Artigo Anais I CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 283
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: CONCEPÇÕES DOS DISCENTES DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO SISTEMA PRISIONAL DE CAJAZEIRAS – PB

Palavra-chaves: ALIMENTAÇÃO, DISCENTES, SISTEMA PRISIONAL Pôster (PO) EDUCAÇÃO DE PESSOAS JOVENS E ADULTAS Publicado em 18 de setembro de 2014

Resumo

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: CONCEPÇÕES DOS DISCENTES DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO SISTEMA PRISIONAL DE CAJAZEIRAS – PBFranklin Herik Soares de Matos LourençoGraduando do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Centro de Formação de Professores – CFP, Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. E-mail: franklinheriksoares@gmail.com Vitor Cândido Costa FernandesGraduando do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Centro de Formação de Professores – CFP, Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. E-mail: vitor.fla90@hotmail.com José Deomar de Souza BarrosProfessor da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. E-mail: deomarbarros@gmail.com A alimentação saudável caracteriza-se pelo consumo de alimentos de forma equilibrada, esta alimentação permite aos adultos manterem seu peso ideal e as crianças se desenvolverem bem fisicamente e intelectualmente, contribuindo assim para o desenvolvimento de hábitos saudáveis. Neste sentido, o presente trabalho teve por objetivo avaliar as concepções, sobre alimentação, dos discentes do Ensino Fundamental do sistema prisional de Cajazeiras – PB. A pesquisa foi realizada no período de 21 de julho a 4 de agosto de 2014, contendo uma amostra de 16 alunos do Ensino Fundamental da Penitenciaria Regional Padrão de Cajazeiras e da Cadeia Pública de Cajazeiras - PB. O presente estudo trata-se de uma investigação quali-quantitativa sobre a concepção dos estudantes da Educação de Jovens e Adultos - EJA prisional sobre alimentação. A pesquisa se constituiu na elaboração de um questionário semiestruturado que foi aplicado na forma de entrevistas com os alunos das unidades prisionais supramencionadas. Os resultados obtidos indicam que os estudantes apresentam uma média de idade de 30 anos, sendo que 43,75% são do sexo masculino e 56,25% do sexo feminino. Quando perguntados sobre a importância dos alimentos, 75% responderam que são importantes para a manutenção da saúde, ao passo que 25% destacou sua relevância para a realização das atividades do cotidiano. Ao serem questionados sobre o processamento dos alimentos no interior do organismo, 68,75% relacionam apenas ao processo de digestão dos alimentos, enquanto isso 31,25% relacionam o processo digestório á absorção dos nutrientes pelo organismo. Quanto perguntado quais alimentos deve-se comer para viver bem, 87,5% afirmaram que devemos comer alimentos saudáveis, já 12,5% disseram que deve haver o consumo de alimentos nutritivos. Ao serem questionados sobre a importância da leitura dos rótulos dos alimentos, 62,5% acham necessário ler os rótulos das embalagens dos alimentos que consomem, preocupando-se principalmente com a validade, contudo 37,5% afirmaram não ser necessário ler os rótulos das embalagens dos alimentos que consomem. Ao perguntar se já deixou de ingerir algum alimento devido sua composição, 62,5% afirmou que sim e 37,5% não deixariam de comer algum alimento devido a sua composição. Quanto à alimentação diária dos presidiários e presidiárias, 56,25% afirmaram que a alimentação que recebem no sistema não é adequada para suprir suas necessidades diárias. De forma geral, todos os entrevistados compreendem que os alimentos são fontes de energia e uteis para a manutenção do organismo.Palavras-chave: alimentação, discentes, sistema prisional.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.