Artigo Anais VIII FIPED

ANAIS de Evento

ISSN: 2316-1086

MEMÓRIAS DO BRINCAR

Palavra-chaves: CULTURA LÚDICA, INFÂNCIA, MEMÓRIA Comunicação Oral (CO) GT 46 – LUDICIDADE, CORPOREIDADE E EDUCAÇÃO
"2016-11-08 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 25421
    "edicao_id" => 52
    "trabalho_id" => 1040
    "inscrito_id" => 2748
    "titulo" => "MEMÓRIAS DO BRINCAR"
    "resumo" => "O trabalho é originário de uma pesquisa em desenvolvimento que considera o brincar como um elemento cultural para revelar a cultura lúdica das crianças do século passado, na cidade de Itapetinga/BA. Apresenta uma discussão teórica sobre o brincar numa perspectiva cultural  e delimita o trabalho com memórias como mecanismo para resgatar a cultura lúdica de crianças no século XX. Trata-se de um estudo bibliográfico pautado em autores que  se debruçam sobre o brincar enquanto manifestação histórica e cultural, dentre os quais se destacam: Huizinga (2010), que traça a história dos jogos a partir da relação do homem com o trabalho; Brougère (2010, 2004, 2002), que investiga a cultura lúdica infantil, bem como o papel do jogo, mais especificamente, do brinquedo, na impregnação cultural da criança; Benjamim (2002) que oferece importante contribuição ao estudo da memória do brinquedo e do brincar; e, Ariès (1981) para quem, a própria infância é uma construção histórica e cultural. Os estudos de Chauí (2002) e Rousso (2002) oferecem os aportes teóricos para o trabalho com memórias. Conclui destacando relevância de recuperar as memórias de pessoas idosas tanto para o desvelamento da cultura lúdica de um passado recente, como também a possível contribuição do estudo para a valorização do idoso como cidadão portador e fazedor de cultura."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 46 – LUDICIDADE, CORPOREIDADE E EDUCAÇÃO"
    "palavra_chave" => "CULTURA LÚDICA, INFÂNCIA, MEMÓRIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV057_MD1_SA46_ID2748_30092016131315.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:11"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:47:19"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ENNIA DÉBORA PASSOS BRAGA PIRES"
    "autor_nome_curto" => "ENNIA DÉBORA"
    "autor_email" => "enniadebora@yahoo.com.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-viii-fiped"
    "edicao_nome" => "Anais VIII FIPED"
    "edicao_evento" => "VIII Fórum Internacional de Pedagogia"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/fiped/2016"
    "edicao_logo" => "5e488d75d4c39_15022020213149.png"
    "edicao_capa" => "5f186e058f295_22072020134909.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-08 23:00:00"
    "publicacao_id" => 1
    "publicacao_nome" => "Revista FIPED"
    "publicacao_codigo" => "2316-1086"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 25421
    "edicao_id" => 52
    "trabalho_id" => 1040
    "inscrito_id" => 2748
    "titulo" => "MEMÓRIAS DO BRINCAR"
    "resumo" => "O trabalho é originário de uma pesquisa em desenvolvimento que considera o brincar como um elemento cultural para revelar a cultura lúdica das crianças do século passado, na cidade de Itapetinga/BA. Apresenta uma discussão teórica sobre o brincar numa perspectiva cultural  e delimita o trabalho com memórias como mecanismo para resgatar a cultura lúdica de crianças no século XX. Trata-se de um estudo bibliográfico pautado em autores que  se debruçam sobre o brincar enquanto manifestação histórica e cultural, dentre os quais se destacam: Huizinga (2010), que traça a história dos jogos a partir da relação do homem com o trabalho; Brougère (2010, 2004, 2002), que investiga a cultura lúdica infantil, bem como o papel do jogo, mais especificamente, do brinquedo, na impregnação cultural da criança; Benjamim (2002) que oferece importante contribuição ao estudo da memória do brinquedo e do brincar; e, Ariès (1981) para quem, a própria infância é uma construção histórica e cultural. Os estudos de Chauí (2002) e Rousso (2002) oferecem os aportes teóricos para o trabalho com memórias. Conclui destacando relevância de recuperar as memórias de pessoas idosas tanto para o desvelamento da cultura lúdica de um passado recente, como também a possível contribuição do estudo para a valorização do idoso como cidadão portador e fazedor de cultura."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO)"
    "area_tematica" => "GT 46 – LUDICIDADE, CORPOREIDADE E EDUCAÇÃO"
    "palavra_chave" => "CULTURA LÚDICA, INFÂNCIA, MEMÓRIA"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV057_MD1_SA46_ID2748_30092016131315.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:11"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:47:19"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "ENNIA DÉBORA PASSOS BRAGA PIRES"
    "autor_nome_curto" => "ENNIA DÉBORA"
    "autor_email" => "enniadebora@yahoo.com.br"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-viii-fiped"
    "edicao_nome" => "Anais VIII FIPED"
    "edicao_evento" => "VIII Fórum Internacional de Pedagogia"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/fiped/2016"
    "edicao_logo" => "5e488d75d4c39_15022020213149.png"
    "edicao_capa" => "5f186e058f295_22072020134909.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-08 23:00:00"
    "publicacao_id" => 1
    "publicacao_nome" => "Revista FIPED"
    "publicacao_codigo" => "2316-1086"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 08 de novembro de 2016

Resumo

O trabalho é originário de uma pesquisa em desenvolvimento que considera o brincar como um elemento cultural para revelar a cultura lúdica das crianças do século passado, na cidade de Itapetinga/BA. Apresenta uma discussão teórica sobre o brincar numa perspectiva cultural e delimita o trabalho com memórias como mecanismo para resgatar a cultura lúdica de crianças no século XX. Trata-se de um estudo bibliográfico pautado em autores que se debruçam sobre o brincar enquanto manifestação histórica e cultural, dentre os quais se destacam: Huizinga (2010), que traça a história dos jogos a partir da relação do homem com o trabalho; Brougère (2010, 2004, 2002), que investiga a cultura lúdica infantil, bem como o papel do jogo, mais especificamente, do brinquedo, na impregnação cultural da criança; Benjamim (2002) que oferece importante contribuição ao estudo da memória do brinquedo e do brincar; e, Ariès (1981) para quem, a própria infância é uma construção histórica e cultural. Os estudos de Chauí (2002) e Rousso (2002) oferecem os aportes teóricos para o trabalho com memórias. Conclui destacando relevância de recuperar as memórias de pessoas idosas tanto para o desvelamento da cultura lúdica de um passado recente, como também a possível contribuição do estudo para a valorização do idoso como cidadão portador e fazedor de cultura.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.