Artigo Anais V ENLAÇANDO

ANAIS de Evento

ISSN: 2238-9008

Visualizações: 233
ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA: DISCUTINDO PRECONCEITOS EM SALA DE AULA

Palavra-chaves: LÍNGUA INGLESA, ENSINO-APRENDIZAGEM, HOMOFOBIA Comunicação Oral (CO) ET14: EDUCAÇÃO, RELAÇÕES DE GÊNERO, SUBJETIVIDADES E MEMÓRIAS: EXPERIÊNCIAS, NARRATIVAS E EXPERIÊNCIAS EDUCATIVAS NO BRASIL E NA AMÉRICA LATINA Publicado em 27 de novembro de 2017

Resumo

A sociedade Nordestina brasileira é marcadamente constituída por uma organização cultural machista e coronelista. Em pesquisa realizada em 2013, essa região liderou o ranking da violência homofóbica no Brasil com 43% do total de casos registrados. Os resultados indicaram que Pernambuco apresentou a maior quantidade de assassinatos: 34 vítimas, em segundo e terceiro lugares vieram os estados da Bahia e da Paraíba, com 20 e 17 vítimas, respectivamente. A cidade de Recife liderara no índice desse crime, com 12 assassinatos. A homofobia faz parte da socialização das crianças e jovens, e se manifesta desde os primeiros anos e em vários ambientes sociais, como a escola, refletindo-se em rejeição e violência. Este artigo tem por objetivo discutir a discriminação, invisibilização e exclusão de LGBTTs na sala de aula no processo de ensino-aprendizagem da língua inglesa e refletir sobre preconceitos sociais de caráter homofóbico. O referido tema é desconsiderado nas abordagens de ensino por ser tabu e/ou polêmico e pela crença de que o ensino de idiomas é direcionado apenas a aspectos gramaticais. É urgente a discussão da temática nos processos educacionais, formais e informais, uma vez que o ensino de língua inglesa abarca aspectos culturais, políticos e histórico-sociais. É papel do professor perceber e intervir contra situações discriminatórias em sala de aula de inglês, pois ignorar os fatos provoca desmotivação e evasão dos estudantes vítimas da discriminação.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.