Artigo Anais XI CONAGES

ANAIS de Evento

ISSN: 2177-4781

Visualizações: 172
SÍMBOLOS ENTRE DOIS MUNDOS: A FEMINIZAÇÃO DO ANIMAL DEVORADOR EM ONCE UPON A TIME

Palavra-chaves: IMAGINÁRIO, REGIME DIURNO, FEMINIZAÇÃO, ONCE UPON A TIME Comunicação Oral (CO) / Oral Papers Submission Imaginário e Gênero na Literatura

Resumo

O presente artigo visa interpretar, à luz do regime diurno da imagem proposto por Gilbert Durand, o episódio A capa vermelha, destinado ao conto Chapeuzinho Vermelho, do seriado americano Once upon a time (Era uma vez). Partindo das referências aos contos clássicos, pretendemos mostrar nesta adaptação cinematográfica como a personagem é recriada entre os dois mundos que compõem a série. Para isso, traçaremos a feminização da imagem do lobo, desde sua transformação na personagem (a chapeuzinho que se transforma no lobo mal) até sua nova releitura, partindo das mesmas características, mas agora reformulando-as em um corpo de mulher, que “devora” os homens pela sensualidade patente. Para tanto, utilizaremos a teoria do imaginário, em específico os símbolos correspondentes às faces do tempo, de Durand (1997), como forma de sublinhar a simbologia do lobo e sua semelhança à representação da mulher.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.