Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 217
EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA DEFICIENTES VISUAIS E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA NO ÂMBITO DE UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DA PARAÍBA.

Palavra-chaves: FORMAÇÃO DE PROFESSORES, DEFICIENTES VISUAIS, ENSINO DE QUÍMICA Comunicação Oral (CO) FORMAÇÃO DE PROFESSORES Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

Segundo Retondo e Silva (2008), a Educação Especial e Inclusiva é uma realidade presente em nosso país. Nos dias atuais , crianças e adolescentes com necessidades especiais freqüentam as escolas regulares de ensino , não permanecendo fora da escola ou exclusivamente em escolas especializadas. Nesse sentido, observa-se que muitos professores se sentem despreparados para lidar com esses alunos na escola regular, o que gera limitações no processo de ensino .Segundo Schwahn e Neto ( 2011) , os maiores obstáculos enfrentados pelos professores de Química, é a falta de formação que contemple metodologias de ensino relacionadas ao aluno deficiente visual o que, consequentemente, não permite que o aluno adquira conhecimentos significativos em Química.Neste sentido, o objetivo desta pesquisa é diagnosticar se o projeto político pedagógico do curso de Licenciatura em Química da UEPB, apresenta componentes curriculares didático-pedagógicas e eletivas, para a formação de professores de Química no trabalho com deficientes visuais. Trata-se de uma pesquisa qualitativa,com análise documental. Os resultados apontam que há necessidade da instituição repensar a organização do currículo do curso de formação de professores de Química, para que dessa maneira, esse ambiente formativo possa acompanhar as tendências emergentes exigidas pela sociedade, para uma formação mais global e integral do licenciando. É necessário garantir uma formação sólida aos professores para que atendam as necessidades de lidar com os deficientes visuais através do Ensino de Química na escola regular, no âmbito desta instituição.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.