Artigo Anais VII EPBEM

ANAIS de Evento

ISSN: 2317-0042

Visualizações: 138
A EXPERIÊNCIA DO USO DO SOFTWARE GEOGEBRA NAS AULAS DE MATEMÁTICA DA EEEMP DR. ELPÍDIO DE ALMEIDA

Palavra-chaves: RECURSOS TECNOLÓGICOS, PIBID, GEOGEBRA Pôster (PO) 06 - Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação Matemática (TICEM)

Resumo

Não é de hoje que muitos de nós, professores de Matemática, escutamos os alunos dizerem que esta é “para poucos” ou é um “bicho de sete cabeças”, uma vez que, de acordo com SILVA et al (2012, p. CLXXXI), a sociedade incorporou esta ideia, como também a ideia de que a Matemática é um “filtro social”. Mas estas discussões são amostras de aulas onde o professor é o centro e o aluno é apenas o receptor do conhecimento que, somente, o professor possui. Diante do desafio de modificar essa visão, vários educadores matemáticos estão buscando aliar o conhecimento teórico com os recursos tecnológicos. Segundo FONTES, M.M.; FONTES, D.J.S; FONTES, M.M. (2009, p. 1017), ao trazer o computador para as aulas, o professor passa não só a contar com mais um recurso para realizar tarefas, mas também abre um novo canal de comunicação com os alunos. Dessa forma, nós, bolsistas do PIBID/Matemática/UFCG, buscamos inserir o software GeoGebra nas aulas de macrocampo da E.E.E.M.P. Dr. Elpídio de Almeida, com o intuito de facilitar a compreensão dos conteúdos que os alunos estão aprendendo nas aulas teóricas, como também pretendemos fazer com que estes alunos participem mais das aulas, buscando se questionar, formular hipóteses, conjecturar e provar o que está sendo feito. Para realizar essas aulas, elaboramos uma apostila para que o alunado possa seguir cada momento destas aulas; e as mesmas foram desenvolvidas no laboratório de informática da escola parceira, onde dividimos as turmas em dois grupos e levamos um grupo por aula, já que o laboratório não comporta todos os alunos de uma só vez. Nestas aulas, apresentamos o GeoGebra, abordando o que ele é, que tipos de construções ele nos permite fazer, onde pode ser adquirido e como é constituída sua interface. Logo após, trabalhamos alguns exemplos de construções, nas quais os alunos iam questionando alguns conceitos que não lembravam ou que não ficou claro nas séries anteriores. Houve, também, construções lúdicas, nas quais os alunos construíram um balão e um pentagrama. Após essa fase de descoberta e conhecimento do software, nós, bolsistas, começamos a trabalhar com o alunado as funções afins, abordando-a no caso geral, como também mostrando os casos especiais desta função. Como o GeoGebra é um software de Geometria Dinâmica e ele nos permite fazer animações as quais a construção não perde sua propriedade matemática, então os alunos conseguiram visualizar claramente todos os casos especiais da função afim, observando também os coeficientes numéricos, a e b, da mesma. Notamos que, após o uso desse software nas aulas, os alunos sentiram-se mais motivados em estudar a Matemática, como também passaram a compreender melhor os conteúdos estudados. Portanto, quando este software é bem manipulado, temos a certeza de que o professor passa a ser o mediador do processo de ensino-aprendizagem e o aluno passa a argumentar, a fazer descobertas e generalizações matemáticas, contribuindo assim com a sua própria aprendizagem.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.