Artigo Anais II CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

BULLYING ESCOLAR: SUAS CONSEQUÊNCIAS E A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL PARA MINIMIZAR ESSA PRÁTICA

Palavra-chaves: BULLYING, SERVIÇO SOCIAL, INCLUSÃO ESCOLAR Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Inclusão, Direitos Humanos e Interculturalidade
"2015-10-14 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 15585
    "edicao_id" => 38
    "trabalho_id" => 1604
    "inscrito_id" => 5456
    "titulo" => "BULLYING ESCOLAR: SUAS CONSEQUÊNCIAS E A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL PARA MINIMIZAR ESSA PRÁTICA"
    "resumo" => "Este artigo resulta de um levantamento empírico sobre a prática do bullying na Escola Municipal Nazinha Barbosa da Franca, localizada no Bairro de Manaíra, em João Pessoa-PB. O mesmo decorre da necessidade de um conhecimento mais aprofundado acerca dessa problemática. Tem como objetivo colaborar com o processo de inclusão escolar, reconduzindo alunos vítimas desse “tratamento”, à sala de aula, partindo do pressuposto que tanto vítimas quanto agressores necessitam de ajuda. A metodologia utilizada se fundamenta no levantamento exploratório, de abordagem quali-quantitativa. Na realização do levantamento empírico foi aplicado um questionário semiaberto a 30 alunos, dos 3º e 4º anos, do Ensino Fundamental I, bem como, aos educadores dos referidos anos escolares, através do qual se evidenciou a necessidade de realizar um trabalho socioeducativo, a fim de buscar-se coibir essa prática, de modo que, todos compreendam os danos que esse fenômeno social proporciona às vítimas. Desse modo, verifica-se através do levantamento obtido que 83,33% dos alunos sabem o que é bullying; 16,66% não sabem; 73,33% afirmaram ter praticado bullying; 73,33% foram vítimas; 26,66% não cometeram nem foram vítimas. Dos alunos que foram vítimas 56,66% comunicaram o fato a alguém e 16,66% não comunicaram. Quanto aos tipos, 75% foram apelidar, 18% bater, 7% xingar. Diante desses dados, espera-se em cooperação com alunos, pais, professores e toda a equipe multidisciplinar, que participam desse processo, que cumpram seu papel para reduzir tamanha violência que prejudica crianças, adolescentes e jovens, nesse universo escolar. Assim, o Serviço Social, bem como a unidade escolar em seu todo, para minimizar a prática do bullying na escola, devem criar estratégias que colaborem na descoberta dos casos. Ao identificar o bullying, é preciso enxergar o que está por trás da agressão, e o que ocasionou a violência, atentar ao cotidiano dos envolvidos, e seus respectivos familiares, realizando uma análise da vivência familiar, pois, muitas vezes, os próprios pais, mesmo sem intenção, estimulam seus filhos a esse tipo de violência, quando praticam bullying em casa, ao utilizar apelidos depreciativos. Neste sentido, a criança na escola buscará se autoafirmar, repetindo o que lhe fizeram. A atuação do Serviço Social, para minimizar o bullying, só surtirá efeito com o envolvimento de todos e por hipótese alguma se devem subestimar os efeitos do bullying em suas vítimas, em decorrência das consequências traumáticas da violência sofrida, que podem culminar em suicídios, portanto é de extrema importância que as atenções aos primeiros sinais do problema sejam tratadas de forma mais efetiva para que se possa atingir o principal objetivo traçado, ou seja, o combate a esta prática nociva e destrutiva."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "Inclusão, Direitos Humanos e Interculturalidade"
    "palavra_chave" => "BULLYING, SERVIÇO SOCIAL, INCLUSÃO ESCOLAR"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV045_MD1_SA14_ID5456_07092015204444.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:00"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:15:03"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA GORETTI RODRIGUES DE S. OLIVEIRA"
    "autor_nome_curto" => "GORETTI"
    "autor_email" => "mari.agorett@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais II CONEDU"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2015"
    "edicao_logo" => "5e4a05cfac134_17022020001735.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1848ba64e27_22072020111002.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-10-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 15585
    "edicao_id" => 38
    "trabalho_id" => 1604
    "inscrito_id" => 5456
    "titulo" => "BULLYING ESCOLAR: SUAS CONSEQUÊNCIAS E A ATUAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL PARA MINIMIZAR ESSA PRÁTICA"
    "resumo" => "Este artigo resulta de um levantamento empírico sobre a prática do bullying na Escola Municipal Nazinha Barbosa da Franca, localizada no Bairro de Manaíra, em João Pessoa-PB. O mesmo decorre da necessidade de um conhecimento mais aprofundado acerca dessa problemática. Tem como objetivo colaborar com o processo de inclusão escolar, reconduzindo alunos vítimas desse “tratamento”, à sala de aula, partindo do pressuposto que tanto vítimas quanto agressores necessitam de ajuda. A metodologia utilizada se fundamenta no levantamento exploratório, de abordagem quali-quantitativa. Na realização do levantamento empírico foi aplicado um questionário semiaberto a 30 alunos, dos 3º e 4º anos, do Ensino Fundamental I, bem como, aos educadores dos referidos anos escolares, através do qual se evidenciou a necessidade de realizar um trabalho socioeducativo, a fim de buscar-se coibir essa prática, de modo que, todos compreendam os danos que esse fenômeno social proporciona às vítimas. Desse modo, verifica-se através do levantamento obtido que 83,33% dos alunos sabem o que é bullying; 16,66% não sabem; 73,33% afirmaram ter praticado bullying; 73,33% foram vítimas; 26,66% não cometeram nem foram vítimas. Dos alunos que foram vítimas 56,66% comunicaram o fato a alguém e 16,66% não comunicaram. Quanto aos tipos, 75% foram apelidar, 18% bater, 7% xingar. Diante desses dados, espera-se em cooperação com alunos, pais, professores e toda a equipe multidisciplinar, que participam desse processo, que cumpram seu papel para reduzir tamanha violência que prejudica crianças, adolescentes e jovens, nesse universo escolar. Assim, o Serviço Social, bem como a unidade escolar em seu todo, para minimizar a prática do bullying na escola, devem criar estratégias que colaborem na descoberta dos casos. Ao identificar o bullying, é preciso enxergar o que está por trás da agressão, e o que ocasionou a violência, atentar ao cotidiano dos envolvidos, e seus respectivos familiares, realizando uma análise da vivência familiar, pois, muitas vezes, os próprios pais, mesmo sem intenção, estimulam seus filhos a esse tipo de violência, quando praticam bullying em casa, ao utilizar apelidos depreciativos. Neste sentido, a criança na escola buscará se autoafirmar, repetindo o que lhe fizeram. A atuação do Serviço Social, para minimizar o bullying, só surtirá efeito com o envolvimento de todos e por hipótese alguma se devem subestimar os efeitos do bullying em suas vítimas, em decorrência das consequências traumáticas da violência sofrida, que podem culminar em suicídios, portanto é de extrema importância que as atenções aos primeiros sinais do problema sejam tratadas de forma mais efetiva para que se possa atingir o principal objetivo traçado, ou seja, o combate a esta prática nociva e destrutiva."
    "modalidade" => "Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission"
    "area_tematica" => "Inclusão, Direitos Humanos e Interculturalidade"
    "palavra_chave" => "BULLYING, SERVIÇO SOCIAL, INCLUSÃO ESCOLAR"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV045_MD1_SA14_ID5456_07092015204444.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:00"
    "updated_at" => "2020-06-10 11:15:03"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "MARIA GORETTI RODRIGUES DE S. OLIVEIRA"
    "autor_nome_curto" => "GORETTI"
    "autor_email" => "mari.agorett@hotmail.com"
    "autor_ies" => "UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-ii-conedu"
    "edicao_nome" => "Anais II CONEDU"
    "edicao_evento" => "II Congresso Nacional de Educação"
    "edicao_ano" => 2015
    "edicao_pasta" => "anais/conedu/2015"
    "edicao_logo" => "5e4a05cfac134_17022020001735.jpg"
    "edicao_capa" => "5f1848ba64e27_22072020111002.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2015-10-14 00:00:00"
    "publicacao_id" => 19
    "publicacao_nome" => "Anais CONEDU"
    "publicacao_codigo" => "2358-8829"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 14 de outubro de 2015

Resumo

Este artigo resulta de um levantamento empírico sobre a prática do bullying na Escola Municipal Nazinha Barbosa da Franca, localizada no Bairro de Manaíra, em João Pessoa-PB. O mesmo decorre da necessidade de um conhecimento mais aprofundado acerca dessa problemática. Tem como objetivo colaborar com o processo de inclusão escolar, reconduzindo alunos vítimas desse “tratamento”, à sala de aula, partindo do pressuposto que tanto vítimas quanto agressores necessitam de ajuda. A metodologia utilizada se fundamenta no levantamento exploratório, de abordagem quali-quantitativa. Na realização do levantamento empírico foi aplicado um questionário semiaberto a 30 alunos, dos 3º e 4º anos, do Ensino Fundamental I, bem como, aos educadores dos referidos anos escolares, através do qual se evidenciou a necessidade de realizar um trabalho socioeducativo, a fim de buscar-se coibir essa prática, de modo que, todos compreendam os danos que esse fenômeno social proporciona às vítimas. Desse modo, verifica-se através do levantamento obtido que 83,33% dos alunos sabem o que é bullying; 16,66% não sabem; 73,33% afirmaram ter praticado bullying; 73,33% foram vítimas; 26,66% não cometeram nem foram vítimas. Dos alunos que foram vítimas 56,66% comunicaram o fato a alguém e 16,66% não comunicaram. Quanto aos tipos, 75% foram apelidar, 18% bater, 7% xingar. Diante desses dados, espera-se em cooperação com alunos, pais, professores e toda a equipe multidisciplinar, que participam desse processo, que cumpram seu papel para reduzir tamanha violência que prejudica crianças, adolescentes e jovens, nesse universo escolar. Assim, o Serviço Social, bem como a unidade escolar em seu todo, para minimizar a prática do bullying na escola, devem criar estratégias que colaborem na descoberta dos casos. Ao identificar o bullying, é preciso enxergar o que está por trás da agressão, e o que ocasionou a violência, atentar ao cotidiano dos envolvidos, e seus respectivos familiares, realizando uma análise da vivência familiar, pois, muitas vezes, os próprios pais, mesmo sem intenção, estimulam seus filhos a esse tipo de violência, quando praticam bullying em casa, ao utilizar apelidos depreciativos. Neste sentido, a criança na escola buscará se autoafirmar, repetindo o que lhe fizeram. A atuação do Serviço Social, para minimizar o bullying, só surtirá efeito com o envolvimento de todos e por hipótese alguma se devem subestimar os efeitos do bullying em suas vítimas, em decorrência das consequências traumáticas da violência sofrida, que podem culminar em suicídios, portanto é de extrema importância que as atenções aos primeiros sinais do problema sejam tratadas de forma mais efetiva para que se possa atingir o principal objetivo traçado, ou seja, o combate a esta prática nociva e destrutiva.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.