Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 225
LEITURA NA AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA: A PERCEPÇÃO DE PROFESSORES SOBRE SUA PRÁTICA

Palavra-chaves: LEITURA, PRÁTICA, PROFESSOR Comunicação Oral (CO) ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Entendendo que a escola é a instância mediadora fundamental entre o leitor e o livro (ZINANI et. al., 2007, p. 398) e reconhecendo o professor de língua materna como um agente determinante nesse processo de mediação para as práticas de leitura do aluno na escola ou fora dela, este estudo visa ensejar a reflexão acerca do ensino de leitura a partir da análise de depoimentos dos docentes acerca de sua prática, buscando resgatar na percepção do professor, constatações que melhor expliquem o atual quadro de ensino e apontem novos horizontes. Neste estudo, partimos do pressuposto de que o ensino de leitura visa desenvolver no aluno a familiaridade com a língua escrita através da leitura de modo a perceber a importância da leitura para a sua vida pessoal e social. A partir de um aparato teórico-metodológico específico (ANTUNES, 2003; BAZERMAN, 2003; KLEIMAM, 2013; ROLLA,1999) realizamos uma pesquisa de campo, através de um estudo exploratório, descritivo e analítico, com uma abordagem qualitativa. Assim, analisamos um corpus composto de respostas escritas fornecidas através de questionários escritos por professores de diversas cidades do interior do estado da Paraíba, que atuam principalmente em escolas públicas e que já realizaram estudos em nível de pós-graduação (especialização e mestrado). Nestas respostas, os professores escreveram sobre a importância que tem o ensino de leitura na sua prática de sala de aula, metodologia utilizada, frequência de leitura oportunizada aos alunos e avaliação das atividades de leitura. Em linhas gerais, podemos afirmar que os informantes demonstraram estar de acordo com as recentes orientações teórico-metodológicas voltadas ao ensino da leitura. Em seus depoimentos, percebemos que a maioria afirma preocupar-se com a frequência e a qualidade da leitura de seus alunos, sendo destinado algumas de suas aulas semanais para tal prática. Cumpre ressaltar, entretanto que, devemos problematizar o fato de este ser um discurso ajuizado pela prática ou que visa ajuizá-la como forma de se chegar a uma situação de ideal de ensino pensado mas, ainda, em processo de operacionalização.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.