Artigo Anais I CNEH

ANAIS de Evento

ISSN: 2526-1908

MORTALIDADE PROPORCIONAL DE IDOSOS LONGEVOS NO NORDESTE: PERFIS DOS MUNICÍPIOS SEGUNDO CAUSAS

Palavra-chaves: CAUSAS DE MORTE, IDOSO DE 80 ANOS OU MAIS, DESIGUALDADES EM SAÚDE, MORTALIDADE, MORTALIDADE Pôster (PO) / Poster Submission AT-9: POLÍTICAS PÚBLICAS E DIREITO DA PESSOA IDOSA
"2016-11-23 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 24547
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 308
    "inscrito_id" => 582
    "titulo" => "MORTALIDADE PROPORCIONAL DE IDOSOS LONGEVOS NO NORDESTE: PERFIS DOS MUNICÍPIOS SEGUNDO CAUSAS"
    "resumo" => "A população idosa cresce aceleradamente e revela uma variabilidade de características que se refletem em diferentes níveis de saúde e necessidades. Para que as políticas públicas atendam de forma eficaz às novas demandas, faz-se essencial conhecer a real situação de saúde, sendo as estatísticas de mortalidade um importante instrumento para a produção de bases objetivas para tal. Objetivo: identificar os padrões de mortalidade dos idosos de 80 anos ou mais de idade residentes na região Nordeste do Brasil, no período de 2001 a 2012. Metodologia: o estudo se caracteriza como ecológico, cujos dados foram obtidos a partir do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e medidos através da Mortalidade Proporcional (MP), segundo capítulo CID-10. Para delinear os perfis (clusters) de mortalidade presentes no Nordeste, utilizou-se a Análise de Conglomerados não Hierárquicos do tipo K-means, sendo os grupos formados comparados entre si através dos testes T e ANOVA, em função do número de grupos formados, ao nível de significância de 1%. Ademais, realizou-se a distribuição espacial dos mesmos através da técnica Análise Espacial de Áreas. Resultados: Formaram-se três perfis de mortalidade nos municípios do Nordeste, a saber: Alta carga de doenças vasculares (358 municípios); Doenças cardiovasculares e mal definidas (1.092 municípios); e Perfil de causas mal definidas (321 municípios), entre as quais houve diferenças significativas da mortalidade proporcional para todas as causas. O mapa dos padrões de mortalidade dos idosos longevos se destaca pela forte presença do perfil de Doenças cardiovasculares e mal definidas, que é encontrado em toda a região e abrangendo cerca de 80% dos estados de Sergipe e Rio Grande do Norte. O perfil de Alta carga de doenças cardiovasculares detém uma menor representação no Nordeste, sendo mais encontrado no centro da porção oeste da região e nos estados do Piauí e Ceará. Já o perfil de causas mal definidas, a maior parte da sua distribuição (72,9%) se concentra em dois estados: Maranhão e Bahia. Conclusão: os padrões de mortalidade dos idosos longevos apresentam homogeneidade em relação às causas, estando concentradas nas doenças cardiovasculares e mal definidas. Tais achados indicam uma grande necessidade de políticas públicas para a prevenção, controle e tratamento das doenças cardiovasculares, que produzem um alto grau de limitação, com um período de terminalidade frequentemente longo, reduzindo a qualidade de vida muito antes da ocorrência do óbito. Ademais, faz-se mister a melhoria da qualidade das informações, especialmente nos estados do Maranhão e da Bahia, cujo conhecimento da real situação de saúde está intensamente prejudicada em decorrência da dificuldade de determinação da causa do óbito."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "AT-9: POLÍTICAS PÚBLICAS E DIREITO DA PESSOA IDOSA"
    "palavra_chave" => "CAUSAS DE MORTE, IDOSO DE 80 ANOS OU MAIS, DESIGUALDADES EM SAÚDE, MORTALIDADE, MORTALIDADE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD4_SA10_ID582_27092016102526.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "TAMIRES CARNEIRO DE OLIVEIRA"
    "autor_nome_curto" => "TAMIRES C."
    "autor_email" => "tamires.carneiro@hotmail."
    "autor_ies" => "CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI/NATAL"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-23 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 24547
    "edicao_id" => 51
    "trabalho_id" => 308
    "inscrito_id" => 582
    "titulo" => "MORTALIDADE PROPORCIONAL DE IDOSOS LONGEVOS NO NORDESTE: PERFIS DOS MUNICÍPIOS SEGUNDO CAUSAS"
    "resumo" => "A população idosa cresce aceleradamente e revela uma variabilidade de características que se refletem em diferentes níveis de saúde e necessidades. Para que as políticas públicas atendam de forma eficaz às novas demandas, faz-se essencial conhecer a real situação de saúde, sendo as estatísticas de mortalidade um importante instrumento para a produção de bases objetivas para tal. Objetivo: identificar os padrões de mortalidade dos idosos de 80 anos ou mais de idade residentes na região Nordeste do Brasil, no período de 2001 a 2012. Metodologia: o estudo se caracteriza como ecológico, cujos dados foram obtidos a partir do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e medidos através da Mortalidade Proporcional (MP), segundo capítulo CID-10. Para delinear os perfis (clusters) de mortalidade presentes no Nordeste, utilizou-se a Análise de Conglomerados não Hierárquicos do tipo K-means, sendo os grupos formados comparados entre si através dos testes T e ANOVA, em função do número de grupos formados, ao nível de significância de 1%. Ademais, realizou-se a distribuição espacial dos mesmos através da técnica Análise Espacial de Áreas. Resultados: Formaram-se três perfis de mortalidade nos municípios do Nordeste, a saber: Alta carga de doenças vasculares (358 municípios); Doenças cardiovasculares e mal definidas (1.092 municípios); e Perfil de causas mal definidas (321 municípios), entre as quais houve diferenças significativas da mortalidade proporcional para todas as causas. O mapa dos padrões de mortalidade dos idosos longevos se destaca pela forte presença do perfil de Doenças cardiovasculares e mal definidas, que é encontrado em toda a região e abrangendo cerca de 80% dos estados de Sergipe e Rio Grande do Norte. O perfil de Alta carga de doenças cardiovasculares detém uma menor representação no Nordeste, sendo mais encontrado no centro da porção oeste da região e nos estados do Piauí e Ceará. Já o perfil de causas mal definidas, a maior parte da sua distribuição (72,9%) se concentra em dois estados: Maranhão e Bahia. Conclusão: os padrões de mortalidade dos idosos longevos apresentam homogeneidade em relação às causas, estando concentradas nas doenças cardiovasculares e mal definidas. Tais achados indicam uma grande necessidade de políticas públicas para a prevenção, controle e tratamento das doenças cardiovasculares, que produzem um alto grau de limitação, com um período de terminalidade frequentemente longo, reduzindo a qualidade de vida muito antes da ocorrência do óbito. Ademais, faz-se mister a melhoria da qualidade das informações, especialmente nos estados do Maranhão e da Bahia, cujo conhecimento da real situação de saúde está intensamente prejudicada em decorrência da dificuldade de determinação da causa do óbito."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "AT-9: POLÍTICAS PÚBLICAS E DIREITO DA PESSOA IDOSA"
    "palavra_chave" => "CAUSAS DE MORTE, IDOSO DE 80 ANOS OU MAIS, DESIGUALDADES EM SAÚDE, MORTALIDADE, MORTALIDADE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV054_MD4_SA10_ID582_27092016102526.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:10"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:04:56"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "TAMIRES CARNEIRO DE OLIVEIRA"
    "autor_nome_curto" => "TAMIRES C."
    "autor_email" => "tamires.carneiro@hotmail."
    "autor_ies" => "CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI/NATAL"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-i-cneh"
    "edicao_nome" => "Anais I CNEH"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional de Envelhecimento Humano"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/cneh/2016"
    "edicao_logo" => "5e49f6afa2a77_16022020231303.png"
    "edicao_capa" => "5f183e7033782_22072020102608.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-23 00:00:00"
    "publicacao_id" => 34
    "publicacao_nome" => "Anais CNEH"
    "publicacao_codigo" => "2526-1908"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 23 de novembro de 2016

Resumo

A população idosa cresce aceleradamente e revela uma variabilidade de características que se refletem em diferentes níveis de saúde e necessidades. Para que as políticas públicas atendam de forma eficaz às novas demandas, faz-se essencial conhecer a real situação de saúde, sendo as estatísticas de mortalidade um importante instrumento para a produção de bases objetivas para tal. Objetivo: identificar os padrões de mortalidade dos idosos de 80 anos ou mais de idade residentes na região Nordeste do Brasil, no período de 2001 a 2012. Metodologia: o estudo se caracteriza como ecológico, cujos dados foram obtidos a partir do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e medidos através da Mortalidade Proporcional (MP), segundo capítulo CID-10. Para delinear os perfis (clusters) de mortalidade presentes no Nordeste, utilizou-se a Análise de Conglomerados não Hierárquicos do tipo K-means, sendo os grupos formados comparados entre si através dos testes T e ANOVA, em função do número de grupos formados, ao nível de significância de 1%. Ademais, realizou-se a distribuição espacial dos mesmos através da técnica Análise Espacial de Áreas. Resultados: Formaram-se três perfis de mortalidade nos municípios do Nordeste, a saber: Alta carga de doenças vasculares (358 municípios); Doenças cardiovasculares e mal definidas (1.092 municípios); e Perfil de causas mal definidas (321 municípios), entre as quais houve diferenças significativas da mortalidade proporcional para todas as causas. O mapa dos padrões de mortalidade dos idosos longevos se destaca pela forte presença do perfil de Doenças cardiovasculares e mal definidas, que é encontrado em toda a região e abrangendo cerca de 80% dos estados de Sergipe e Rio Grande do Norte. O perfil de Alta carga de doenças cardiovasculares detém uma menor representação no Nordeste, sendo mais encontrado no centro da porção oeste da região e nos estados do Piauí e Ceará. Já o perfil de causas mal definidas, a maior parte da sua distribuição (72,9%) se concentra em dois estados: Maranhão e Bahia. Conclusão: os padrões de mortalidade dos idosos longevos apresentam homogeneidade em relação às causas, estando concentradas nas doenças cardiovasculares e mal definidas. Tais achados indicam uma grande necessidade de políticas públicas para a prevenção, controle e tratamento das doenças cardiovasculares, que produzem um alto grau de limitação, com um período de terminalidade frequentemente longo, reduzindo a qualidade de vida muito antes da ocorrência do óbito. Ademais, faz-se mister a melhoria da qualidade das informações, especialmente nos estados do Maranhão e da Bahia, cujo conhecimento da real situação de saúde está intensamente prejudicada em decorrência da dificuldade de determinação da causa do óbito.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.