Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

TUBERCULOSE ASSOCIADA À ESTENOSE DE ANASTOMOSE BILIODIGESTIVA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Palavra-chaves: TUBERCULOSE, COMORBIDADE, TRATAMENTO Relato de Experiência(RE) Saúde Pública Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

Caracterização do problema: Uma das principais estratégias de controle da tuberculose (TB) é o Tratamento Diretamente Observado (TDO), que é priorizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e consiste no acompanhamento do doente durante todo o tratamento da doença, podendo ser realizado por acadêmicos/profissionais da área de saúde, no domicilio do doente ou nos serviços de saúde. Nesta perspectiva, foi abordado o TDO de um doente com TB associada à Estenose de Anastomose Biliodigestiva (EAB). Descrição da experiência: No Grupo de Pesquisa Avaliação de Serviços de Saúde da UEPB/CNPq, desenvolve-se o Projeto de Extensão intitulado “Contribuindo para a efetividade do Tratamento Diretamente Observado (TDO) como estratégia de controle ao tratamento da TB no ambulatório de referência do Município de Campina Grande”, que realiza o TDO no domicílio dos doentes. Ao acompanhar um doente com TB e EAB foi possível conhecer as dificuldades enfrentadas no tratamento de ambas as enfermidades, neste caso, o tratamento da TB teve duração de um ano, o que é fatigante para o doente, porque além da ingesta diária dos medicamento anti-TB, o doente tem que se deslocar para receber atendimento referente ao tratamento da EAB em outro estado, com realização periódica de exames de alta complexidade e de procedimentos cirúrgicos. As dificuldades vivenciadas compreenderam principalmente as mudanças do esquema anti-TB em meio a ocorrência de efeitos adversos, a exemplo da substituição da rifampicina por estreptomicina e posteriormentee de isoniazida por ofloxacino, descoberto depois do quadro intenso de anemia e icterícia, o que culminou no agravamento da EAB; além disso, há o aspecto psicológico e emocional que influenciaram diretamente na adesão de ambos os tratamentos, neste período, o doente encontrava-se deprimido, e foi encorajado a falar sobre seus sentimentos, frustações e experiências sobre sua condição, e incentivado a concluir o tratamento. Considerações: Os doentes com TB que apresentam outras comorbidades, necessitam de uma avaliação diferenciada durante o tratamento, devido às interações medicamentosas e reações adversas que podem surgir. Neste sentido, o TDO é uma ferramenta fundamental na adesão ao tratamento por contribuir na cura da TB e reduzir o risco de recidiva, abandono e multirresistência, pois além da supervisão diária da ingesta de drogas, há o apoio psicológico e emocional ao doente e seus familiares.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.