Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

FORMANDO PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INTEGRAL - RELATO DE EXPERIÊNCIA

Palavra-chaves: FORMAÇÃO DE PROFESSORES, EDUCAÇÃO INTEGRAL, EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA Comunicação Oral (CO) FORMAÇÃO DE PROFESSORES Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

FORMANDO PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INTEGRAL – relato de experiência Marta Pinheiro¹, Ana Maria Petraitis Liblik²Universidade Federal do Paraná/Setor de Educação¹mapi@ufpr.br, ²ampliblik@gmail.comResumo A institucionalização do Programa Mais Educação ocorrida em 2010 e a criação, em 2011, da Diretoria de Currículo e Educação Integral (DICEI) na Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC) reforçaram o compromisso governamental com a Educação Integral, destacando a importância dos cursos de formação na área para profissionais da Educação Básica. O estudo exploratório tem por objetivo apresentar o curso de aperfeiçoamento à distância em Docência na escola de tempo integral oferecido para professores e gestores da rede pública de Educação Básica pelo Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em parceria com a DICEI/SEB/MEC. O curso, com 180 horas/aula distribuídas em 5 módulos, foi desenvolvido nos polos UAB dos municípios paranaenses de Rio Negro e Foz do Iguaçu, e no Setor de Educação da UFPR, em Curitiba. De um total de 107 alunos inscritos, 92 iniciaram o curso e destes, 57 alunos o concluíram e tiveram direito ao certificado. Os instrumentos utilizados para a coleta de informações foram os formulários de inscrição dos alunos e tutores, os relatórios mensais de tutoria, os relatórios de campo elaborados pelos professores formadores, e a avaliação entregue pelos alunos ao final do curso. As informações coletadas permitiram a realização de uma análise qualitativa centrada nos aspectos positivos e negativos do curso. Entre os aspectos positivos referidos pelos alunos, destacam-se: a oferta de laboratórios de informática bem equipados; a oferta de uma prática pedagógica diferenciada ministrada presencialmente por professor formador da UFPR; a orientação dos tutores durante os encontros presenciais; a exigência do projeto de intervenção pedagógica centrado no universo imagético; a possibilidade de conhecer melhor as políticas nacionais de Educação Integral. Os aspectos negativos referidos pelos cursistas incluíram: a exigência da presença física nos encontros mensais realizados no polo/município; as dificuldades encontradas no acesso a Plataforma; o prazo restrito para realização de algumas atividades. Cabe ressaltar que em 2009-2010 e em 2012 o Setor de Educação da UFPR realizou duas ofertas de curso de extensão à distância em Educação Integral. A experiência acumulada e a necessidade de promover adaptações para atender exigências do nível de aperfeiçoamento foram consideradas nesta terceira e atual oferta; ainda assim, a formação acadêmica heterogênea dos cursistas, e o interesse centrado na obtenção de pontos para promoção na carreira, foram fatores que interferiram negativamente no desenvolvimento do curso. Conclui-se que o curso contribuiu para a formação contínua do profissional que atua na Educação Básica uma vez que, por um lado, lhe permitiu adequar os conhecimentos aprendidos ao universo da escola integral e, por outro, estimulou a reflexão crítica da Educação Integral como política pública.Palavras-chave: formação continuada de professores, educação integral, educação à distância.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.