Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 186
EDUCAÇÃO DO CAMPO: TRABALHANDO COM RECICLAGEM E A RELAÇÃO PEDAGÓGICA COM AS CRIANÇAS DO MST

Palavra-chaves: OFICINA PEDAGÓGICA, EDUCAÇÃO DO CAMPO, MEIO AMBIENTE Pôster (PO) MOVIMENTOS SOCIAIS, SUJEITOS E PROCESSOS EDUCATIVOS Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

O VII Encontro Estadual dos Sem Terrinha da Paraíba, nos dia 10, 11 e 12 de outubro do ano de 2010, em João Pessoa, com tema “Os Sem Terrinha em Defesa da Educação do Campo” permitiu a realização de oficinas pedagógicas, que o MST realiza todos os anos um encontro com as crianças dos assentamentos e acampamentos do Estado, na semana do dia das crianças, como objetivo integrar as crianças dos assentamentos e acampamentos, problematizando as lutas, realidades, vivenciadas pelas crianças, de mobilizar e envolver na luta das crianças envolvendo cerca de 400 crianças. Durante todo o dia 10 de outubro de 2010 estivemos com um grupo de vinte e cinco crianças da faixa etária de 09 a 12 anos, onde discutimos o tema “Os Sem Terrinha em Defesa da Educação do Campo”. Esse trabalho tem como objetivo descrever e pesquisar a ciranda infantil realizada com a oficina pedagógica, e a relação dialógica criada com as crianças do MST e seus resultados nos dias atuais. A oficina foi para conscientizar sobre a nossa relação com o meio ambiente e fizemos um resgate sobre brinquedo e jogos e como poderíamos aproveitar o lixo reutilizando e reciclando; e desenvolver o desejo de confeccionar seu próprio brinquedo. O primeiro passo foi uma dinâmica de apresentação onde todos podemos nos apresentar e dizendo nome, a escola, e o assentamento de onde veio, depois falamos sobre a escola do campo, disseram como é a sua escola e discutimos a questão “Como é a escola ideal?”. Em seguida dialogamos sobre a produção agrícola e os animais que tinham nos assentamentos e iniciamos uma conversa sobre o clima e fizemos a relação com meio ambiente, em que realizamos uma oficina com material reciclado. A oficina do brinquedo vai e vem, foram utilizadas garrafas pet, fios de varal, tesoura e fita adesiva, em seguida cada criança pode decorar seu novo brinquedo. A pesquisa de abordagem qualitativa e revisão de literatura como instrumento de coleta de dados utilizaremos a observação participante, registros e relatórios. As análises serão desenvolvidas a partir das contribuições teóricas que tratam da questão entre eles os autores: Brandão (2000), CALDART (2004), FREIRE (2010) e MOLINA (2009). Observamos que em apenas um dia pode fazer a diferença na formação das crianças e queremos saber o significado para elas, e estamos com a pesquisa em andamento no Município de Marí e as escolas presentes no Encontro para reencontrarmos as crianças e analisar a concepção das crianças nos dias atuais das atividades e aprendizados que ficaram marcados e suas concepções, de forma gradual pesquisando e rediscutindo as ações.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.