental, o qual é um dos ramos do ensino de Inglês como língua estrangeira, começou a ganhar visibilidade entre os anos 60 e 70, resultante de uma grande expansão econômica, científica e tecnológica, do desenvolvimento de novas pesquisas em Linguística Aplicada, que mudaram o foco do ensino, e de um considerável progresso da Psicologia Educacional.  Daí surgiu um tipo de curso, que se diferenciava dos cursos que até então eram oferecidos e reconhecidos formalmente. Como o próprio nome sugere, em cursos de Inglês Instrumental, a língua-alvo é usada como um instrumento para que o aprendiz possa realizar determinadas tarefas. Tendo em vista isso, nessa abordagem o que determina o que e quais habilidades linguísticas serão abordadas são as necessidades do aprendiz, isto é, o curso é projetado pensando nas necessidades e especificidades do aluno, assim, por estar em consonância com as exigências atuais dos aprendizes, este tem ganhado notoriedade na área. Considerando a grande expansão do ensino de Inglês Instrumental, torna-se necessário por parte de professores de língua inglesa, tanto os atuantes como aqueles que ainda estão em formação inicial conhecer tal abordagem em suas particularidades. Dessa forma, o objetivo deste artigo é apresentar uma visão geral do desenvolvimento do Inglês Instrumental, discutindo relações pertinentes sobre a temática, tais como definições do termo, seu surgimento, principais características e tipos, e, sobretudo, o papel do professor, que se distingue da do professor de cursos de Inglês Geral e transcende a função de ensinar. Para tal, foi realizado um estudo de caráter bibliográfico, que se propõe revisar o estado da arte, para um melhor embasamento das discussões aqui apresentadas. Assim, serão usados como suporte teórico os trabalhos de Robinson (1981), Hutchinson & Waters (1987), Strevens (1988), entre outros."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT14-ESTUDOS DE LÍNGUA INGLESA E FORMAÇÃO DOCENTE"
    "palavra_chave" => "ENSINO, INGLÊS INSTRUMENTAL, PROFESSOR"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV066_MD1_SA14_ID609_14032017233707.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:13"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:56:12"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ALYNE FERREIRA DE ARAÚJO"
    "autor_nome_curto" => "ALYNE ARAÚJO"
    "autor_email" => "alynef_araujo@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-sinalge"
    "edicao_nome" => "Anais IV SINALGE"
    "edicao_evento" => "IV Simpósio Nacional de Linguagens e Gêneros Textuais"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/sinalge/2017"
    "edicao_logo" => "5e4d8586dda3e_19022020155918.png"
    "edicao_capa" => "5f1880a141ece_22072020150833.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-04-27 00:00:00"
    "publicacao_id" => 35
    "publicacao_nome" => "Anais SINALGE"
    "publicacao_codigo" => "2527-0028"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 27365
    "edicao_id" => 57
    "trabalho_id" => 278
    "inscrito_id" => 609
    "titulo" => "FUNDAMENTOS DO INGLÊS INSTRUMENTAL E AS VÁRIAS FACES DO PROFESSOR"
    "resumo" => "O Inglês para Fins Específicos, mais conhecido no Brasil como Inglês Instrumental, o qual é um dos ramos do ensino de Inglês como língua estrangeira, começou a ganhar visibilidade entre os anos 60 e 70, resultante de uma grande expansão econômica, científica e tecnológica, do desenvolvimento de novas pesquisas em Linguística Aplicada, que mudaram o foco do ensino, e de um considerável progresso da Psicologia Educacional.  Daí surgiu um tipo de curso, que se diferenciava dos cursos que até então eram oferecidos e reconhecidos formalmente. Como o próprio nome sugere, em cursos de Inglês Instrumental, a língua-alvo é usada como um instrumento para que o aprendiz possa realizar determinadas tarefas. Tendo em vista isso, nessa abordagem o que determina o que e quais habilidades linguísticas serão abordadas são as necessidades do aprendiz, isto é, o curso é projetado pensando nas necessidades e especificidades do aluno, assim, por estar em consonância com as exigências atuais dos aprendizes, este tem ganhado notoriedade na área. Considerando a grande expansão do ensino de Inglês Instrumental, torna-se necessário por parte de professores de língua inglesa, tanto os atuantes como aqueles que ainda estão em formação inicial conhecer tal abordagem em suas particularidades. Dessa forma, o objetivo deste artigo é apresentar uma visão geral do desenvolvimento do Inglês Instrumental, discutindo relações pertinentes sobre a temática, tais como definições do termo, seu surgimento, principais características e tipos, e, sobretudo, o papel do professor, que se distingue da do professor de cursos de Inglês Geral e transcende a função de ensinar. Para tal, foi realizado um estudo de caráter bibliográfico, que se propõe revisar o estado da arte, para um melhor embasamento das discussões aqui apresentadas. Assim, serão usados como suporte teórico os trabalhos de Robinson (1981), Hutchinson & Waters (1987), Strevens (1988), entre outros."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT14-ESTUDOS DE LÍNGUA INGLESA E FORMAÇÃO DOCENTE"
    "palavra_chave" => "ENSINO, INGLÊS INSTRUMENTAL, PROFESSOR"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV066_MD1_SA14_ID609_14032017233707.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:13"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:56:12"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ALYNE FERREIRA DE ARAÚJO"
    "autor_nome_curto" => "ALYNE ARAÚJO"
    "autor_email" => "alynef_araujo@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-sinalge"
    "edicao_nome" => "Anais IV SINALGE"
    "edicao_evento" => "IV Simpósio Nacional de Linguagens e Gêneros Textuais"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/sinalge/2017"
    "edicao_logo" => "5e4d8586dda3e_19022020155918.png"
    "edicao_capa" => "5f1880a141ece_22072020150833.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-04-27 00:00:00"
    "publicacao_id" => 35
    "publicacao_nome" => "Anais SINALGE"
    "publicacao_codigo" => "2527-0028"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

O Inglês para Fins Específicos, mais conhecido no Brasil como Inglês Instrumental, o qual é um dos ramos do ensino de Inglês como língua estrangeira, começou a ganhar visibilidade entre os anos 60 e 70, resultante de uma grande expansão econômica, científica e tecnológica, do desenvolvimento de novas pesquisas em Linguística Aplicada, que mudaram o foco do ensino, e de um considerável progresso da Psicologia Educacional. Daí surgiu um tipo de curso, que se diferenciava dos cursos que até então eram oferecidos e reconhecidos formalmente. Como o próprio nome sugere, em cursos de Inglês Instrumental, a língua-alvo é usada como um instrumento para que o aprendiz possa realizar determinadas tarefas. Tendo em vista isso, nessa abordagem o que determina o que e quais habilidades linguísticas serão abordadas são as necessidades do aprendiz, isto é, o curso é projetado pensando nas necessidades e especificidades do aluno, assim, por estar em consonância com as exigências atuais dos aprendizes, este tem ganhado notoriedade na área. Considerando a grande expansão do ensino de Inglês Instrumental, torna-se necessário por parte de professores de língua inglesa, tanto os atuantes como aqueles que ainda estão em formação inicial conhecer tal abordagem em suas particularidades. Dessa forma, o objetivo deste artigo é apresentar uma visão geral do desenvolvimento do Inglês Instrumental, discutindo relações pertinentes sobre a temática, tais como definições do termo, seu surgimento, principais características e tipos, e, sobretudo, o papel do professor, que se distingue da do professor de cursos de Inglês Geral e transcende a função de ensinar. Para tal, foi realizado um estudo de caráter bibliográfico, que se propõe revisar o estado da arte, para um melhor embasamento das discussões aqui apresentadas. Assim, serão usados como suporte teórico os trabalhos de Robinson (1981), Hutchinson & Waters (1987), Strevens (1988), entre outros.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.