Artigo Anais IV SINALGE

ANAIS de Evento

ISSN: 2527-0028

Visualizações: 189
POESIA E SALA DE AULA: RELATO DE EXPERIÊNCIA COM A POESIA DE ADÉLIA PRADO E CORA CORALINA COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

Palavra-chaves: LITERATURA, POESIA, VELHICE, FORMAÇÃO DE LEITORES Comunicação Oral (CO) GT18-LITERATURA NA ESCOLA: ENSINO E PESQUISA

Resumo

Este trabalho tem como propósito relatar a experiência de leitura literária com alunos do ensino médio, a partir da oficina “A representação da velhice na literatura de autoria feminina: um recorte autobiográfico em poemas de Adélia Prado e Cora Coralina”, realizada na VII Feira Literária de Boqueirão, na cidade de Boqueirão - PB. Haja vista a experiência vivenciada na oficina supracitada, pretende-se propor uma reflexão acerca da leitura literária na escola, bem como, e mais especificamente, do estudo da poesia em sala de aula, uma vez que estas encontram-se postergadas no âmbito escolar. Além dessas reflexões crítico interpretativas é também objetivo deste trabalho apresentar e analisar sucintamente os poemas Dolores, da escritora mineira Adélia Prado e Ressalva, da poeta goiana Cora Coralina, analisados durante a oficina, a partir das discussões acerca da imagem feminina e da mulher idosa. A voz poética de ambos os textos apresenta a velhice como o momento oportuno para viver e experimentar aquilo que não fora possível na juventude. Na lírica adeliana é possível encontrar uma angústia em decorrência da velhice e da perda da juvenilidade, já a poesia de Cora celebra as conquistas que o entardecer da vida proporcionou, contudo os dois poemas são permeados pelo anseio da recriação e do recomeço. Corroboram com este trabalho os estudos teóricos de Ecléa Bosi (1994), no que diz respeito à função do velho na sociedade; Del Priore (2011) e Machado (2010), em relação à representação feminina na literatura; Abreu (2006), Cosson (2006), Zilberman (1992), sobre o ensino de literatura e Alves (2014), (2015) Neto (2008), quanto à poesia na sala de aula.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.