Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

Visualizações: 251
RODA DE CONVERSA COM GESTANTES DE RISCO NA SALA DE ESPERA DO PRÉ-NATAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Palavra-chaves: EDUCAÇÃO E SAÚDE, PRÉ-NATAL, INTERDISCIPLINARIDADE Relato de Experiência(RE) Fisioterapia Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

O ambiente hospitalar gera angústia e insegurança para quem o frequenta, principalmente aqueles que necessitam de cuidados especiais. No caso da gravidez de risco, uma assistência humanizada de qualidade é fundamental para a saúde materna e neonatal. Respaldada nessa percepção foram organizadas rodas de conversa com gestantes de risco atendidas no Hospital Universitário Lauro Wanderley-João Pessoa e seus acompanhantes quando presentes, como forma de promover educação em saúde na prevenção de agravos para essa clientela. Realizada nas terças-feiras, das 08:00 às 10:00, sob a facilitação de acadêmicos dos cursos de Fisioterapia e Serviço Social da Universidade Federal da Paraíba. Essa prática acontece desde outubro de 2013 através de metodologias ativas, favorecendo ações baseadas numa visão critica sobre o papel da mulher dentro do processo gravídico-puerperal, abordagens temáticas sobre os programas sociais oferecidos no hospital, como o planejamento familiar, direitos da gestante no trabalho, acessam as maternidades, posturas e respiração corretas, amamentação e conscientização do assoalho pélvico. Utiliza-se como recursos materiais e métodos criativos como álbum seriado, cartazes e folders. Dessa forma a sala de espera do pré-natal transformou-se num ambiente construtivo de troca de conhecimento e experiências, gerando o aumento do vínculo entre profissionais e a comunidade. Os participantes apresentaram um feedback positivo sobre a roda de conversa, relatando como produtiva e criativa. Pontos negativos, como o fato de algumas gestantes se ausentarem quando chamadas para sua consulta médica, interrompendo a continuidade da conversa, como também a estrutura do ambiente, por se tratar de um corredor, deixa a desejar com relação a atenção, ventilação e ruídos. A implantação de uma sala fechada especializada para ocorrer os encontros possibilitaria um ambiente mais tranquilo e confortável para solucionar dúvidas, diminuir angústias, medos, como também melhorar a capacidade visual sobre as orientação, à nível de condutas domiciliares, como automassagem e autoalongamentos, por exemplo. A atividade desenvolvida mostrou eficácia na integração ensino-extensão, possibilitando aos acadêmicos a transposição dos conhecimentos adquiridos na graduação para a comunidade. Embora a assistência seja de média complexidade, tal prática de educação em saúde torna-se pertinente pela sua importância para essa clientela com atendimento humanizado e cuidado integral com intuito de tornar a gestação mais saudável.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.