Artigo Anais II CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

CONSTRUÇÃO DE MODELOS MOLECULARES COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO QUÍMICA ORGÂNICA

Palavra-chaves: MODELOS MOLECULARES, MATERIAIS ALTERNATIVOS, HIDROCARBONETOS Pôster (PO) / Poster Submission Ensino de Ciências
"2015-10-14 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 15659
    "edicao_id" => 38
    "trabalho_id" => 1784
    "inscrito_id" => 4303
    "titulo" => "CONSTRUÇÃO DE MODELOS MOLECULARES COMO ESTRATÉGIA PARA O  ENSINO QUÍMICA ORGÂNICA"
    "resumo" => "A forma como conteúdos específicos de química (ligação química, estruturas moleculares e estereoquímica) são ministrados em sala de aula, leva os discentes seja do ensino médio ou da graduação, a imaginá-la como uma ciência abstrata e um fator que tem corroborado para que isto ocorra é que estes alunos não conseguem conceber ideias no espaço tridimensional. Neste contexto, percebe-se a necessidade de buscar novas metodologias que desperte o interesse e mostre a importância dos conceitos químicos presente nos currículos escolares. Dentre essas metodologias o uso de modelos moleculares é promissor, na medida em que possibilita a visualização das ligações químicas existentes nas moléculas e desenvolve nos alunos a percepção do arranjo espacial destas. Os modelos moleculares são classificados como modelos comerciais e alternativos. Os modelos comerciais, confeccionados de plástico, apresentam acabamento fino e ângulos corretos, entretanto são: importados, caros, com limitado número de peças, específicos, de fácil desgaste e com configurações espaciais restritas. Pesquisas realizadas demonstram que o desenvolvimento de modelos moleculares alternativos elaborados a partir da utilização de materiais de baixo custo e encontrados no cotidiano tem possibilitado aos docentes ferramentas auxiliares para a realização de aulas mais atraentes e motivadoras, nas quais os discentes são capazes de construir seu próprio conhecimento. Levando em consideração o apresentado e objetivando desenvolver nos discentes habilidades manuais e criativas, além de auxiliar no aprendizado do conteúdo de hidrocarbonetos, este trabalho teve por objetivo estimular os alunos a construir seus próprios modelos moleculares utilizando materiais alternativos, como balas de gomas (jujubas) e palitos de dente. A pesquisa foi desenvolvida em uma escola da rede estadual de ensino situada no município de Areia – PB. O público alvo desta pesquisa foi composto por 30 (trinta) alunos de uma turma do 2° ano do ensino médio dessa escola. Inicialmente o professor da disciplina ministrou o conteúdo de forma tradicional e em seguida foram utilizadas balas de gomas (jujubas) e palitos de dente para a confecção dos modelos moleculares referente ao assunto Hidrocarbonetos com ênfase aos grupos alcanos, alcenos, alcinos, ciclanos e ciclenos. A coleta de dados dessa intervenção foi realizada por meio de um questionário constituído de 4 (quatro) questões objetivas relacionadas a estratégia de ensino utilizada. Os dados obtidos a partir dos questionários aplicados foram avaliados de forma estatística por meio da elaboração de gráficos. Os resultados obtidos nesta pesquisa demonstram que todos os discentes que participaram da pesquisa afirmam que a estratégia de ensino utilizada contribuiu para a aprendizagem do conteúdo hidrocarbonetos, porém 90% destes revelaram que nunca tinham participado de estratégia de ensino semelhante a esta. A confecção dos modelos moleculares a partir de balas de gomas (jujubas) e palitos de dente é de baixo custo e de fácil obtenção, mostrando-se assim uma ferramenta que pode e deve fazer parte da realidade dos docentes e discentes das escolas públicas. Diante o exposto, pode-se afirmar que a metodologia utilizada revelou-se como um recurso didático capaz de motivar e desenvolver no discente um maior interesse pelo conteúdo abordado, estimulando assim a sua aprendizagem."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "Ensino de Ciências"
    "palavra_chave" => "MODELOS MOLECULARES, MATERIAIS ALTERNATIVOS, HIDROCARBONETOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV045_MD4_SA18_ID4303_08092015112444.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:00"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:15:04"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "IDAIRIS ANDRADE DOS SANTOS"
    "autor_nome_curto" => "IRIS ANDRADE"
    "autor_email" => "idairisandrade93@gmail.co"
    "autor_ies" => "UFPB AREIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais II CONEDU"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2015"
    "edicao_logo" => "5e4a05cfac134_17022020001735.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1848ba64e27_22072020111002.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-10-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 15659
    "edicao_id" => 38
    "trabalho_id" => 1784
    "inscrito_id" => 4303
    "titulo" => "CONSTRUÇÃO DE MODELOS MOLECULARES COMO ESTRATÉGIA PARA O  ENSINO QUÍMICA ORGÂNICA"
    "resumo" => "A forma como conteúdos específicos de química (ligação química, estruturas moleculares e estereoquímica) são ministrados em sala de aula, leva os discentes seja do ensino médio ou da graduação, a imaginá-la como uma ciência abstrata e um fator que tem corroborado para que isto ocorra é que estes alunos não conseguem conceber ideias no espaço tridimensional. Neste contexto, percebe-se a necessidade de buscar novas metodologias que desperte o interesse e mostre a importância dos conceitos químicos presente nos currículos escolares. Dentre essas metodologias o uso de modelos moleculares é promissor, na medida em que possibilita a visualização das ligações químicas existentes nas moléculas e desenvolve nos alunos a percepção do arranjo espacial destas. Os modelos moleculares são classificados como modelos comerciais e alternativos. Os modelos comerciais, confeccionados de plástico, apresentam acabamento fino e ângulos corretos, entretanto são: importados, caros, com limitado número de peças, específicos, de fácil desgaste e com configurações espaciais restritas. Pesquisas realizadas demonstram que o desenvolvimento de modelos moleculares alternativos elaborados a partir da utilização de materiais de baixo custo e encontrados no cotidiano tem possibilitado aos docentes ferramentas auxiliares para a realização de aulas mais atraentes e motivadoras, nas quais os discentes são capazes de construir seu próprio conhecimento. Levando em consideração o apresentado e objetivando desenvolver nos discentes habilidades manuais e criativas, além de auxiliar no aprendizado do conteúdo de hidrocarbonetos, este trabalho teve por objetivo estimular os alunos a construir seus próprios modelos moleculares utilizando materiais alternativos, como balas de gomas (jujubas) e palitos de dente. A pesquisa foi desenvolvida em uma escola da rede estadual de ensino situada no município de Areia – PB. O público alvo desta pesquisa foi composto por 30 (trinta) alunos de uma turma do 2° ano do ensino médio dessa escola. Inicialmente o professor da disciplina ministrou o conteúdo de forma tradicional e em seguida foram utilizadas balas de gomas (jujubas) e palitos de dente para a confecção dos modelos moleculares referente ao assunto Hidrocarbonetos com ênfase aos grupos alcanos, alcenos, alcinos, ciclanos e ciclenos. A coleta de dados dessa intervenção foi realizada por meio de um questionário constituído de 4 (quatro) questões objetivas relacionadas a estratégia de ensino utilizada. Os dados obtidos a partir dos questionários aplicados foram avaliados de forma estatística por meio da elaboração de gráficos. Os resultados obtidos nesta pesquisa demonstram que todos os discentes que participaram da pesquisa afirmam que a estratégia de ensino utilizada contribuiu para a aprendizagem do conteúdo hidrocarbonetos, porém 90% destes revelaram que nunca tinham participado de estratégia de ensino semelhante a esta. A confecção dos modelos moleculares a partir de balas de gomas (jujubas) e palitos de dente é de baixo custo e de fácil obtenção, mostrando-se assim uma ferramenta que pode e deve fazer parte da realidade dos docentes e discentes das escolas públicas. Diante o exposto, pode-se afirmar que a metodologia utilizada revelou-se como um recurso didático capaz de motivar e desenvolver no discente um maior interesse pelo conteúdo abordado, estimulando assim a sua aprendizagem."
    "modalidade" => "Pôster (PO) / Poster Submission"
    "area_tematica" => "Ensino de Ciências"
    "palavra_chave" => "MODELOS MOLECULARES, MATERIAIS ALTERNATIVOS, HIDROCARBONETOS"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV045_MD4_SA18_ID4303_08092015112444.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:00"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:15:04"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "IDAIRIS ANDRADE DOS SANTOS"
    "autor_nome_curto" => "IRIS ANDRADE"
    "autor_email" => "idairisandrade93@gmail.co"
    "autor_ies" => "UFPB AREIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais II CONEDU"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2015"
    "edicao_logo" => "5e4a05cfac134_17022020001735.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1848ba64e27_22072020111002.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-10-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 14 de outubro de 2015

Resumo

A forma como conteúdos específicos de química (ligação química, estruturas moleculares e estereoquímica) são ministrados em sala de aula, leva os discentes seja do ensino médio ou da graduação, a imaginá-la como uma ciência abstrata e um fator que tem corroborado para que isto ocorra é que estes alunos não conseguem conceber ideias no espaço tridimensional. Neste contexto, percebe-se a necessidade de buscar novas metodologias que desperte o interesse e mostre a importância dos conceitos químicos presente nos currículos escolares. Dentre essas metodologias o uso de modelos moleculares é promissor, na medida em que possibilita a visualização das ligações químicas existentes nas moléculas e desenvolve nos alunos a percepção do arranjo espacial destas. Os modelos moleculares são classificados como modelos comerciais e alternativos. Os modelos comerciais, confeccionados de plástico, apresentam acabamento fino e ângulos corretos, entretanto são: importados, caros, com limitado número de peças, específicos, de fácil desgaste e com configurações espaciais restritas. Pesquisas realizadas demonstram que o desenvolvimento de modelos moleculares alternativos elaborados a partir da utilização de materiais de baixo custo e encontrados no cotidiano tem possibilitado aos docentes ferramentas auxiliares para a realização de aulas mais atraentes e motivadoras, nas quais os discentes são capazes de construir seu próprio conhecimento. Levando em consideração o apresentado e objetivando desenvolver nos discentes habilidades manuais e criativas, além de auxiliar no aprendizado do conteúdo de hidrocarbonetos, este trabalho teve por objetivo estimular os alunos a construir seus próprios modelos moleculares utilizando materiais alternativos, como balas de gomas (jujubas) e palitos de dente. A pesquisa foi desenvolvida em uma escola da rede estadual de ensino situada no município de Areia – PB. O público alvo desta pesquisa foi composto por 30 (trinta) alunos de uma turma do 2° ano do ensino médio dessa escola. Inicialmente o professor da disciplina ministrou o conteúdo de forma tradicional e em seguida foram utilizadas balas de gomas (jujubas) e palitos de dente para a confecção dos modelos moleculares referente ao assunto Hidrocarbonetos com ênfase aos grupos alcanos, alcenos, alcinos, ciclanos e ciclenos. A coleta de dados dessa intervenção foi realizada por meio de um questionário constituído de 4 (quatro) questões objetivas relacionadas a estratégia de ensino utilizada. Os dados obtidos a partir dos questionários aplicados foram avaliados de forma estatística por meio da elaboração de gráficos. Os resultados obtidos nesta pesquisa demonstram que todos os discentes que participaram da pesquisa afirmam que a estratégia de ensino utilizada contribuiu para a aprendizagem do conteúdo hidrocarbonetos, porém 90% destes revelaram que nunca tinham participado de estratégia de ensino semelhante a esta. A confecção dos modelos moleculares a partir de balas de gomas (jujubas) e palitos de dente é de baixo custo e de fácil obtenção, mostrando-se assim uma ferramenta que pode e deve fazer parte da realidade dos docentes e discentes das escolas públicas. Diante o exposto, pode-se afirmar que a metodologia utilizada revelou-se como um recurso didático capaz de motivar e desenvolver no discente um maior interesse pelo conteúdo abordado, estimulando assim a sua aprendizagem.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.