Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

INCLUSÃO ESCOLAR DE DEFICIENTES FÍSICOS: ESTUDO DE CASO DE PESSOAS COM OSTEOGÊNESE IMPERFEITA

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO ESPECIAL, OSTEOGÊNESE IMPERFEITA, EXCLUSÃO ESCOLAR Pôster (PO) GT 10 - Educação Especial Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

As limitações motoras de deficientes físicos decorrente da osteogênese imperfeita, doença crônica rara, caraterizada por fraturas frequentes dos ossos muitas vezes espontâneas, comprometendo a mobilidade e a autonomia das pessoas, não podem ser um empecilho para o pleno desenvolvimento de capacidade de aprendizagem. A escola não pode mais conceber que o medo pelo desconhecimento em não saber lidar com alunos deficientes físicos seja um discurso da contemporaneidade, isso é uma concepção ultrapassada e inaceitável, principalmente porque existem os dispositivos legais para garantir que estas pessoas tenham acesso à educação de qualidade. Além disso, a inexistência de informações precisas não implica que o problema deva ser ignorado e que na realidade o que existe é um sentimento camuflado de rejeição contra tudo o que é diferente e que incomoda. Rejeita-se, afasta-se do convívio de um lado, mas procura-se também, de outro, manter algumas organizações que se dedicam ao problema sob os mais variados pretextos. Este trabalho, trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa utilizando-se de um estudo exploratório, cujos dados foram coletados a partir de entrevista com a família de pessoas com osteogênese imperfeita e com os próprios deficientes. Abordou-se a trajetória vivida por deficientes físicos até chegar ao processo de inclusão escolar. Para embasar essa pesquisa, fez-se uso de um referencial bibliográfico de autores que apresentam subsídios para essa discussão e da própria legislação educacional brasileira.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.