Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

Visualizações: 300
PRÁXIS PSICOPEDAGÓGICA COM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS: DESENVOLVIMENTO DE APTIDÕES COGNITIVAS

Palavra-chaves: INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA, ENVELHECIMENTO, COGNIÇÃO, EDUCAÇÃO Comunicação Oral (CO) GT 12 - Educação de Pessoas Jovens e Adultas Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Na contemporaneidade, apesar dos índices mostrarem que a sociedade está cada vez mais velha, grande parte da população exerce uma expectativa acentuada sobre a juventude. Por causa das aptidões que está possui, enxerga-os como indivíduos mais inteligentes. Excluem-se na maioria dos casos os idosos, interpretam que estes não possuem capacidades cognitivas necessárias. Porém, este senso acerca dos idosos é realmente verídico? Teriam os idosos estagnado o seu desenvolvimento cognitivo? Como profissionais da área de educação podem auxiliar nesta fase da vida? Mais especificamente como o psicopedagogo pode atuar com indivíduos idosos? Compreendendo que os profissionais da área de psicopedagogia estudam os processos da aprendizagem humana em todas as fases do desenvolvimento humano, este trabalho visa relatar uma vivência de intervenção psicopedagógica numa instituição filantrópica que abriga idosos. Com o objetivo de auxiliar os aspectos cognitivos destes; especificamente elaborar atividades com enfoque na linguagem e funções executivas; conduzindo-os a desenvolver aprendizagens, reflexões pessoais e grupais. Para tal contou-se com a participação de sete idosos, com idades entre 60 anos e 101 anos, de ambos os sexos. Sendo utilizadas como instrumentos atividades lúdicas desenvolvidas pela equipe. As informações obtidas foram expostas e analisadas por intermédio do relato de experiência, no qual foi possível fazer a conexão entre as teorias estudadas e a práxis psicopedagógica. Bem como, perceber que a terceira idade pode ser caracterizada como uma fase que ainda ocorrem aprendizagens e desenvolvimento. As experiências que estes indivíduos vivenciam podem ser aperfeiçoadas através de estímulos oferecidos pelo meio, o que trás minimização dos declínios inerentes. É essencial destacar a importância da atuação psicopedagógica não restringir-se a crianças e adolescentes, pois os idosos necessitam de apoio para um contínuo desenvolvimento cognitivo, assim acontecem melhorias na qualidade de vida. Aspiram estudos futuros que envolvam a interdisciplinaridade, principalmente com profissionais da pedagogia.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.