Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 262
AS RELAÇÕES SÓCIO-AFETIVAS ENTRE PAIS E FILHOS: UMA EXPERIÊNCIA NA PRÉ-ESCOLA

Palavra-chaves: RELAÇÕES PARENTAIS, PRÁTICAS EDUCATIVAS, PSICOLOGIA ESCOLAR Comunicação Oral (CO) GT 04 - Fundamentos da Educação Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

As interações dentro da família mostram-se de fundamental importância para o desenvolvimento da criança. A família é, reconhecidamente, o primeiro ambiente social da criança e a relação parental deve ser marcada por cuidados que proporcionem um ambiente favorável ao desenvolvimento da mesma. Estudos afirmam que existe um predomínio do estilo parental autoritário nas famílias com baixo nível econômico, estando as punições associadas a um desenvolvimento negativo da criança. Em decorrência dessa afirmação pode-se ressaltar a importância de um trabalho que possibilite a ressignificação dos vínculos socioafetivos entre os familiares, buscando encontrar formas mais adequadas de se educar. Dessa forma, o presente artigo descreve uma experiência de extensão realizada por professora e alunos do Departamento de Psicologia, da Universidade Estadual da Paraíba, na Creche Municipal Isabele Barbosa da Silva, no município de Campina Grande-PB. Através de cinco encontros semanais reuniu-se um grupo constituído por uma média de sete cuidadoras sendo elas mães, avós e tias. As intervenções foram realizadas através de rodas de conversa, dinâmicas e recursos midiáticos que objetivaram trazer reflexões sobre práticas educativas e relações socioafetivas a partir da experiência dessas cuidadoras com seus filhos. Sendo os estilos autoritário e autoritativo as práticas predominantes dentre esse grupo de mulheres, marcadas pela falta de paciência, os encontros possibilitaram uma reflexão sobre os tipos de práticas adotadas diante dos comportamentos das crianças e adolescentes. O momento da intervenção também funcionou como espaço de escuta para que essas mulheres pudessem se colocar como mães, esposas, filhas, relatando suas histórias de vida e se posicionando de forma ativa e crítica.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.