Artigo Anais IV ENID / UEPB

ANAIS de Evento

ISSN: 2318-7379

O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS NA PERSPECTIVA DO PEDAGOGO

Palavra-chaves: PEDAGOGO, ENSINO DE CIÊNCIAS, PRÁTICAS DE ENSINO Pôster (PO) O exercício da Pedagogia: possibilidades participativas na Educação Básica Publicado em 22 de novembro de 2014

Resumo

O ensino de Ciências está previsto em documentos oficiais para os Anos Iniciais da escola primária. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação e Nacional - LDB nº 9.394/96 e os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN (1998), destacam o ensino de ciências como uma possibilidade de promover a alfabetização científica já nos primeiros anos da Educação Básica, de modo que o educando possa refletir sobre o conhecimento científico de forma a realizar leituras de seu entorno social. No entanto, as práticas escolares revelam que essa área não é vista com prioridade, principalmente nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. De modo geral, os professores dos anos iniciais, principalmente os Pedagogos apresentam insegurança diante dos conhecimentos advindos das ciências. Os professores dos Anos Iniciais da Educação Básica têm priorizado a alfabetização na área de linguagens escrita e matemática. Os autores Carvalho e Gil-Pérez (2006) denominam de visão simplista sobre o Ensino de Ciências, isto é, transmissão dos conhecimentos científicos já elaborados e, desta forma não é possível pensar na formação de sujeitos críticos à margem do saber científico. Partindo dessas pontuações, desenvolvemos a pesquisa com quatro turmas do 5º ano do ensino fundamental I em duas escolas com as professoras – Pedagogas regentes de classe. Cujo objetivo consiste em identificar as práticas pedagógicas relacionadas ao ensino de Ciências nos Anos Iniciais da Educação Básica, na rede municipal de educação no interior da Bahia. Sabemos que as crianças, desde cedo, precisam conhecer e interpretar os fenômenos naturais, situando-se no Universo e interpretando a Natureza. Contudo, o ensino de Ciências Naturais tem se dado na perspectiva de abordagens tradicionais: verbalismo exacerbado (monólogo), o livro didático como a principal fonte de informação, a memorização de conceitos, a consulta como sinônimo de pesquisa, os experimentos sem significação. Para alguns autores (CACHAPUZ; CARVALHO; GIL-PEREZ; PRAIA; VILCHES, 2005) o conhecimento sistematizado pelas Ciências Naturais, propicia ao cidadão o entendimento da atividade científica. Esse estudo tem caráter metodológico qualitativo, de modo que os resultados consistem em descritivos, tendo os dados coletados por meio da entrevista. Os sujeitos da pesquisa quatro educadoras com formação em Pedagogia, com mais de dez anos de regência de classe. Os resultados apontam que de fato, as professoras da educação básica priorizam o ensino de Matemática e Língua Portuguesa (leitura, ortografia e gramática) em detrimento das demais disciplinas da grade curricular e apontam que os docentes têm dificuldades com os conteúdos científicos. Constatamos que, o livro didático selecionado pela escola tem sido o único instrumento para o ensino de ciências, além das práticas de memorização ainda existente nas turmas do 5º ano da educação básica, questionários com inúmeras perguntas e respostas (o que é isso?). Este trabalho possibilitou que concluíssemos que, ensinar Ciências significa contribuir para que o educando adquira domínio sobre os conhecimentos socialmente construídos, de modo que possa atuar com discernimento sobre aspectos de seu cotidiano. Entretanto, percebemos que a formação dos professores tem sido deficiente, logo, o ensino passa a ser ministrado de forma fragmentada, memorizado (livros didáticos) e descontextualizado.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.