Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

Visualizações: 172
“A COLEÇÃO DE BRUXAS DE MEU PAI” NA SALA DE AULA: A TEMÁTICA DO DIVÓRCIO E A RECEPÇÃO DO CONTO DE ROSA AMANDA STRAUSZ

Palavra-chaves: ROSA AMANDA STRAUSZ, ESTÉTICA DA RECEPÇÃO, LETRAMENTO LITERÁRIO Comunicação Oral (CO) GT17-LITERATURA INFANTOJUVENIL E DIVERSIDADE DE GÊNEROS LITERÁRIOS

Resumo

No contexto de uma literatura infantil renovada, foram sendo adicionadas novas fórmulas narrativas, que reconfiguram as traduções e as adaptações dos contos de fadas europeus. Para além do “casaram-se e viveram felizes para sempre”, critérios realistas vão se somando ao do fantástico. É o que ocorre no conto da escritora brasileira Rosa Amanda Strausz, intitulado A coleção de bruxas de meu pai (1995), cujo enredo focaliza os conflitos decorrentes do divórcio, propondo uma perspectiva narrativa diferenciada, o que possibilita uma experiência de leitura capaz de expandir os horizontes de expectativa do leitor criança. O conto de Strausz é dotado de grande riqueza estética e suas propriedades compositivas dão abertura para que o leitor atualize a obra e possa ter uma experiência de interação com esse gênero literário e com a temática pouco enfatizada nas obras destinadas ao público infantil. A partir de tal vislumbre, as relações interpessoais decorrentes do divórcio são descortinadas nas similitudes humanas com personagens bruxas e com suas características animalescas, sendo estas últimas associadas ao mito de Ulisses, descrito na Odisseia de Homero (que data do século VIII a. C.). O conto em evidência faz parte da seleção do corpus de nossa pesquisa-ação, vinculada ao Programa de Pós-graduação em Linguagem e Ensino (POSLE-UFCG). A recepção da obra e da temática abordada foi sistematizada, metodologicamente, conforme os passos da sequência expandida de leitura, de Rildo Cosson (2006), na concepção da importância uma comunidade de leitores na escola (ROUXEL, 2013). Com objetivo de fomentar as práticas de letramento literário na sala de aula e de pensar em estratégias de mediação que colaborem com a formação literária da criança, compartilharemos os resultados de nossa intervenção de leitura literária, realizada em uma turma de 3º ano, do Ensino Fundamental I, da rede pública de ensino, da cidade de Acari-RN. Teoricamente, nos embasamos na Estética da Recepção (JAUSS, 1979:1994) e na Teoria do Efeito Estético (ISER, 1979) e em discussões acerca do lugar da literatura infantil na escola e de concebê-la como conhecimento, dentre outros, em Colomer (2003:2007), Zilberman e Magalhães (1988), Coelho (1991), Costa (2007).

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.