Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

DIALÓGOS SOBRE AS QUESTÕES DE GÊNERO NA ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA.

Palavra-chaves: GÊNERO, ESCOLA, DIVERSIDADE, CARTOGRAFIA, CARTOGRAFIA Comunicação Oral (CO) GT 07 - Gênero, Sexualidade e Educação Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Este artigo apresenta um relato de uma experiência docente, cujo objetivo foi discutir as questões de gênero no espaço escolar, mediante uma sequência didática realizada com alunos/alunas da 3ª série A do Ensino Médio, no turno matutino numa escola estadual localizada no interior da Bahia, na disciplina de sociologia. Nesse sentido, insere-se no campo das pesquisas qualitativas e como método optamos pela utilização das (des)construções, através dos movimentos de territorialização, desterritorialização e reterritorialização (DELEUZE E GUATTARI, 1995; 1997); a opção advém por esses serem elementos basilares da cartografia que sustentam nossos constructos epistêmico-metodológicos e também por ela se inserir na perspectiva de romper com os paradigmas tradicionais nas ciências humanas e sociais trabalhando com a ideia de sujeitos descentrados e de identidades fragmentadas (HALL, 2015); por esse motivo, ela é pós-crítica, pós-estruturalista e pós-moderna. O referencial teórico centrou-se na leitura de LOURO (2016), SCOTT (1995; 1998), BUTLER (2016) e outros/a autores/a aos quais buscamos referências para fortalecer nossos diálogos. Considerando, o exposto, é valido ressaltar que as temáticas apresentadas nos resultados desse estudo advêm da experiência com o campo empírico bem como através das leituras realizadas, culminando em três movimentos básicos suprecitados, a territorialização tida como o que os alunos já sabem (conhecimentos prévios), a desterritorialização (as discussões) e reterritorialização (novas construções). Diante dessas considerações, salientamos que o processo de análise dos dados foi realizado através da cartografia, cuja principal caracterização é a descrição e valorização dos processos bem como seus resultados/produtos, incidindo no fortalecimento, engajamento e empoderamento tanto dos sujeitos como do/a pesquisador/a. Os dados serviram de base para discutir as “construções e (des)construções do conceito de gênero e suas implicações na escola diante de um cenário de incertezas” caracterizado por colocar em discussão a visão dualista e essencialista, trazendo à tona um movimento de diálogo aberto que verse por uma educação multicultural, a defendamos e busquemos essa operacionalização no contexto escolar.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.