Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 216
ANÁLISE E VIVÊNCIA DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA NA E.I. MARCELINO ALVES DE MATOS

Palavra-chaves: PRÁTICAS PEDAGOGICAS, EDUCAÇÃO INDIGENA, ESPAÇO ESCOLAR Comunicação Oral (CO) EDUCAÇÃO E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

O referido trabalho é uma síntese das análises obtidas a partir da vivência na E.I. Marcelino Alves de Matos, localizada no município de Caucaia- CE. A pesquisa teve por finalidade conhecer a modalidade diferenciada de ensino, educação indígena. Partindo deste contexto dar ênfase, as relações sociais dentro deste ambiente escolar e compreender o ensino de Geografia no local da pesquisa, buscando através da observação participativa vivenciar a escola não somente na sala de aula, mas levando-se em consideração e analisando os sujeitos sociais que a compõe, nos inserindo neste espaço singular, dinâmico e complexo. Assim sendo, fez-se necessárias leituras acerca do espaço escolar, educação indígena, formação docente e leituras acerca do processo histórico da "luta" indígena ao acesso a um ensino coerente as suas práticas tradicionais e cotidianas, para que assim pudéssemos compreender o porquê e qual a real necessidade de garantir e salvaguardar a diferença no ensino para determinadas etnias. Sabemos que atualmente o ensino da modalidade indígena é assegurado legalmente, porém historicamente é marcado pela “luta” ao acesso à educação de qualidade, respeitando as especificidades de sua etnia e não um ensino integralista, como outrora, que tinha por objetivo inseri-los no ensino, educando-os de acordo com os parâmetros da sociedade do homem branco. Com base na vivência na escola podemos constatar que apesar de todas as dificuldades e contradições entre a teoria e a realidade, notamos o quanto a escola exerce uma função social importante para a comunidade indígena Sobradinho, pois o conhecimento é também fortalecedor do movimento e da luta indígena.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.