Artigo Anais IV CONEDU

ANAIS de Evento

ISSN: 2358-8829

INCLUSÃO SOCIAL E EDUCACIONAL DE IDOSOS ATRAVÉS DO USO DE RECURSOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Palavra-chaves: TERCEIRA IDADE, INFORMÁTICA, INCLUSÃO SOCIAL Comunicação Oral (CO) GT 19 - Tecnologias e Educação Publicado em 20 de dezembro de 2017

Resumo

Ao longo dos anos, o Brasil vem deixando de ser um país de jovens e tornando-se um país com um contingente maior de idosos. Para 2050, prevê-se que um a cada três brasileiros será idoso, acrescentando a preocupação de incluí-los na sociedade moderna. As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’s) estão presentes na sociedade e, de uma forma irreversível, provocando profundas transformações no dia-a-dia da vida humana. Um dos grupos na sociedade que surge diretamente como info-excluído é o grupo de pessoas da terceira idade, pois foram educados numa época em que não tiveram experiências com estas ferramentas. Os órgãos públicos são os principais responsáveis na promoção de políticas públicas para inclusão de idosos socialmente, para que eles se sintam valorizados como cidadão e pessoas conectadas com a atualidade. Em parceria com a Prefeitura Municipal de Remígio, a Universidade Federal da Paraíba – UFPB executou o projeto de extensão “Inserção Social Através da Informática – Uma Abordagem Envolvendo Toda Comunidade”, que promoveu cursos e oficinas de TIC’s voltados para a comunidade da Terceira Idade da cidade de Remígio-PB, brejo paraibano. Os cursos foram divididos em 2 módulos cada, 50 horas/curso, duração de 8 meses e participação de 82 idosos. O projeto foi apresentado à comunidade e, após isto, foram realizadas as inscrições dos idosos. Com base na demanda, foram construídos o material didático, com foco nas necessidades dos alunos, e, assim, foi dado início à sequência de cursos e oficinas, semanalmente, no Laboratório de Informática da UFPB-CCA (LACACIA), ministradas por instrutores capacitados e selecionados pela coordenação do projeto. Ao início de cada curso, foi realizada uma pesquisa avaliativa para uma análise socioeconômica das turmas, através da aplicação de questionários, com dados como: zona residencial, profissão, renda familiar, entre outros. Foram gerados gráficos para análise estatística, onde observou-se que: 72% nunca tiveram contato com computador, 68% sustentavam suas famílias com 1 salário mínimo, fazendo com que este público procurasse alternativas de ganhos econômicos. Ao final do curso, foi observado um grande sentimento de gratidão nos participantes, pois não tinham nenhum conhecimento de computador e, após as atividades do projeto, já se sentiam independentes nesta tecnologia. Os ensinamentos promoveram um sentimento de cidadania e liberdade, além de proporcionar uma alternativa de sustentabilidade e produção aos seus participantes.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.