Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 376
CONHECENDO A ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA UFRN: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO SANITÁRIA E AMBIENTAL EM ESCOLAS PÚBLICAS DE NATAL/RN

Palavra-chaves: SANEAMENTO BÁSICO, INTERDISCIPLINARIDADE, PALESTRA Pôster (PO) GT 14 - Educação Ambiental Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) trata em sua estação de tratamento de esgotos (ETE) e reutiliza, principalmente em irrigação, todo o esgoto produzido no campus central da universidade. O projeto de extensão Conhecendo a ETE, oficializado em 2012, possibilita que o público interno e externo à UFRN visualize na prática como funciona uma estação de tratamento de esgotos e saiba qual seu papel. Essa visitação é feita com agendamento prévio, porém o número de cancelamento de visitas agendadas por escolas públicas é uma constante devido a sua dificuldade em prover o suporte logístico para realizar aulas em campo, como a disponibilidade de ônibus escolares. Isso frustra a turma e prejudica a rotina de atividades da estação, que é pautada em uma agenda fixa. Assim, o projeto Conhecendo a ETE desenvolveu uma palestra interdisciplinar para ser levada a alunos do ensino médio regular (1° ao 3° ano) de escolas da rede pública estadual de Natal/RN. O objetivo geral deste trabalho é apresentar a palestra do projeto Conhecendo a ETE da UFRN como uma maneira eficaz de complementar a educação ambiental praticada nas escolas públicas de forma interdisciplinar e prática. Adicionalmente, visa-se compreender o conhecimento teórico que esses alunos têm de esgoto doméstico e do sistema de esgotamento sanitário de seu bairro. Para isso, foram analisadas as respostas de 546 alunos de 17 escolas estaduais de Natal nos anos de 2016 e 2017. Os resultados indicam que esses alunos estão familiarizados com os conceitos de esgoto doméstico, fossa e sumidouro. No entanto, a maioria deles (54%) acredita que a principal função da rede coletora de esgotos está entre manter a cidade limpa, evitar a proliferação de insetos ou valorizar os imóveis. Estas são consequências secundárias atreladas ao principal objetivo de uma rede coletora de esgotos, que é a prevenção de doenças de veiculação hídrica. 60% dos alunos apontam que o esgoto doméstico de sua residência é destinado a fossas ou sumidouros e o esgoto a céu aberto ainda faz parte do cotidiano de muitos (39%). Os resultados parciais da sondagem inicial das palestras do projeto Conhecendo a ETE mostram que a inexistência de uma rede coletora de esgotos é uma realidade do cotidiano de muitos alunos de escolas públicas de Natal/RN, situadas na zona sul da capital. Diante desse cenário, reitera-se a importância de ações como esta, que leve educação sanitária e ambiental a estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, e demanda-se um reforço em políticas públicas para que o saneamento básico contemple todas as regiões de Natal/RN.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.