Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 698
LITERATURA INFANTIL: A DONA BARATINHA- O GÊNERO TEXTUAL “CONTO” NA IMAGINAÇÃO INFANTIL

Palavra-chaves: LEITURA LITERÁRIA, GÊNERO TEXTUAL, , CONTO, SEQUÊNCIA DIDÁTICA Comunicação Oral (CO) GT 17 – Ensino e suas interseções Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Este trabalho traz uma proposta de trabalho de leitura literária com o gênero conto, para ser desenvolvido com alunos do 4°/5° e 6º ano do Ensino Fundamental, com o objetivo geral favorecer a apropriação da leitura do texto literário como momento prazeroso envolvendo a interação com outras linguagens. A proposta a seguir trata-se de uma sequência didática elaborada para incentivar as crianças ao aperfeiçoamento da leitura e consequentemente da escrita, visto que, diante de avaliações mais definidas, necessitam de um olhar pedagógico mais direcionado. Priorizaremos a apreciação da leitura por meio do estudo de contos porque buscamos através deles o desenvolvimento das capacidades que os alunos desse nível de desempenho precisam para avançar no processo de alfabetização, sem perder de vista o letramento. Para isso, sugerimos uma proposta de leitura literária a partir do conto A Dona Baratinha, no intuito de promover o envolvimento do aluno com a leitura e desenvolver um trabalho significativo com o texto literário, trazendo o aluno para o centro, enxergando-o como o interlocutor do texto, para que ele se sinta responsável por preencher as lacunas que o texto possui, numa atitude que envolve criticidade e construção de sentidos. Desta forma, a necessidade e a importância do trabalho com a diversidade textual na escola, além dos contos estudados, são importantíssimas, pois, ela permite aos alunos a aquisição de um conhecimento mais ampliado dos textos que circulam na sociedade e de seu funcionamento nas práticas sociais, tornando-os sujeitos capazes de perceber tudo ao seu redor com a facilidade de compreender quando precisarem suas próprias produções. A escolha dessa narrativa parte do pressuposto de que as várias histórias de Contos de Fadas, tanto as originais quanto as versões modernas contribui para que o aluno ultrapasse a primeira leitura dos textos, que é a fase de apreciação, e passe a questioná-las e a contrapor as ideias, observando as diferentes adaptações e podendo ele próprio produzir outra versão para as mesmas histórias. A estratégia para a leitura do texto literário no espaço da sala de aula encontra-se fundamentada nos estudos em relação ao Método Recepcional, de Aguiar e Bordini (1993), letramento literário de Cosson (2006), bem como nas reflexões sugeridas por Colomer (2007) quanto a leitura literária na escola, bem como nas contribuições advindas das vivências e reflexões proporcionadas pela disciplina Leitura do texto literário.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.