Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

O PRECONCEITO LINGUÍSTICO VAI A ESCOLA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE

Palavra-chaves: PRECONCEITO LINGUÍSTICO, ENSINO, MÚSICA, LINGUAGEM Pôster (PO) GT 08 - Linguagens, Letramento e Alfabetização
"2017-12-20 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 37876
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 1724
    "inscrito_id" => 3856
    "titulo" => "O PRECONCEITO LINGUÍSTICO VAI A ESCOLA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE"
    "resumo" => "O ensino de Língua Portuguesa e consequentemente da norma culta no ambiente escolar não deve ter como finalidade principal a reprovação ou a exclusão da variedade da língua utilizada em nosso dia a dia junto a familiares, amigos, ou seja, uma variedade não padrão popularmente conhecida como linguagem coloquial. Destarte, o domínio da norma culta da língua, somado ao domínio de outras variedades linguísticas, tem a função de nos tornar mais preparados para nos comunicarmos. Saber usar e respeitar todas as variedades da língua é uma grande qualidade que equivale o mesmo que conseguir empregar a língua de modo adequado as mais diferentes situações sociais de que participamos. O preconceito linguístico ocorre quando, por exemplo, um sulista considera sua maneira de falar superior aos que vivem no Norte ou Nordeste do país, sem ter a consciência de que o nosso país possui dimensões continentais e embora todos falemos a língua portuguesa, ela apresenta diversas variações e particularidade regionais. Um dos grandes desafios dos professores é esclarecer para seus alunos que a língua escrita e a língua falada podem apresentar distinções e continuarem corretas em suas peculiaridades. Segundo Biderman (1988), “A língua é responsável por transmitir a herança cultural de um povo que carrega aspectos de vida, das crenças e de valores de uma sociedade. ” O preconceito linguístico negligencia essa e outras definições do que é língua e suas variações que mudam de acordo com cada estado e as realidades culturais/sociais, além de ser prejudicial ao aprendizado e evolução dos nossos alunos, causando vergonha e constrangimento da parte de alguns e ignorância da outra parte. Face ao exposto, o presente trabalho objetiva analisar a prática docente face a questão do preconceito linguístico nas escolas, expondo possíveis estratégias que o professor pode usar para desconstrução do preconceito linguístico na sala de aula. O trabalho traz ainda algumas reflexões sobre o ensino-aprendizagem da língua portuguesa nas escolas e a importância de combatermos toda e qualquer forma de preconceito linguístico. Mostraremos também como as variações linguísticas estão presentes o nosso dia a dia com as músicas e a internet. Visando esses fatos corriqueiros no convívio social, o presente trabalho embasado com as ideias de Marcos Bagno, esclareceremos alguns pontos desse fenômeno social e a partir destes buscar novas estratégias de ensino onde esses preconceitos parem de ser reproduzidos, ampliando o campo cultural do aluno, por isso foi selecionado também algumas musicas da psicodélica nordestina para exemplificar essas variações."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 08 - Linguagens, Letramento e Alfabetização"
    "palavra_chave" => "PRECONCEITO LINGUÍSTICO, ENSINO, MÚSICA, LINGUAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA8_ID3856_11092017101036.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:22"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:09"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JESSINA JUSSARA DE FREITAS FELIPE "
    "autor_nome_curto" => "JÉSSINA JUSSARA"
    "autor_email" => "jessinafelipe@gmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ (UECE)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 37876
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 1724
    "inscrito_id" => 3856
    "titulo" => "O PRECONCEITO LINGUÍSTICO VAI A ESCOLA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE"
    "resumo" => "O ensino de Língua Portuguesa e consequentemente da norma culta no ambiente escolar não deve ter como finalidade principal a reprovação ou a exclusão da variedade da língua utilizada em nosso dia a dia junto a familiares, amigos, ou seja, uma variedade não padrão popularmente conhecida como linguagem coloquial. Destarte, o domínio da norma culta da língua, somado ao domínio de outras variedades linguísticas, tem a função de nos tornar mais preparados para nos comunicarmos. Saber usar e respeitar todas as variedades da língua é uma grande qualidade que equivale o mesmo que conseguir empregar a língua de modo adequado as mais diferentes situações sociais de que participamos. O preconceito linguístico ocorre quando, por exemplo, um sulista considera sua maneira de falar superior aos que vivem no Norte ou Nordeste do país, sem ter a consciência de que o nosso país possui dimensões continentais e embora todos falemos a língua portuguesa, ela apresenta diversas variações e particularidade regionais. Um dos grandes desafios dos professores é esclarecer para seus alunos que a língua escrita e a língua falada podem apresentar distinções e continuarem corretas em suas peculiaridades. Segundo Biderman (1988), “A língua é responsável por transmitir a herança cultural de um povo que carrega aspectos de vida, das crenças e de valores de uma sociedade. ” O preconceito linguístico negligencia essa e outras definições do que é língua e suas variações que mudam de acordo com cada estado e as realidades culturais/sociais, além de ser prejudicial ao aprendizado e evolução dos nossos alunos, causando vergonha e constrangimento da parte de alguns e ignorância da outra parte. Face ao exposto, o presente trabalho objetiva analisar a prática docente face a questão do preconceito linguístico nas escolas, expondo possíveis estratégias que o professor pode usar para desconstrução do preconceito linguístico na sala de aula. O trabalho traz ainda algumas reflexões sobre o ensino-aprendizagem da língua portuguesa nas escolas e a importância de combatermos toda e qualquer forma de preconceito linguístico. Mostraremos também como as variações linguísticas estão presentes o nosso dia a dia com as músicas e a internet. Visando esses fatos corriqueiros no convívio social, o presente trabalho embasado com as ideias de Marcos Bagno, esclareceremos alguns pontos desse fenômeno social e a partir destes buscar novas estratégias de ensino onde esses preconceitos parem de ser reproduzidos, ampliando o campo cultural do aluno, por isso foi selecionado também algumas musicas da psicodélica nordestina para exemplificar essas variações."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT 08 - Linguagens, Letramento e Alfabetização"
    "palavra_chave" => "PRECONCEITO LINGUÍSTICO, ENSINO, MÚSICA, LINGUAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD4_SA8_ID3856_11092017101036.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:22"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:09"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "JESSINA JUSSARA DE FREITAS FELIPE "
    "autor_nome_curto" => "JÉSSINA JUSSARA"
    "autor_email" => "jessinafelipe@gmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ (UECE)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-20 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

O ensino de Língua Portuguesa e consequentemente da norma culta no ambiente escolar não deve ter como finalidade principal a reprovação ou a exclusão da variedade da língua utilizada em nosso dia a dia junto a familiares, amigos, ou seja, uma variedade não padrão popularmente conhecida como linguagem coloquial. Destarte, o domínio da norma culta da língua, somado ao domínio de outras variedades linguísticas, tem a função de nos tornar mais preparados para nos comunicarmos. Saber usar e respeitar todas as variedades da língua é uma grande qualidade que equivale o mesmo que conseguir empregar a língua de modo adequado as mais diferentes situações sociais de que participamos. O preconceito linguístico ocorre quando, por exemplo, um sulista considera sua maneira de falar superior aos que vivem no Norte ou Nordeste do país, sem ter a consciência de que o nosso país possui dimensões continentais e embora todos falemos a língua portuguesa, ela apresenta diversas variações e particularidade regionais. Um dos grandes desafios dos professores é esclarecer para seus alunos que a língua escrita e a língua falada podem apresentar distinções e continuarem corretas em suas peculiaridades. Segundo Biderman (1988), “A língua é responsável por transmitir a herança cultural de um povo que carrega aspectos de vida, das crenças e de valores de uma sociedade. ” O preconceito linguístico negligencia essa e outras definições do que é língua e suas variações que mudam de acordo com cada estado e as realidades culturais/sociais, além de ser prejudicial ao aprendizado e evolução dos nossos alunos, causando vergonha e constrangimento da parte de alguns e ignorância da outra parte. Face ao exposto, o presente trabalho objetiva analisar a prática docente face a questão do preconceito linguístico nas escolas, expondo possíveis estratégias que o professor pode usar para desconstrução do preconceito linguístico na sala de aula. O trabalho traz ainda algumas reflexões sobre o ensino-aprendizagem da língua portuguesa nas escolas e a importância de combatermos toda e qualquer forma de preconceito linguístico. Mostraremos também como as variações linguísticas estão presentes o nosso dia a dia com as músicas e a internet. Visando esses fatos corriqueiros no convívio social, o presente trabalho embasado com as ideias de Marcos Bagno, esclareceremos alguns pontos desse fenômeno social e a partir destes buscar novas estratégias de ensino onde esses preconceitos parem de ser reproduzidos, ampliando o campo cultural do aluno, por isso foi selecionado também algumas musicas da psicodélica nordestina para exemplificar essas variações.

Compartilhe:

Visualização do Artigo

Infelizmente, não conseguimos localizar o arquivo para download. Mas não se preocupe, nossa equipe já foi notificada do problema e já estamos trabalhando para a resolução! Tente novamente mais tarde!

Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.