Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

A REPERCUSSÃO DO CURSO DE MEDICINA NA VIDA DOS SEUS ESTUDANTES

Palavra-chaves: ALUNOS, MEDICINA, QUALIDADE DE VIDA Pôster (PO) Medicina
"2014-04-09 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 5146
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 589
    "inscrito_id" => 1479
    "titulo" => "A REPERCUSSÃO DO CURSO DE MEDICINA NA VIDA DOS SEUS ESTUDANTES"
    "resumo" => "Introdução: A carreira médica é muito procurada atualmente entre jovens e egressos de outros cursos de graduação, assim adentrar no curso de medicina pode representar uma enorme pressão associada à cobrança social e individual de cada um.  Ademais, ao entrar no curso constantemente o estudante será submetido a tensões e aprovações que o levem a situações limítrofes. Estas situações podem levar a repercussões na qualidade de vida do indivíduo. Nessa perspectiva, alguns estudos veem sendo realizados envolvendo esse tema. Esclarece-se que neste estudo o conceito de qualidade foi descrito como um estado aceitável de saúde física, emocional, mental e social.  Objetivo: Descrever a partir de estudos, convergências sobre a qualidade de vida do estudante de medicina. Método: trata-se de uma revisão bibliográfica realizada através do levantamento de artigos da Biblioteca Virtual da Saúde (BVS), tendo sido consultadas a base de dados LILACS e Scielo. A pesquisa foi realizada no mês de março de 2014, utilizando-se os descritores: Alunos, Medicina, Qualidade de Vida. Os critérios de inclusão dos artigos foram: estar disponíveis na íntegra, idioma em português, publicados entre 2009 e 2014. Foram encontrados 10 artigos, entretanto após leitura do material um destes não estava de acordo com o tema sendo excluído da seleção. As publicações selecionadas foram submetidas à análise e organizados conforme suas congruências, complementaridade e divergência. Resultados: Os estudos apontaram que os estudantes possuem qualidade de vida ruim, decorrente das pressões vivenciadas. Isso pode ser constatado com a rotina dos estudantes que demonstram ciclos alterados de sono, tempo limitado para prática de esportes e lazer, carga excessiva curricular, levando-os a apresentar transtornos mentais comuns, que incluem: déficit de atenção, picos de ansiedade, crises de estresse, assim como queixas somáticas de cefaleia, falta de apetite e fadiga. O perfil de individualidade, perfeccionismo e competitividade dos alunos chega a causar inclusive mal-estar entre os grupos. A presença de sintomas depressivos e ansiosos está associada a uso nocivo de álcool e outras drogas, o que agrava ainda mais o quadro destes indivíduos. Há divergência quanto à evolução dos quadros emocionais durante o internato. Alguns autores acreditam que nesse período os estudantes estão mais inseguros e sofrem com a escolha da especialidade futura, outros demonstram maior amadurecimento e segurança no embate das situações enfrentadas. Dos trabalhos analisados, apenas um foi de encontro com os resultados dos demais, descrevendo a representação social dos acadêmicos demonstrando que 86,75% consideram sua qualidade de vida “boa ou muito boa”. Conclusão: Conforme estudos levantados, os acadêmicos de medicina vivenciam piora da qualidade de vida quando comparados a outros grupos. Esta constatação reflete na saúde física e emocional dos estudantes. Destarte, faz-se necessário que haja a sensibilização dos estudantes para esse fenômeno bem como para a busca de ajuda. Sugere-se que as faculdades de medicina adotem programas de assistência psicológica para estes estudantes. É importante que quem esteja sendo preparado para cuidar de pessoas, esteja antes de tudo saudável e bem consigo mesmo."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Medicina"
    "palavra_chave" => "ALUNOS, MEDICINA, QUALIDADE DE VIDA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_22_03_2014_23_27_30_idinscrito_1479_7e4c91e9e8463889761545bfd27f9361.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "CÂNDIDA MAYARA RODRIGUES CARVALHO"
    "autor_nome_curto" => "CÂNDIDA"
    "autor_email" => "candidamayararc@yahoo.com"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 5146
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 589
    "inscrito_id" => 1479
    "titulo" => "A REPERCUSSÃO DO CURSO DE MEDICINA NA VIDA DOS SEUS ESTUDANTES"
    "resumo" => "Introdução: A carreira médica é muito procurada atualmente entre jovens e egressos de outros cursos de graduação, assim adentrar no curso de medicina pode representar uma enorme pressão associada à cobrança social e individual de cada um.  Ademais, ao entrar no curso constantemente o estudante será submetido a tensões e aprovações que o levem a situações limítrofes. Estas situações podem levar a repercussões na qualidade de vida do indivíduo. Nessa perspectiva, alguns estudos veem sendo realizados envolvendo esse tema. Esclarece-se que neste estudo o conceito de qualidade foi descrito como um estado aceitável de saúde física, emocional, mental e social.  Objetivo: Descrever a partir de estudos, convergências sobre a qualidade de vida do estudante de medicina. Método: trata-se de uma revisão bibliográfica realizada através do levantamento de artigos da Biblioteca Virtual da Saúde (BVS), tendo sido consultadas a base de dados LILACS e Scielo. A pesquisa foi realizada no mês de março de 2014, utilizando-se os descritores: Alunos, Medicina, Qualidade de Vida. Os critérios de inclusão dos artigos foram: estar disponíveis na íntegra, idioma em português, publicados entre 2009 e 2014. Foram encontrados 10 artigos, entretanto após leitura do material um destes não estava de acordo com o tema sendo excluído da seleção. As publicações selecionadas foram submetidas à análise e organizados conforme suas congruências, complementaridade e divergência. Resultados: Os estudos apontaram que os estudantes possuem qualidade de vida ruim, decorrente das pressões vivenciadas. Isso pode ser constatado com a rotina dos estudantes que demonstram ciclos alterados de sono, tempo limitado para prática de esportes e lazer, carga excessiva curricular, levando-os a apresentar transtornos mentais comuns, que incluem: déficit de atenção, picos de ansiedade, crises de estresse, assim como queixas somáticas de cefaleia, falta de apetite e fadiga. O perfil de individualidade, perfeccionismo e competitividade dos alunos chega a causar inclusive mal-estar entre os grupos. A presença de sintomas depressivos e ansiosos está associada a uso nocivo de álcool e outras drogas, o que agrava ainda mais o quadro destes indivíduos. Há divergência quanto à evolução dos quadros emocionais durante o internato. Alguns autores acreditam que nesse período os estudantes estão mais inseguros e sofrem com a escolha da especialidade futura, outros demonstram maior amadurecimento e segurança no embate das situações enfrentadas. Dos trabalhos analisados, apenas um foi de encontro com os resultados dos demais, descrevendo a representação social dos acadêmicos demonstrando que 86,75% consideram sua qualidade de vida “boa ou muito boa”. Conclusão: Conforme estudos levantados, os acadêmicos de medicina vivenciam piora da qualidade de vida quando comparados a outros grupos. Esta constatação reflete na saúde física e emocional dos estudantes. Destarte, faz-se necessário que haja a sensibilização dos estudantes para esse fenômeno bem como para a busca de ajuda. Sugere-se que as faculdades de medicina adotem programas de assistência psicológica para estes estudantes. É importante que quem esteja sendo preparado para cuidar de pessoas, esteja antes de tudo saudável e bem consigo mesmo."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Medicina"
    "palavra_chave" => "ALUNOS, MEDICINA, QUALIDADE DE VIDA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_22_03_2014_23_27_30_idinscrito_1479_7e4c91e9e8463889761545bfd27f9361.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "CÂNDIDA MAYARA RODRIGUES CARVALHO"
    "autor_nome_curto" => "CÂNDIDA"
    "autor_email" => "candidamayararc@yahoo.com"
    "autor_ies" => ""
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

Introdução: A carreira médica é muito procurada atualmente entre jovens e egressos de outros cursos de graduação, assim adentrar no curso de medicina pode representar uma enorme pressão associada à cobrança social e individual de cada um. Ademais, ao entrar no curso constantemente o estudante será submetido a tensões e aprovações que o levem a situações limítrofes. Estas situações podem levar a repercussões na qualidade de vida do indivíduo. Nessa perspectiva, alguns estudos veem sendo realizados envolvendo esse tema. Esclarece-se que neste estudo o conceito de qualidade foi descrito como um estado aceitável de saúde física, emocional, mental e social. Objetivo: Descrever a partir de estudos, convergências sobre a qualidade de vida do estudante de medicina. Método: trata-se de uma revisão bibliográfica realizada através do levantamento de artigos da Biblioteca Virtual da Saúde (BVS), tendo sido consultadas a base de dados LILACS e Scielo. A pesquisa foi realizada no mês de março de 2014, utilizando-se os descritores: Alunos, Medicina, Qualidade de Vida. Os critérios de inclusão dos artigos foram: estar disponíveis na íntegra, idioma em português, publicados entre 2009 e 2014. Foram encontrados 10 artigos, entretanto após leitura do material um destes não estava de acordo com o tema sendo excluído da seleção. As publicações selecionadas foram submetidas à análise e organizados conforme suas congruências, complementaridade e divergência. Resultados: Os estudos apontaram que os estudantes possuem qualidade de vida ruim, decorrente das pressões vivenciadas. Isso pode ser constatado com a rotina dos estudantes que demonstram ciclos alterados de sono, tempo limitado para prática de esportes e lazer, carga excessiva curricular, levando-os a apresentar transtornos mentais comuns, que incluem: déficit de atenção, picos de ansiedade, crises de estresse, assim como queixas somáticas de cefaleia, falta de apetite e fadiga. O perfil de individualidade, perfeccionismo e competitividade dos alunos chega a causar inclusive mal-estar entre os grupos. A presença de sintomas depressivos e ansiosos está associada a uso nocivo de álcool e outras drogas, o que agrava ainda mais o quadro destes indivíduos. Há divergência quanto à evolução dos quadros emocionais durante o internato. Alguns autores acreditam que nesse período os estudantes estão mais inseguros e sofrem com a escolha da especialidade futura, outros demonstram maior amadurecimento e segurança no embate das situações enfrentadas. Dos trabalhos analisados, apenas um foi de encontro com os resultados dos demais, descrevendo a representação social dos acadêmicos demonstrando que 86,75% consideram sua qualidade de vida “boa ou muito boa”. Conclusão: Conforme estudos levantados, os acadêmicos de medicina vivenciam piora da qualidade de vida quando comparados a outros grupos. Esta constatação reflete na saúde física e emocional dos estudantes. Destarte, faz-se necessário que haja a sensibilização dos estudantes para esse fenômeno bem como para a busca de ajuda. Sugere-se que as faculdades de medicina adotem programas de assistência psicológica para estes estudantes. É importante que quem esteja sendo preparado para cuidar de pessoas, esteja antes de tudo saudável e bem consigo mesmo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.