Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

SEXUALIDADE E FORMAÇÃO DOS PROFESSORES: INTERFACES E DESAFIOS

Palavra-chaves: SEXUALIDADE, ESCOLA, FORMAÇÃO DOCENTE Comunicação Oral (CO) GÊNERO, SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO
"2014-09-18 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 7945
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1870
    "inscrito_id" => 4023
    "titulo" => "SEXUALIDADE E FORMAÇÃO DOS PROFESSORES: INTERFACES E DESAFIOS"
    "resumo" => "INTRODUÇÃO. A temática da sexualidade está cada vez mais na ordem do dia. A relevância desta discussão torna-se mais emblemática quando controvérsias sobre o aborto, os direitos das minorias sexuais e, mais recentemente, a destacada propagação da AIDS (década de 80), se colocaram no centro das atenções públicas da vida contemporânea. Além desses, o crescimento vertiginoso de fenômenos como a gravidez na adolescência, demonstra a necessidade de trabalhos de cunho educativos-preventivos, sendo a escola uma instituição importante para assumir esta responsabilidade. Todavia, algumas dificuldades se impõem para a realização deste intento, entre estas, aquela que se refere à formação do educador. Sendo assim, buscamos analisar em que medida os cursos de graduação/licenciatura tem oferecido uma formação, de modo a atender as exigências teórico-metodológicas necessárias para que os futuros docentes possam inserir a discussão da sexualidade na prática pedagógica. METODOLOGIA. Este trabalho é o recorte de uma pesquisa: “Sexualidade e mídia na formação docente”, desenvolvida em Campina Grande, estado da Paraíba. Participaram desta, docentes vinculados a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Foram utilizados como instrumentos de coleta um questionário e uma entrevista semi-estruturada. Os dados foram analisados de forma qualitativa por meio da análise de conteúdo, que consiste na leitura exaustiva dos depoimentos e a categorização dos dados, recortando, no texto, e agrupando as unidades de registro de acordo com suas afinidades temáticas. RESULTADOS E DISCUSSÃO. De acordo com os professores, a temática da sexualidade é interessante e pertinente, visto que, é comum o aparecimento de questões dessa natureza na prática pedagógica. Por esta razão, a educação sexual na escola pode ser um meio para orientar, informar e prevenir. Todavia, os docentes relatam a existência de vários entraves para inserir esta problemática na prática pedagógica. Entre estes, há dificuldades, de ordem particular e curricular, para se abordar a sexualidade na escola. Percebemos que, embora os professores assinalem que a sexualidade é uma questão de realce, ainda há muita resistência para estes assumirem qualquer compromisso quanto a sua abordagem. Por esta razão, partimos do princípio que a abordagem da sexualidade deve ser contemplada nos cursos de formação docente para que estes profissionais possam se apropriar dos conhecimentos teóricos que embasam esta questão. Além deste, é necessário que todos os envolvidos possam olhar reflexivamente para a própria sexualidade, revisar seus conceitos, superar preconceitos e estereótipos, encarar os tabus, os medos e as vergonhas. CONCLUSÃO. Embora a sexualidade seja uma problemática presente no universo escolar, os professores estão despreparados para uma ação pedagógica efetiva. Desta feita, as bases que assentam a formação inicial é um parâmetro de análise importante para subsidiar a compreensão dos fatores que envolvem a sexualidade e a educação."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GÊNERO, SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO"
    "palavra_chave" => "SEXUALIDADE, ESCOLA, FORMAÇÃO DOCENTE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_1datahora_15_08_2014_11_08_11_idinscrito_4023_3b9fb0f69cdb9d23a993b84a4041668b.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:28"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "BETANIA MARIA OLIVEIRA DE AMORIM"
    "autor_nome_curto" => "BETANIA OLIVEIRA"
    "autor_email" => "betania_maria@yahoo.com.b"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 7945
    "edicao_id" => 23
    "trabalho_id" => 1870
    "inscrito_id" => 4023
    "titulo" => "SEXUALIDADE E FORMAÇÃO DOS PROFESSORES: INTERFACES E DESAFIOS"
    "resumo" => "INTRODUÇÃO. A temática da sexualidade está cada vez mais na ordem do dia. A relevância desta discussão torna-se mais emblemática quando controvérsias sobre o aborto, os direitos das minorias sexuais e, mais recentemente, a destacada propagação da AIDS (década de 80), se colocaram no centro das atenções públicas da vida contemporânea. Além desses, o crescimento vertiginoso de fenômenos como a gravidez na adolescência, demonstra a necessidade de trabalhos de cunho educativos-preventivos, sendo a escola uma instituição importante para assumir esta responsabilidade. Todavia, algumas dificuldades se impõem para a realização deste intento, entre estas, aquela que se refere à formação do educador. Sendo assim, buscamos analisar em que medida os cursos de graduação/licenciatura tem oferecido uma formação, de modo a atender as exigências teórico-metodológicas necessárias para que os futuros docentes possam inserir a discussão da sexualidade na prática pedagógica. METODOLOGIA. Este trabalho é o recorte de uma pesquisa: “Sexualidade e mídia na formação docente”, desenvolvida em Campina Grande, estado da Paraíba. Participaram desta, docentes vinculados a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Foram utilizados como instrumentos de coleta um questionário e uma entrevista semi-estruturada. Os dados foram analisados de forma qualitativa por meio da análise de conteúdo, que consiste na leitura exaustiva dos depoimentos e a categorização dos dados, recortando, no texto, e agrupando as unidades de registro de acordo com suas afinidades temáticas. RESULTADOS E DISCUSSÃO. De acordo com os professores, a temática da sexualidade é interessante e pertinente, visto que, é comum o aparecimento de questões dessa natureza na prática pedagógica. Por esta razão, a educação sexual na escola pode ser um meio para orientar, informar e prevenir. Todavia, os docentes relatam a existência de vários entraves para inserir esta problemática na prática pedagógica. Entre estes, há dificuldades, de ordem particular e curricular, para se abordar a sexualidade na escola. Percebemos que, embora os professores assinalem que a sexualidade é uma questão de realce, ainda há muita resistência para estes assumirem qualquer compromisso quanto a sua abordagem. Por esta razão, partimos do princípio que a abordagem da sexualidade deve ser contemplada nos cursos de formação docente para que estes profissionais possam se apropriar dos conhecimentos teóricos que embasam esta questão. Além deste, é necessário que todos os envolvidos possam olhar reflexivamente para a própria sexualidade, revisar seus conceitos, superar preconceitos e estereótipos, encarar os tabus, os medos e as vergonhas. CONCLUSÃO. Embora a sexualidade seja uma problemática presente no universo escolar, os professores estão despreparados para uma ação pedagógica efetiva. Desta feita, as bases que assentam a formação inicial é um parâmetro de análise importante para subsidiar a compreensão dos fatores que envolvem a sexualidade e a educação."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GÊNERO, SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO"
    "palavra_chave" => "SEXUALIDADE, ESCOLA, FORMAÇÃO DOCENTE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_1datahora_15_08_2014_11_08_11_idinscrito_4023_3b9fb0f69cdb9d23a993b84a4041668b.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:54"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:12:28"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "BETANIA MARIA OLIVEIRA DE AMORIM"
    "autor_nome_curto" => "BETANIA OLIVEIRA"
    "autor_email" => "betania_maria@yahoo.com.b"
    "autor_ies" => "UFCG"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais I CONEDU"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2014"
    "edicao_logo" => "5e4a0671b0a63_17022020002017.png"
    "edicao_capa" => "5f1848d9ed142_22072020111033.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-09-18 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

INTRODUÇÃO. A temática da sexualidade está cada vez mais na ordem do dia. A relevância desta discussão torna-se mais emblemática quando controvérsias sobre o aborto, os direitos das minorias sexuais e, mais recentemente, a destacada propagação da AIDS (década de 80), se colocaram no centro das atenções públicas da vida contemporânea. Além desses, o crescimento vertiginoso de fenômenos como a gravidez na adolescência, demonstra a necessidade de trabalhos de cunho educativos-preventivos, sendo a escola uma instituição importante para assumir esta responsabilidade. Todavia, algumas dificuldades se impõem para a realização deste intento, entre estas, aquela que se refere à formação do educador. Sendo assim, buscamos analisar em que medida os cursos de graduação/licenciatura tem oferecido uma formação, de modo a atender as exigências teórico-metodológicas necessárias para que os futuros docentes possam inserir a discussão da sexualidade na prática pedagógica. METODOLOGIA. Este trabalho é o recorte de uma pesquisa: “Sexualidade e mídia na formação docente”, desenvolvida em Campina Grande, estado da Paraíba. Participaram desta, docentes vinculados a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Foram utilizados como instrumentos de coleta um questionário e uma entrevista semi-estruturada. Os dados foram analisados de forma qualitativa por meio da análise de conteúdo, que consiste na leitura exaustiva dos depoimentos e a categorização dos dados, recortando, no texto, e agrupando as unidades de registro de acordo com suas afinidades temáticas. RESULTADOS E DISCUSSÃO. De acordo com os professores, a temática da sexualidade é interessante e pertinente, visto que, é comum o aparecimento de questões dessa natureza na prática pedagógica. Por esta razão, a educação sexual na escola pode ser um meio para orientar, informar e prevenir. Todavia, os docentes relatam a existência de vários entraves para inserir esta problemática na prática pedagógica. Entre estes, há dificuldades, de ordem particular e curricular, para se abordar a sexualidade na escola. Percebemos que, embora os professores assinalem que a sexualidade é uma questão de realce, ainda há muita resistência para estes assumirem qualquer compromisso quanto a sua abordagem. Por esta razão, partimos do princípio que a abordagem da sexualidade deve ser contemplada nos cursos de formação docente para que estes profissionais possam se apropriar dos conhecimentos teóricos que embasam esta questão. Além deste, é necessário que todos os envolvidos possam olhar reflexivamente para a própria sexualidade, revisar seus conceitos, superar preconceitos e estereótipos, encarar os tabus, os medos e as vergonhas. CONCLUSÃO. Embora a sexualidade seja uma problemática presente no universo escolar, os professores estão despreparados para uma ação pedagógica efetiva. Desta feita, as bases que assentam a formação inicial é um parâmetro de análise importante para subsidiar a compreensão dos fatores que envolvem a sexualidade e a educação.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.