Artigo Anais III CONBRACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2525-6696

A DINÂMICA DO RECONHECIMENTO NO TRABALHO DE FARMACÊUTICOS QUE ATUAM EM FARMÁCIAS E DROGARIAS

Palavra-chaves: RECONHECIMENTO, TRABALHO, FARMACÊUTICOS Comunicação Oral (CO) AT-13: Psicologia
"2018-06-13 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 40587
    "edicao_id" => 88
    "trabalho_id" => 814
    "inscrito_id" => 2609
    "titulo" => "A DINÂMICA DO RECONHECIMENTO NO TRABALHO DE FARMACÊUTICOS QUE ATUAM EM FARMÁCIAS E DROGARIAS"
    "resumo" => """
      Esta pesquisa objetiva identificar a dinâmica do reconhecimento no trabalho dos farmacêuticos. \r\n
      O reconhecimento tem um papel fundamental na identidade do sujeito, tanto na relação dele com o outro dentro do seu contexto de trabalho, como na transformação do sofrimento em prazer. Para alcançar este objetivo realizou-se uma pesquisa com 48 farmacêuticos atuantes em farmácias e drogarias de uma cidade paraibana. Os participantes responderam a uma entrevista individual semiestruturada e ao Inquérito Saúde e Trabalho em Serviços – INSATS. Os dados obtidos das entrevistas foram analisados através da análise de conteúdo temática, e os dados do INSATS foram analisados no SPSS.  Análise dos resultados mostrou que os participantes vivenciam o sentimento de reconhecimento oriundo das relações com os colegas, com a chefia e com o público. No entanto apontam que não se sentirem reconhecidos pela sociedade. Essa realidade não é unanime, e durante as entrevistas alguns profissionais relataram não se sentirem reconhecidos, especialmente por parte da chefia. Este fato é preocupante, pois a falta de reconhecimento leva a desmobilização subjetiva, que por sua vez afeta sua saúde mental. Também foi verificada a realização profissional dos participantes. Essa realização esta vinculada a possibilidade de ajudar os outros, de ser reconhecido e respeitado, e também o fato de gostar do que faz. Os dados demonstram um panorama positivo, embora sejam pontuados por relatos de ausência de reconhecimento.
      """
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "AT-13: Psicologia"
    "palavra_chave" => "RECONHECIMENTO, TRABALHO, FARMACÊUTICOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV108_MD1_SA13_ID2609_21052018211337.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:25"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:35:31"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "RENATA PIMENTEL DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "RENATA"
    "autor_email" => "renata_pimentels@hotmail."
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais III CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "III Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2018"
    "edicao_logo" => "5e4a0164e65af_16022020235844.png"
    "edicao_capa" => "5f1844cf3c5b5_22072020105319.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-06-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 40587
    "edicao_id" => 88
    "trabalho_id" => 814
    "inscrito_id" => 2609
    "titulo" => "A DINÂMICA DO RECONHECIMENTO NO TRABALHO DE FARMACÊUTICOS QUE ATUAM EM FARMÁCIAS E DROGARIAS"
    "resumo" => """
      Esta pesquisa objetiva identificar a dinâmica do reconhecimento no trabalho dos farmacêuticos. \r\n
      O reconhecimento tem um papel fundamental na identidade do sujeito, tanto na relação dele com o outro dentro do seu contexto de trabalho, como na transformação do sofrimento em prazer. Para alcançar este objetivo realizou-se uma pesquisa com 48 farmacêuticos atuantes em farmácias e drogarias de uma cidade paraibana. Os participantes responderam a uma entrevista individual semiestruturada e ao Inquérito Saúde e Trabalho em Serviços – INSATS. Os dados obtidos das entrevistas foram analisados através da análise de conteúdo temática, e os dados do INSATS foram analisados no SPSS.  Análise dos resultados mostrou que os participantes vivenciam o sentimento de reconhecimento oriundo das relações com os colegas, com a chefia e com o público. No entanto apontam que não se sentirem reconhecidos pela sociedade. Essa realidade não é unanime, e durante as entrevistas alguns profissionais relataram não se sentirem reconhecidos, especialmente por parte da chefia. Este fato é preocupante, pois a falta de reconhecimento leva a desmobilização subjetiva, que por sua vez afeta sua saúde mental. Também foi verificada a realização profissional dos participantes. Essa realização esta vinculada a possibilidade de ajudar os outros, de ser reconhecido e respeitado, e também o fato de gostar do que faz. Os dados demonstram um panorama positivo, embora sejam pontuados por relatos de ausência de reconhecimento.
      """
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "AT-13: Psicologia"
    "palavra_chave" => "RECONHECIMENTO, TRABALHO, FARMACÊUTICOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV108_MD1_SA13_ID2609_21052018211337.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:25"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:35:31"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "RENATA PIMENTEL DA SILVA"
    "autor_nome_curto" => "RENATA"
    "autor_email" => "renata_pimentels@hotmail."
    "autor_ies" => null
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iii-conbracis"
    "edicao_nome" => "Anais III CONBRACIS"
    "edicao_evento" => "III Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2018
    "edicao_pasta" => "anais/conbracis/2018"
    "edicao_logo" => "5e4a0164e65af_16022020235844.png"
    "edicao_capa" => "5f1844cf3c5b5_22072020105319.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2018-06-13 00:00:00"
    "publicacao_id" => 29
    "publicacao_nome" => "Anais Conbracis"
    "publicacao_codigo" => "2525-6696"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 13 de junho de 2018

Resumo

Esta pesquisa objetiva identificar a dinâmica do reconhecimento no trabalho dos farmacêuticos. O reconhecimento tem um papel fundamental na identidade do sujeito, tanto na relação dele com o outro dentro do seu contexto de trabalho, como na transformação do sofrimento em prazer. Para alcançar este objetivo realizou-se uma pesquisa com 48 farmacêuticos atuantes em farmácias e drogarias de uma cidade paraibana. Os participantes responderam a uma entrevista individual semiestruturada e ao Inquérito Saúde e Trabalho em Serviços – INSATS. Os dados obtidos das entrevistas foram analisados através da análise de conteúdo temática, e os dados do INSATS foram analisados no SPSS. Análise dos resultados mostrou que os participantes vivenciam o sentimento de reconhecimento oriundo das relações com os colegas, com a chefia e com o público. No entanto apontam que não se sentirem reconhecidos pela sociedade. Essa realidade não é unanime, e durante as entrevistas alguns profissionais relataram não se sentirem reconhecidos, especialmente por parte da chefia. Este fato é preocupante, pois a falta de reconhecimento leva a desmobilização subjetiva, que por sua vez afeta sua saúde mental. Também foi verificada a realização profissional dos participantes. Essa realização esta vinculada a possibilidade de ajudar os outros, de ser reconhecido e respeitado, e também o fato de gostar do que faz. Os dados demonstram um panorama positivo, embora sejam pontuados por relatos de ausência de reconhecimento.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.