Artigo Anais CONACIS

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-0186

AMAMENTAÇÃO: AS DIFICULDADES DA AMAMENTAÇÃO NA PRIMEIRA GESTAÇÃO

Palavra-chaves: AMAMENTAÇÃO, GESTAÇÃO, DIFICULDADE Pôster (PO) Enfermagem
"2014-04-09 00:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 5331
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 550
    "inscrito_id" => 2384
    "titulo" => "AMAMENTAÇÃO: AS DIFICULDADES DA AMAMENTAÇÃO NA PRIMEIRA GESTAÇÃO"
    "resumo" => "INTRODUÇÃO: Amamentação ou aleitamento materno, significa aleitar e nutrir seu filho com o leite que produz, e é de fundamental importância durante a maternidade.  Apesar dos avanços nas taxas de aleitamento materno observados na última década, a situação do aleitamento materno exclusivo no Brasil encontram-se inferiores ao considerado ideal pela Organização Mundial da Saúde, sendo apenas 35% da população mundial infantil alimentada, exclusivamente, pelo leite materno dos 0 a 4 meses de idade. É importante destacar que o aleitamento materno sob livre demanda deve ser incentivado para garantir bem-estar, segurança e saúde da criança, pois o leite materno é considerado um alimento ideal, fortalecendo a manutenção do vínculo mãe e filho que se inicia na gestação. Inúmeras pesquisas mostram o efeito protetor do leite contra a mortalidade e morbidade infantil, assim como sua importância na construção do emocional do ser humano, assegurando, sua sobrevivência com qualidade de vida futura. No entanto, percebe-se que mesmo estando cientes da importância de amamentar, muitas mulheres não o fazem devido a dificuldades enfrentadas principalmente nos primeiros dias pós-parto, ou não conseguem manter a amamentação devido a problemas específicos ao aleitamento materno, tais como traumas mamários (fissuras mamilares, ingurgitamento, dor mamilar, mastite, etc.), bicos invertidos, monilíase, crenças (como a do leite fraco), freio lingual curto do bebê, má pega, dor, desconforto, entre outros. Por estas e outras razões, a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses e manutenção da amamentação por pelo menos mais um ano e meio depois torna-se uma dificuldade para muitas mães.O profissional de saúde deve identificar durante o pré-natal os conhecimentos, as experiências práticas, as crenças e a vivência social e familiar da gestante a fim de promover educação em saúde, garantindo a efetividade do aleitamento exclusivo. OBJETIVO: Descrever as dificuldades que as primigestas enfrentam ao amamentar na primeira gestação. METODOLOGIA: realizou-se uma pesquisa bibliográfica concernente à produção do conhecimento no campo das Ciências da Saúde, relacionadas com a temática e disponibilizadas em periódicos online da área da Saúde, no período de 2010 a 2013, realizada na base eletrônica, SciELO. Os descritores utilizados foram: dificuldade, amamentação e gestação. Os critérios de inclusão foram organizados considerando o número de publicação por ano, disponibilizado na íntegra em português. O universo de estudo foi constituído por 169 publicações, no qual proporcionou a aquisição de 37 artigos científicos que obedeceram aos critérios de inclusão. RESULTADOS E CONCLUSÃO: Os resultados mostraram que 2013 foi o ano de maior produção com 32% (12 artigos), seguido do ano de 2011 com 30% (11 artigos), 2012 com 16% (6 artigos), 2010 com 22% (8 artigos). Conclui-se que no ano de 2013 houve um aumento no campo da pesquisa, mais a prevalência das dificuldades ao amamentar ainda é elevada, o que indica a necessidade de mais estudos na área para fortalecer o vinculo mãe-filho em busca da melhor saúde do recém nascido, bem como incentivo por parte dos profissionais da saúde. Palavras-chave: Dificuldade, amamentação, gestação."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Enfermagem"
    "palavra_chave" => "AMAMENTAÇÃO, GESTAÇÃO, DIFICULDADE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_20_03_2014_20_42_34_idinscrito_2384_3a634aff9bfd323da69baf026d0debc5.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "KARINY MENDES LEITE ANTUNES"
    "autor_nome_curto" => "KARINY MENDES"
    "autor_email" => "kariny_mendes@hotmail.com"
    "autor_ies" => "FACULDADE SANTA MARIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 5331
    "edicao_id" => 17
    "trabalho_id" => 550
    "inscrito_id" => 2384
    "titulo" => "AMAMENTAÇÃO: AS DIFICULDADES DA AMAMENTAÇÃO NA PRIMEIRA GESTAÇÃO"
    "resumo" => "INTRODUÇÃO: Amamentação ou aleitamento materno, significa aleitar e nutrir seu filho com o leite que produz, e é de fundamental importância durante a maternidade.  Apesar dos avanços nas taxas de aleitamento materno observados na última década, a situação do aleitamento materno exclusivo no Brasil encontram-se inferiores ao considerado ideal pela Organização Mundial da Saúde, sendo apenas 35% da população mundial infantil alimentada, exclusivamente, pelo leite materno dos 0 a 4 meses de idade. É importante destacar que o aleitamento materno sob livre demanda deve ser incentivado para garantir bem-estar, segurança e saúde da criança, pois o leite materno é considerado um alimento ideal, fortalecendo a manutenção do vínculo mãe e filho que se inicia na gestação. Inúmeras pesquisas mostram o efeito protetor do leite contra a mortalidade e morbidade infantil, assim como sua importância na construção do emocional do ser humano, assegurando, sua sobrevivência com qualidade de vida futura. No entanto, percebe-se que mesmo estando cientes da importância de amamentar, muitas mulheres não o fazem devido a dificuldades enfrentadas principalmente nos primeiros dias pós-parto, ou não conseguem manter a amamentação devido a problemas específicos ao aleitamento materno, tais como traumas mamários (fissuras mamilares, ingurgitamento, dor mamilar, mastite, etc.), bicos invertidos, monilíase, crenças (como a do leite fraco), freio lingual curto do bebê, má pega, dor, desconforto, entre outros. Por estas e outras razões, a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses e manutenção da amamentação por pelo menos mais um ano e meio depois torna-se uma dificuldade para muitas mães.O profissional de saúde deve identificar durante o pré-natal os conhecimentos, as experiências práticas, as crenças e a vivência social e familiar da gestante a fim de promover educação em saúde, garantindo a efetividade do aleitamento exclusivo. OBJETIVO: Descrever as dificuldades que as primigestas enfrentam ao amamentar na primeira gestação. METODOLOGIA: realizou-se uma pesquisa bibliográfica concernente à produção do conhecimento no campo das Ciências da Saúde, relacionadas com a temática e disponibilizadas em periódicos online da área da Saúde, no período de 2010 a 2013, realizada na base eletrônica, SciELO. Os descritores utilizados foram: dificuldade, amamentação e gestação. Os critérios de inclusão foram organizados considerando o número de publicação por ano, disponibilizado na íntegra em português. O universo de estudo foi constituído por 169 publicações, no qual proporcionou a aquisição de 37 artigos científicos que obedeceram aos critérios de inclusão. RESULTADOS E CONCLUSÃO: Os resultados mostraram que 2013 foi o ano de maior produção com 32% (12 artigos), seguido do ano de 2011 com 30% (11 artigos), 2012 com 16% (6 artigos), 2010 com 22% (8 artigos). Conclui-se que no ano de 2013 houve um aumento no campo da pesquisa, mais a prevalência das dificuldades ao amamentar ainda é elevada, o que indica a necessidade de mais estudos na área para fortalecer o vinculo mãe-filho em busca da melhor saúde do recém nascido, bem como incentivo por parte dos profissionais da saúde. Palavras-chave: Dificuldade, amamentação, gestação."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "Enfermagem"
    "palavra_chave" => "AMAMENTAÇÃO, GESTAÇÃO, DIFICULDADE"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "Modalidade_4datahora_20_03_2014_20_42_34_idinscrito_2384_3a634aff9bfd323da69baf026d0debc5.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:52:51"
    "updated_at" => "2020-06-09 19:08:38"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "KARINY MENDES LEITE ANTUNES"
    "autor_nome_curto" => "KARINY MENDES"
    "autor_email" => "kariny_mendes@hotmail.com"
    "autor_ies" => "FACULDADE SANTA MARIA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-conacis"
    "edicao_nome" => "Anais CONACIS"
    "edicao_evento" => "Congresso Nacional Ciências da Saúde"
    "edicao_ano" => 2014
    "edicao_pasta" => "anais/conacis/2014"
    "edicao_logo" => "5e48b0ffd111d_16022020000327.png"
    "edicao_capa" => "5f183ea35f5aa_22072020102659.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2014-04-09 00:00:00"
    "publicacao_id" => 15
    "publicacao_nome" => "Revista CONACIS"
    "publicacao_codigo" => "2358-0186"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 09 de abril de 2014

Resumo

INTRODUÇÃO: Amamentação ou aleitamento materno, significa aleitar e nutrir seu filho com o leite que produz, e é de fundamental importância durante a maternidade. Apesar dos avanços nas taxas de aleitamento materno observados na última década, a situação do aleitamento materno exclusivo no Brasil encontram-se inferiores ao considerado ideal pela Organização Mundial da Saúde, sendo apenas 35% da população mundial infantil alimentada, exclusivamente, pelo leite materno dos 0 a 4 meses de idade. É importante destacar que o aleitamento materno sob livre demanda deve ser incentivado para garantir bem-estar, segurança e saúde da criança, pois o leite materno é considerado um alimento ideal, fortalecendo a manutenção do vínculo mãe e filho que se inicia na gestação. Inúmeras pesquisas mostram o efeito protetor do leite contra a mortalidade e morbidade infantil, assim como sua importância na construção do emocional do ser humano, assegurando, sua sobrevivência com qualidade de vida futura. No entanto, percebe-se que mesmo estando cientes da importância de amamentar, muitas mulheres não o fazem devido a dificuldades enfrentadas principalmente nos primeiros dias pós-parto, ou não conseguem manter a amamentação devido a problemas específicos ao aleitamento materno, tais como traumas mamários (fissuras mamilares, ingurgitamento, dor mamilar, mastite, etc.), bicos invertidos, monilíase, crenças (como a do leite fraco), freio lingual curto do bebê, má pega, dor, desconforto, entre outros. Por estas e outras razões, a amamentação exclusiva nos primeiros seis meses e manutenção da amamentação por pelo menos mais um ano e meio depois torna-se uma dificuldade para muitas mães.O profissional de saúde deve identificar durante o pré-natal os conhecimentos, as experiências práticas, as crenças e a vivência social e familiar da gestante a fim de promover educação em saúde, garantindo a efetividade do aleitamento exclusivo. OBJETIVO: Descrever as dificuldades que as primigestas enfrentam ao amamentar na primeira gestação. METODOLOGIA: realizou-se uma pesquisa bibliográfica concernente à produção do conhecimento no campo das Ciências da Saúde, relacionadas com a temática e disponibilizadas em periódicos online da área da Saúde, no período de 2010 a 2013, realizada na base eletrônica, SciELO. Os descritores utilizados foram: dificuldade, amamentação e gestação. Os critérios de inclusão foram organizados considerando o número de publicação por ano, disponibilizado na íntegra em português. O universo de estudo foi constituído por 169 publicações, no qual proporcionou a aquisição de 37 artigos científicos que obedeceram aos critérios de inclusão. RESULTADOS E CONCLUSÃO: Os resultados mostraram que 2013 foi o ano de maior produção com 32% (12 artigos), seguido do ano de 2011 com 30% (11 artigos), 2012 com 16% (6 artigos), 2010 com 22% (8 artigos). Conclui-se que no ano de 2013 houve um aumento no campo da pesquisa, mais a prevalência das dificuldades ao amamentar ainda é elevada, o que indica a necessidade de mais estudos na área para fortalecer o vinculo mãe-filho em busca da melhor saúde do recém nascido, bem como incentivo por parte dos profissionais da saúde. Palavras-chave: Dificuldade, amamentação, gestação.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.