Artigo Anais VIII FIPED

ANAIS de Evento

ISSN: 2316-1086

A RELAÇÃO PROFESSOR- ALUNO: UM ESTUDO DE CASO EM ESCOLAS NO MARAJÓ - PARÁ

Palavra-chaves: RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO, ESCOLA, APRENDIZAGEM Pôster (PO) GT3 – PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO
"2016-11-08 23:00:00"
App\Base\Administrativo\Model\Artigo {#1639
  +table: "artigo"
  +timestamps: false
  +fillable: array:13 [
    0 => "edicao_id"
    1 => "trabalho_id"
    2 => "inscrito_id"
    3 => "titulo"
    4 => "resumo"
    5 => "modalidade"
    6 => "area_tematica"
    7 => "palavra_chave"
    8 => "idioma"
    9 => "arquivo"
    10 => "created_at"
    11 => "updated_at"
    12 => "ativo"
  ]
  #casts: array:14 [
    "id" => "integer"
    "edicao_id" => "integer"
    "trabalho_id" => "integer"
    "inscrito_id" => "integer"
    "titulo" => "string"
    "resumo" => "string"
    "modalidade" => "string"
    "area_tematica" => "string"
    "palavra_chave" => "string"
    "idioma" => "string"
    "arquivo" => "string"
    "created_at" => "datetime"
    "updated_at" => "datetime"
    "ativo" => "boolean"
  ]
  #connection: "mysql"
  #primaryKey: "id"
  #keyType: "int"
  +incrementing: true
  #with: []
  #withCount: []
  #perPage: 15
  +exists: true
  +wasRecentlyCreated: false
  #attributes: array:35 [
    "id" => 24963
    "edicao_id" => 52
    "trabalho_id" => 889
    "inscrito_id" => 4079
    "titulo" => "A RELAÇÃO PROFESSOR- ALUNO: UM ESTUDO DE CASO EM ESCOLAS NO MARAJÓ - PARÁ"
    "resumo" => "Na condição de alunos do curso de licenciatura em Pedagogia e motivados a ingressar no curso fazendo a articulação entre ensino, pesquisa e extensão, realizamos uma pesquisa de campo em cinco turmas de cinco escolas da cidade de Breves no Marajó, estado do Pará, com o objetivo de identificar como vem se dando a relação professor-aluno nas turmas dos primeiros anos do ensino fundamental. Nesse sentido, o presente trabalho trata-se de um relato de pesquisa realizada por meio de observação em salas de aulas, tendo como foco a relação professor-aluno. O objetivo da pesquisa foi identificar como os professores se relacionavam com os seus alunos em suas práticas pedagógicas, tendo em vista essa relação ser imprescindível para o processo de ensino e a aprendizagem. Analisamos a partir das observações que a sala de aula não pode transformar-se em um lugar de monólogo, mas de polifonias, onde todas as vozes sejam escutadas e respeitadas. Ao ouvir os alunos, não significa que este professor está deixando de cumprir com o seu papel, na verdade, está oportunizando o crescimento daqueles com os quais tem responsabilidades em introduzi-los na dinâmica social da vida, deixando-o livre para a criatividade, o que só a terá se sentir-se à vontade em seu ambiente. Um dos meios para se chegar a essa relação de confiança entre professor e alunos é a afetividade, pois ela é imprescindível continuamente na vida da criança, independentemente de sua origem, gênero ou classe social. Porém, pelo que se observou nesta pesquisa é que os professores ainda são muito resistentes a essa aproximação com os alunos, numa tentativa de manterem-se neutros diante do que acontecia na sala de aula: agressividade verbal e física, desinteresses para com as atividades, desrespeito ao próprio trabalho do professor - visto que a escola ainda é fortemente influenciada por métodos da escola tradicional que, com frequência desvalorizam a importância da vivência na formação do aluno. Os resultados da pesquisa indicaram que, essa relação ainda encontra-se na maioria das vezes na verticalidade, sendo o professor aquele que conduz a educação num processo em que não há participação ativa dos alunos, cabendo a eles, apenas assistir as aulas e reproduzir as atividades didáticas e apenas uma pequena minoria participa por meio de perguntas ou mesmo realizando as atividades com ajuda dos colegas e por vezes do professor."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT3 – PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO"
    "palavra_chave" => "RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO, ESCOLA, APRENDIZAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV057_MD4_SA3_ID4079_29092016165113.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:11"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:47:18"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "TATIANA GAMA DE ALMEIDA"
    "autor_nome_curto" => "TATIANA GAMA"
    "autor_email" => "ttatianagm@gmail.com"
    "autor_ies" => "UFPA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-viii-fiped"
    "edicao_nome" => "Anais VIII FIPED"
    "edicao_evento" => "VIII Fórum Internacional de Pedagogia"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/fiped/2016"
    "edicao_logo" => "5e488d75d4c39_15022020213149.png"
    "edicao_capa" => "5f186e058f295_22072020134909.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-08 23:00:00"
    "publicacao_id" => 1
    "publicacao_nome" => "Revista FIPED"
    "publicacao_codigo" => "2316-1086"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #original: array:35 [
    "id" => 24963
    "edicao_id" => 52
    "trabalho_id" => 889
    "inscrito_id" => 4079
    "titulo" => "A RELAÇÃO PROFESSOR- ALUNO: UM ESTUDO DE CASO EM ESCOLAS NO MARAJÓ - PARÁ"
    "resumo" => "Na condição de alunos do curso de licenciatura em Pedagogia e motivados a ingressar no curso fazendo a articulação entre ensino, pesquisa e extensão, realizamos uma pesquisa de campo em cinco turmas de cinco escolas da cidade de Breves no Marajó, estado do Pará, com o objetivo de identificar como vem se dando a relação professor-aluno nas turmas dos primeiros anos do ensino fundamental. Nesse sentido, o presente trabalho trata-se de um relato de pesquisa realizada por meio de observação em salas de aulas, tendo como foco a relação professor-aluno. O objetivo da pesquisa foi identificar como os professores se relacionavam com os seus alunos em suas práticas pedagógicas, tendo em vista essa relação ser imprescindível para o processo de ensino e a aprendizagem. Analisamos a partir das observações que a sala de aula não pode transformar-se em um lugar de monólogo, mas de polifonias, onde todas as vozes sejam escutadas e respeitadas. Ao ouvir os alunos, não significa que este professor está deixando de cumprir com o seu papel, na verdade, está oportunizando o crescimento daqueles com os quais tem responsabilidades em introduzi-los na dinâmica social da vida, deixando-o livre para a criatividade, o que só a terá se sentir-se à vontade em seu ambiente. Um dos meios para se chegar a essa relação de confiança entre professor e alunos é a afetividade, pois ela é imprescindível continuamente na vida da criança, independentemente de sua origem, gênero ou classe social. Porém, pelo que se observou nesta pesquisa é que os professores ainda são muito resistentes a essa aproximação com os alunos, numa tentativa de manterem-se neutros diante do que acontecia na sala de aula: agressividade verbal e física, desinteresses para com as atividades, desrespeito ao próprio trabalho do professor - visto que a escola ainda é fortemente influenciada por métodos da escola tradicional que, com frequência desvalorizam a importância da vivência na formação do aluno. Os resultados da pesquisa indicaram que, essa relação ainda encontra-se na maioria das vezes na verticalidade, sendo o professor aquele que conduz a educação num processo em que não há participação ativa dos alunos, cabendo a eles, apenas assistir as aulas e reproduzir as atividades didáticas e apenas uma pequena minoria participa por meio de perguntas ou mesmo realizando as atividades com ajuda dos colegas e por vezes do professor."
    "modalidade" => "Pôster (PO)"
    "area_tematica" => "GT3 – PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO"
    "palavra_chave" => "RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO, ESCOLA, APRENDIZAGEM"
    "idioma" => "Português"
    "arquivo" => "TRABALHO_EV057_MD4_SA3_ID4079_29092016165113.pdf"
    "created_at" => "2020-05-28 15:53:11"
    "updated_at" => "2020-06-10 12:47:18"
    "ativo" => 1
    "autor_nome" => "TATIANA GAMA DE ALMEIDA"
    "autor_nome_curto" => "TATIANA GAMA"
    "autor_email" => "ttatianagm@gmail.com"
    "autor_ies" => "UFPA"
    "autor_imagem" => ""
    "edicao_url" => "anais-viii-fiped"
    "edicao_nome" => "Anais VIII FIPED"
    "edicao_evento" => "VIII Fórum Internacional de Pedagogia"
    "edicao_ano" => 2016
    "edicao_pasta" => "anais/fiped/2016"
    "edicao_logo" => "5e488d75d4c39_15022020213149.png"
    "edicao_capa" => "5f186e058f295_22072020134909.jpg"
    "data_publicacao" => null
    "edicao_publicada_em" => "2016-11-08 23:00:00"
    "publicacao_id" => 1
    "publicacao_nome" => "Revista FIPED"
    "publicacao_codigo" => "2316-1086"
    "tipo_codigo_id" => 1
    "tipo_codigo_nome" => "ISSN"
    "tipo_publicacao_id" => 1
    "tipo_publicacao_nome" => "ANAIS de Evento"
  ]
  #changes: []
  #classCastCache: []
  #dates: []
  #dateFormat: null
  #appends: []
  #dispatchesEvents: []
  #observables: []
  #relations: []
  #touches: []
  #hidden: []
  #visible: []
  #guarded: array:1 [
    0 => "*"
  ]
}
Publicado em 08 de novembro de 2016

Resumo

Na condição de alunos do curso de licenciatura em Pedagogia e motivados a ingressar no curso fazendo a articulação entre ensino, pesquisa e extensão, realizamos uma pesquisa de campo em cinco turmas de cinco escolas da cidade de Breves no Marajó, estado do Pará, com o objetivo de identificar como vem se dando a relação professor-aluno nas turmas dos primeiros anos do ensino fundamental. Nesse sentido, o presente trabalho trata-se de um relato de pesquisa realizada por meio de observação em salas de aulas, tendo como foco a relação professor-aluno. O objetivo da pesquisa foi identificar como os professores se relacionavam com os seus alunos em suas práticas pedagógicas, tendo em vista essa relação ser imprescindível para o processo de ensino e a aprendizagem. Analisamos a partir das observações que a sala de aula não pode transformar-se em um lugar de monólogo, mas de polifonias, onde todas as vozes sejam escutadas e respeitadas. Ao ouvir os alunos, não significa que este professor está deixando de cumprir com o seu papel, na verdade, está oportunizando o crescimento daqueles com os quais tem responsabilidades em introduzi-los na dinâmica social da vida, deixando-o livre para a criatividade, o que só a terá se sentir-se à vontade em seu ambiente. Um dos meios para se chegar a essa relação de confiança entre professor e alunos é a afetividade, pois ela é imprescindível continuamente na vida da criança, independentemente de sua origem, gênero ou classe social. Porém, pelo que se observou nesta pesquisa é que os professores ainda são muito resistentes a essa aproximação com os alunos, numa tentativa de manterem-se neutros diante do que acontecia na sala de aula: agressividade verbal e física, desinteresses para com as atividades, desrespeito ao próprio trabalho do professor - visto que a escola ainda é fortemente influenciada por métodos da escola tradicional que, com frequência desvalorizam a importância da vivência na formação do aluno. Os resultados da pesquisa indicaram que, essa relação ainda encontra-se na maioria das vezes na verticalidade, sendo o professor aquele que conduz a educação num processo em que não há participação ativa dos alunos, cabendo a eles, apenas assistir as aulas e reproduzir as atividades didáticas e apenas uma pequena minoria participa por meio de perguntas ou mesmo realizando as atividades com ajuda dos colegas e por vezes do professor.

Compartilhe:

Visualização do Artigo


Deixe um comentário

Precisamos validar o formulário.