Artigo Anais VII FIPED

ANAIS de Evento

ISSN: 2316-1086

Visualizações: 317
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA NO CEARÁ: ANCESTRALIDADE, INTERCULTURALIDADE E RESISTÊNCIA ÉTNICAS DOS KANINDÉ DE ARATUBA-CE E DOS PYTAGUARY DE PACATUBA-CE.

Palavra-chaves: IDENTIDADE, INTERCULTURALIDADE, , ANCESTRALIDADE, ESCOLA., EDUCAÇÃO. Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission História da Educação Publicado em 11 de novembro de 2015

Resumo

O presente trabalho intenciona um estudo comparado acerca da educação escolar diferenciada para os povos indígenas no Ceará, buscando compreender a temática a partir das perspectivas dos docentes que são peças fundamentais para a compreensão das dimensões dentro da escola como fora dela, no Resgate das raízes indígenas pedidas no processo de colonização, o principio central exposto pelo os parâmetros curriculares para a educação diferenciada para a população indígena no Brasil, porém tentaremos observa as dificuldades encontradas, para a execução dessa proposta de educação, a parti de uma analise de conjuntura para a compreensão do processo de formação dessa educação escolar indígena diferenciada na escola Ita-Ara do povo Pytaguary na cidade de Pacatuba/CE a Escola Francisco Manuel dos Santos do Kanindé na cidade Aratuba/CE, e assim encontrarmos as um resultado favorável para a compreensão da realidade da escola indígena em sua essência, observaremos a educação indígena preza pela vivência cotidiana dos povos nas aldeias em contato com a natureza e a identidade do seu povo a qual pertence, uma ancestralidade que é latente na construção e afirmação da mesmas para as novas gerações em vemos a escola uma perspectiva de escola tradicional voltada para a burocracia estatal, na qual não permite o movimento cultural e de identidade que se transforma todos os dias, com as trocas das antigas gerações com as novas e principalmente com essa sociedade globalizada, causando dessa forma entrave no evolução da consolidação dessa proposta de educação diferenciada.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.