Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA NA VIGÊNCIA DOS GOVERNOS MILITARES PÓS-1964: UM ENFOQUE NO ENSINO SUPERIOR

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO, GOVERNO MILITAR, ENSINO SUPERIOR Comunicação Oral (CO) HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

O início da década de 1960 foi bastante conturbado para as classes dominantes brasileiras, uma vez que a sociedade enfrentava uma crise de grande porte na esfera econômica e política, como manifestações populares em prol das reformas sociais e ameaça comunista, intensificada com a Revolução Cubana. O contexto assinalado intensificou as tensões entre o capital e o trabalho, refletindo diretamente na hegemonia do Estado brasileiro. A instabilidade que assolava o Brasil nesse período culminou na intervenção das Forças Armadas na estrutura do poder vigente, deflagrado pelo golpe Militar de 31 de maço de 1964. Essa nova ordem exigiu uma reorganização da sociedade política e civil, por meio da qual o Estado era o mediador dos interesses do capital nacional e multinacional. Nesse contexto, a educação também sofreu transformações, para se adequar à nova ordem vigente. Diante do quadro assinalado, o objetivo do presente trabalho é discorrer sobre as políticas educacionais vigentes nesse período, mais notadamente as desenvolvidas para o ensino superior. Para isso, foi utilizada como metodologia a pesquisa em fontes bibliográficas. Analisando as questões levantadas nesse esboço, pode-se concluir que a educação brasileira, mais precisamente o ensino superior depois de 1964 e durante toda a vigência dos governos militares, foi pautado pela coerção e disciplina a toda e qualquer manifestação contrária ao regime. As universidades foram transformadas em espaços destinados somente à reprodução do conhecimento; a reflexão, o pensar crítico, foi amordaçado e subjugado em nome da ordem e do progresso

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.