Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

A FÁBULA NA SALA DE AULA: A GÊNESE, O GÊNERO E A ZOOLITERATURA

Palavra-chaves: LETRAMENTO, FÁBULA, ZOOLITERATURA Comunicação Oral (CO) GT 08 - Linguagens, Letramento e Alfabetização Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

O público alvo dessa pesquisa está inserido em um ambiente que confere maior proximidade com a natureza e os animais. São alunos domiciliados na zona rural, crianças e jovens que lidam, convivem e possuem uma relação bastante complexa com os outros seres. Se por um lado estão acostumados a presenciar as mais variadas espécies do sertão nordestino, como aves de rapina, mamíferos e répteis, inseridos em um ambiente de natureza plena, por outro lado, tendem a receber de seus pais, avós e bisavós uma herança que prega o predomínio da espécie humana e a dominação em relação à natureza. Os animais, dessa forma, são subjugados, admirados, marginalizados, confinados, amados, comidos, torturados; atitudes e sentimentos que, muitas vezes, permanecem em desordem na consciência de crianças e jovens em plena formação cognitiva. Pensando nisso, essa proposta tem por objetivo trabalhar a formação do leitor literário, com apoio da literatura de temática voltada para os animais. O foco está na competência leitora dos alunos do Ensino Fundamental II, de uma Escola Municipal em Aroeiras-PB, na perspectiva do letramento. A partir disso, pretende-se verificar a relação aluno e texto literário, identificando-se estratégias de como se executar a prática do letramento literário, pelo viés da leitura e da escrita, e quais mudanças podem ser vistas no desenvolvimento de visão de mundo. As etapas serão trabalhadas através do gênero fábula, identificado na zooliteratura e representado nas obras de autores brasileiros. Acreditamos, com a prática de leitura dos textos literários selecionados a partir de uma abordagem sociodiscursiva, privilegiando, pois, uma temática contextualizada, ser possível promover o diálogo do aluno com o texto, desafiando-o, seduzindo-o, encantando-o, fazendo-o se interessar pela leitura literária e, também, possibilitando uma formação mais crítica e ética, indo além da mera informação e entretenimento e proporcionando uma atividade de conscientização e sensibilização humana. Como referencial teórico contamos com os estudos de Bakhtin(1992), MArcuschi (2008), Maciel (2016), Garrard (2006), Cosson (2012), entres outros.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.