Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 165
“EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO” E O CINEMA COMO RECURSO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO NA REFLEXÃO PARA A DESCONSTRUÇÃO DA HOMOFOBIA

Palavra-chaves: CINEMA, HOMOFOBIA, HOMOAFETIVIDADE, REFLEXÃO, REFLEXÃO Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Gênero, Sexualidades e Produção do conhecimento

Resumo

O presente texto tem a pretensão de analisar alguns aspectos dos conteúdos de um filme brasileiro como potencializador, enquanto ferramenta didático-pedagógica, de uma reflexão acerca do “mundo” homoafetivo a fim de desconstruir preconceitos e auxiliar no combate à discriminação de sujeitos LGBT no ambiente escolar. O objetivo não é “dissecar” os conteúdos do filme, mas demonstrar como ele pode contribuir como ferramenta didática. A Homofobia está, dentre outras “pragas” culturais, impregnada nas mentes e corações dos brasileiros. Quanto mais os sujeitos LGBT avançam na conquista de direitos sociais e passam a ter visibilidade pública maior, tanto quanto aumentam em proporção atos de preconceitos e discriminações homofóbicas. É a escola básica o espaço por excelência da formação de uma consciência crítica, que não apenas pode transformar a forma de pensar do sujeito aprendiz, como torná-lo potencialmente capaz de transformar o meio político-social no qual está inserido, combatendo e mitigando a homofobia e outras formas de discriminações. O presente artigo propõe uma reflexão didático-pedagógica do filme em questão aliada à revisão literária necessária para nossa reflexão e apresentação de alguns resultados de uma avaliação pedagógica da disciplina de Filosofia no ano de 2013, relacionada ao objeto de estudo.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.