Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

O ENSINO DE COMPREENSÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO DOCENTE

Palavra-chaves: COMPREENSÃO ORAL, LÍNGUA INGLESA, FORMAÇÃO DOCENTE Comunicação Oral (CO) FORMAÇÃO DE PROFESSORES Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Esta pesquisa qualitativa de base etnográfica (MOREIRA; CALEFFE, 2008) tem como objetivos: 1) Identificar se o foco de ensino da Compreensão Oral (CO), por duas professoras – que aplicam atividades de CO - é o produto ou o processo; e 2) Compreender a implicação de tais práticas para a formação docente. O contexto da nossa pesquisa é a disciplina de Língua Inglesa III, do curso de Letras/ habilitação Língua Inglesa, de uma universidade pública, no município de Campina Grande/PB, e os participantes são duas professoras. Os instrumentos utilizados na coleta de dados envolvem observação, notas de campo e gravação em áudio das aulas, além de entrevistas semi-estruturadas. Desse modo, analisamos uma atividade de CO em Língua Inglesa presente em um LD (New Headway – Intermediate/ SOARS; SOARS, 1998) utilizado pelas participantes da pesquisa. Os resultados obtidos indicaram que ao que refere ao foco de ensino da CO dado pelas professoras, constatamos que elas focalizaram, predominantemente, no produto. Compreendemos que tal prática apresentada por ambas as professoras podem ser justificadas por lacunas nos cursos de formação docente. Desse modo, entendemos a importância de haver uma disciplina específica para a habilidade de CO e que fosse dividida em duas partes – teórica e prática – para que os aprendizes tivessem um real suporte e que não ficassem receosos ao trabalhar com tal habilidade em suas aulas. Portanto, essa pode ter sido apenas uma das razões que tais professoras não aplicaram tais atividades focalizando o processo, mas pode haver outros motivos que justifiquem tal prática e, como exemplo, podemos citar a questão da carga horária insuficiente para trabalhar com todas as habilidades.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.