Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

O GRITO DOS EXCLUÍDOS EM MOSSORÓ – CONSTRUÇÃO COLETIVA E EDUCAÇÃO POPULAR

Palavra-chaves: GRITO DOS EXCLUÍDOS, ARTICULAÇÃO, EDUCAÇÃO E ORGANIZAÇÃO POPULAR, PASTORAIS SOCIAIS, PASTORAIS SOCIAIS Comunicação Oral (CO) GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos
"2017-12-19 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 37765
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 1443
    "inscrito_id" => 7179
    "titulo" => "O GRITO DOS EXCLUÍDOS EM MOSSORÓ – CONSTRUÇÃO COLETIVA E EDUCAÇÃO POPULAR"
    "resumo" => """
      O trabalho se propõe a descrever a analisar como ocorre a construção e realização do Grito dos Excluídos na cidade de Mossoró-RN, destacando como esta experiência de luta pelo bem comum e denúncia de situações de injustiça contribui para a articulação entre sindicatos, movimentos sociais e pastorais sociais na cidade e se constitui num processo de educação popular.\r\n
      Este movimento teve origem quando as pastorais sociais e organismos da CNBB  se reuniram para avaliar os resultados da 2º semana social brasileira realizado nos anos de 1993/1994, com o tema: Brasil, alternativas e protagonistas. Desta reunião surgiu a ideias de dar continuidade as discussões e trocas de experiências ali geradas. No ano de 1995 diante da Campanha da Fraternidade de 1995, surgiu a proposta concreta de, juntamente com os movimentos sociais, realizar uma mobilização que chamasse a atenção da população e dos governos para o drama dos que vivem às margem da sociedade, para fazer ecoar as vozes silenciadas. Em 2017 o grito está na sua 23ª edição e discute o tema: Por Direitos e Democracia a Luta é Todo Dia” e acontece em diversas cidades do pais.\r\n
      Em Mossoró o grito acontece ininterruptamente ao longo do todos estes anos e adquiriu autonomia em relação à Igreja de onde nasceu. Também não se resume ao dia 07 de setembro mas engloba um processo de articulação e construção coletiva que dura de dois a três meses. A equipe de articulação central convoca e reúne pastorais sociais, organismos da sociedade civil e sindicatos para estudar e aprofundar o tema proposto pela equipe Nacional e levantar as realidades locais contempladas pelo tema.\r\n
      A partir daí ocorrem rodas de conversas em bairros, paróquias, comunidades e entidades, oficinas, seminários es coletiva de imprensa. Cada entidade que integra a articulação do grito pode propor atividades e temas. Este mutirão culmina com a celebração, marcha e confraternização do dia 07 de setembro.\r\n
      Como membro da equipe de articulação do grito nos propomos a estudar este fenômeno buscando distinguir suas potencialidades e limites e também a sua contribuição para a articulação dos movimentos sociais em Mossoró.
      """
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos"
    "palavra_chave" => "GRITO DOS EXCLUÍDOS, ARTICULAÇÃO, EDUCAÇÃO E ORGANIZAÇÃO POPULAR, PASTORAIS SOCIAIS, PASTORAIS SOCIAIS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD1_SA5_ID7179_10092017184243.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:22"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:09"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ZÉLIA CRISTINA PEDROSA DO NASCIMENTO"
    "autor_nome_curto" => "ZÉLIA CRISTINA"
    "autor_email" => "zeliacebi@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (UERN)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-19 23:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 37765
    "edicao_id" => 77
    "trabalho_id" => 1443
    "inscrito_id" => 7179
    "titulo" => "O GRITO DOS EXCLUÍDOS EM MOSSORÓ – CONSTRUÇÃO COLETIVA E EDUCAÇÃO POPULAR"
    "resumo" => """
      O trabalho se propõe a descrever a analisar como ocorre a construção e realização do Grito dos Excluídos na cidade de Mossoró-RN, destacando como esta experiência de luta pelo bem comum e denúncia de situações de injustiça contribui para a articulação entre sindicatos, movimentos sociais e pastorais sociais na cidade e se constitui num processo de educação popular.\r\n
      Este movimento teve origem quando as pastorais sociais e organismos da CNBB  se reuniram para avaliar os resultados da 2º semana social brasileira realizado nos anos de 1993/1994, com o tema: Brasil, alternativas e protagonistas. Desta reunião surgiu a ideias de dar continuidade as discussões e trocas de experiências ali geradas. No ano de 1995 diante da Campanha da Fraternidade de 1995, surgiu a proposta concreta de, juntamente com os movimentos sociais, realizar uma mobilização que chamasse a atenção da população e dos governos para o drama dos que vivem às margem da sociedade, para fazer ecoar as vozes silenciadas. Em 2017 o grito está na sua 23ª edição e discute o tema: Por Direitos e Democracia a Luta é Todo Dia” e acontece em diversas cidades do pais.\r\n
      Em Mossoró o grito acontece ininterruptamente ao longo do todos estes anos e adquiriu autonomia em relação à Igreja de onde nasceu. Também não se resume ao dia 07 de setembro mas engloba um processo de articulação e construção coletiva que dura de dois a três meses. A equipe de articulação central convoca e reúne pastorais sociais, organismos da sociedade civil e sindicatos para estudar e aprofundar o tema proposto pela equipe Nacional e levantar as realidades locais contempladas pelo tema.\r\n
      A partir daí ocorrem rodas de conversas em bairros, paróquias, comunidades e entidades, oficinas, seminários es coletiva de imprensa. Cada entidade que integra a articulação do grito pode propor atividades e temas. Este mutirão culmina com a celebração, marcha e confraternização do dia 07 de setembro.\r\n
      Como membro da equipe de articulação do grito nos propomos a estudar este fenômeno buscando distinguir suas potencialidades e limites e também a sua contribuição para a articulação dos movimentos sociais em Mossoró.
      """
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 05 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos"
    "palavra_chave" => "GRITO DOS EXCLUÍDOS, ARTICULAÇÃO, EDUCAÇÃO E ORGANIZAÇÃO POPULAR, PASTORAIS SOCIAIS, PASTORAIS SOCIAIS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV073_MD1_SA5_ID7179_10092017184243.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:22"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:28:09"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ZÉLIA CRISTINA PEDROSA DO NASCIMENTO"
    "autor_nome_curto" => "ZÉLIA CRISTINA"
    "autor_email" => "zeliacebi@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (UERN)"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-iv-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais IV CONEDU"
    "edicao_evento" => "IV Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2017
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2017"
    "edicao_logo" => "5e4a048a72ec9_17022020001210.jpg"
    "edicao_capa" => "5f18486b9c352_22072020110843.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2017-12-19 23:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 19 de dezembro de 2017

Resumo

O trabalho se propõe a descrever a analisar como ocorre a construção e realização do Grito dos Excluídos na cidade de Mossoró-RN, destacando como esta experiência de luta pelo bem comum e denúncia de situações de injustiça contribui para a articulação entre sindicatos, movimentos sociais e pastorais sociais na cidade e se constitui num processo de educação popular. Este movimento teve origem quando as pastorais sociais e organismos da CNBB se reuniram para avaliar os resultados da 2º semana social brasileira realizado nos anos de 1993/1994, com o tema: Brasil, alternativas e protagonistas. Desta reunião surgiu a ideias de dar continuidade as discussões e trocas de experiências ali geradas. No ano de 1995 diante da Campanha da Fraternidade de 1995, surgiu a proposta concreta de, juntamente com os movimentos sociais, realizar uma mobilização que chamasse a atenção da população e dos governos para o drama dos que vivem às margem da sociedade, para fazer ecoar as vozes silenciadas. Em 2017 o grito está na sua 23ª edição e discute o tema: Por Direitos e Democracia a Luta é Todo Dia” e acontece em diversas cidades do pais. Em Mossoró o grito acontece ininterruptamente ao longo do todos estes anos e adquiriu autonomia em relação à Igreja de onde nasceu. Também não se resume ao dia 07 de setembro mas engloba um processo de articulação e construção coletiva que dura de dois a três meses. A equipe de articulação central convoca e reúne pastorais sociais, organismos da sociedade civil e sindicatos para estudar e aprofundar o tema proposto pela equipe Nacional e levantar as realidades locais contempladas pelo tema. A partir daí ocorrem rodas de conversas em bairros, paróquias, comunidades e entidades, oficinas, seminários es coletiva de imprensa. Cada entidade que integra a articulação do grito pode propor atividades e temas. Este mutirão culmina com a celebração, marcha e confraternização do dia 07 de setembro. Como membro da equipe de articulação do grito nos propomos a estudar este fenômeno buscando distinguir suas potencialidades e limites e também a sua contribuição para a articulação dos movimentos sociais em Mossoró.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.