Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 191
O HOMEM DE VERDADE : OLHANDO PELAS LENTES PELAS QUAIS VÊEM AS MULHERES

Palavra-chaves: HOMEM DE VERDADE, MULHERES, VISÕES Comunicação Oral (CO) GÊNERO, SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO

Resumo

Este artigo propõe uma discussão acerca do que é o homem de verdade. Visões diferenciadas são apresentadas nesse trabalho, a partir de entrevistas semi estruturadas realizadas com mulheres em diferentes idades e fases da vida sobre seu ideal de “homem de verdade”. Faz parte de um projeto de pesquisa sobre questões de gênero no contexto escolar e com tão complexa finalidade, faz-se necessário amplo embasamento teórico, relevante e atual, que conta com renomados autores como Simone de Beauvoir, Guacira Lopes Louro, Judith Butler, Sócrates Nolasco, entre outros.Tanto a mulher quanto o homem têm suas características “determinadas” a partir do momento em que é possível se encaixar em uma dessas categorias, mesmo que seja antes de seu nascimento, o que pôde ser observado claramente nas entrevistas com jovens entre 14 a 17 anos.Após a realização da pesquisa notou-se um padrão, um perfil sobre o homem ideal com diferentes percepções que variam de acordo com a faixa etária das mulheres. Confirmou-se que a educação dada aos homens, contrária a da mulher, é isenta de carinho e amor pelo pai, que acha que um homem de verdade, não pode adotar atitudes afetivas ou emocionais, caso contrário ele é homossexual. Culturalmente esse pensamento se estabeleceu e hoje é incentivado desde casa até as instituições, principalmente as escolas, que naturalizam a postura do homem como biologicamente menos responsável e mais racional, e a partir disto a mulher idealiza o homem como “super herói”, na realidade desacredita disso, e aceita, por achar normal e natural, a postura dos homens, muitas vezes agressiva e irresponsável. Longe de se esgotar, a pesquisa abriu horizontes, inúmeras outras possibilidades de investigação, como por exemplo, a percepção de homens e mulheres em relação a si mesmos. Assim, esta pesquisa se constituiu em um ponto de partida para que possamos continuar a trilhar novos caminhos em busca de respostas e de vozes ainda silenciadas neste instigante tema.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.