Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

Visualizações: 262
A NECESSIDADE DO ENSINO DA ORALIDADE NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

Palavra-chaves: ORALIDADE, GÊNEROS ORAIS, COMUNICAÇÃO, INTERAÇÃO, INTERAÇÃO Comunicação Oral (CO) GT06-AS PRÁTICAS DISCURSIVAS DO COTIDIANO: ENTRE O PODER E A RESISTÊNCIA Publicado em 27 de abril de 2017

Resumo

O presente artigo traz contribuições para a comunidade linguista em especial por tratar de te uma temática nova se comparado aos demais objetos dos estudos da Linguística, a oralidade. Tendo, pois, este viés da necessidade de conhecer mais essa prática e os gêneros que nela há, a escola deve cumprir seu papel social de capacitação de pessoas, afirma Antunes: “a mudança que provoca o interesse pelo novo, deve estar presente no objeto de ensino e nas técnicas utilizadas. Portanto, o objetivo é de ampliar a competência do aluno proporcionando novas linhas de pensamento referente à fala, a leitura e a linguística (ANTUNES, 2003). Conhecer a oralidade e conhecer um mundo interacional, um mundo da linguística e o viés presentes nela, a oralidade é antes de mais nada um canal que liga as pessoas pelos seus gêneros: debates, seminários, mesas redondas, pôsteres e apresentações de artigos entre outros. São inúmeros os gêneros orais. Levando para as questões da interação vemos que o desenvolvimento do ser humano ocorre por meio das relações sociais. Afirma (Vygotski, 2001) Com as afirmações presentes neste artigo veremos também quão é importante o profissional de Letras e ele deve ser valorizado, pois conforme será observado posteriormente, este profissional é muito necessário para o trabalho com os gêneros presentes na oralidade. Mas para isso ele deve trabalhar as questões Sociointeracionistas com os discentes.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.