Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

Visualizações: 187
VARIÁVEIS PREDITORAS DA AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA EM PESSOAS ACIMA DE 50 ANOS COM HIV/AIDS

Palavra-chaves: HIV/AIDS, QUALIDADE DE VIDA, SAÚDE MENTAL Tema Livre (TL) Psicologia

Resumo

Quais as variáveis preditoras da avaliação de qualidade de vida no contexto do HIV/AIDS em pessoas acima de 50 anos? Qual a relação existente entre os Transtornos Mentais Comuns e a Avaliação de Qualidade de Vida? Este estudo teve por objetivo identificar analisar as variáveis preditoras da Qualidade de Vida para os participantes com HIV/AIDS com idade igual ou superior a 50 anos. Este estudo possui abordagem quantitativa e de caráter transversal. Participaram, de forma não probabilística e acidental, 86 pessoas soropositivas para o HIV/AIDS com idade igual ou superior a 50 anos, dos quais 33 (38,4%) contraíram o HIV após os 50 anos. A idade dos participantes variou de 50 a 69 anos (M=56; DP=4,6), sendo a maioria do sexo masculino (57%), tendo a maioria (76,7%) até 8 anos de escolaridade, bem como renda menor que 2 salários mínimos (67,4%). Foram utilizados os seguintes instrumentos: 1) Questionário sociodemográfico e clínico; 2) Escala Whoqol-HIV Bref; 3) Escala Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20); 4) Escala de Ansiedade e Depressão (HAD). Para a análise dos dados do questionário sociodemográfico e das escalas foram realizadas análises de estatística descritiva e multivariada. Na verificação das variáveis preditivas, o fator Independência (=0,414) foi o principal responsável pela explicação da variância, seguido do fator Psicológico (β=0,29), e, de forma negativa, os Transtornos Mentais Comuns (β= -0,20). Conclusão: Os resultados sugerem que a percepção global de Qualidade de Vida é mais abrangente que o status de saúde, podendo ser influenciada, mais especificamente, pelo fator psicológico (numa perspectiva mais subjetiva dos aspectos vivenciados: sentimentos positivos e negativos, cognição, autoestima e imagem corporal), pelos Transtornos Mentais Comuns (incluindo sintomas de ansiedade e depressão) e pela independência, os quais têm implicações psicossociais para a convivência com a HIV/AIDS na maturidade e na velhice.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.